Header Ads

Quem é Jesus?

Jesus é aquele que ressuscita:

"Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá. (João 11:25)

Jesus estava ensinando na Peréia, uma região da Palestina que ficava próximo da Judéia no outro lado do Rio Jordão. De repente chegou um mensageiro assustado e quase sem fôlego: "Senhor, seu amigo Lázaro está muito doente!"

Sua fala denotava urgência, se Jesus não fizesse algo logo ou não fosse depressa até o vilarejo de Betânia certamente Lázaro morreria. Na mente limitada do mensageiro passava que se isso acontecesse, se Jesus se demorasse nada poderia ser feito. O que ele não sabia era que Jesus é a ressurreição e a vida e quem nele crer "ainda que morra, viverá".

Jesus não alterou sua agenda e nem se apressou para ir a Betânia, apenas mandou um recado: "Esta enfermidade não é para morte, e sim para a glória de Deus" (v.4).

Ele ficou ainda dois dias no lugar onde estava antes de ir para Betânia na Judéia (João 11:6-7). Embora ninguém soubesse, Ele, em sua onisciência sabia muito bem o que iria fazer. Jesus permitiu que Lázaro morresse e prometeu: "vou despertá-lo do sono" (v.11). Aquele que é dono da vida iria ressuscitar Lázaro em um magnífico milagre. A ressusrreição de Lázaro era especial, Jesus esperou quatro dias, isso fez consciente porque os judeus acreditavam que, até o terceiro dia havia chance de um morto voltar à vida, depois disso o corpo iniciava o processo de decomposição. O quarto dia representava o fim de todas as possibilidades, o fim de todas as esperanças. Assim, ressuscitar um homem morto de quatro dias é mais extraordinário do que ressuscitar alguém que acabara de morrer. O milagre seria incontestável para os líderes judeus, a fé dos discipulos seria fortalecida e Maria e Marta seriam consoladas.

Quando Jesus chegou foi recebido por Marta e em seguida Maria foi até Ele e se lançou aos seus pés (v.32). Todos estavam tristes e choravam muito e isto comoveu Jesus que não se conteve, "Jesus chorou" (João 11:35). Ele sentiu a dor de perder um grande amigo, mesmo por apenas quatro dias. Chorou por ver a dor das irmãs e dos amigos, chorou porque seu amor é compassivo e solidário, chorou por ver a miséria humana e por saber a sua causa.

Suspirando, Jesus caminhou em direção ao túmulo e, lá, mostrou a todos os seu poder. Lázaro, morto já há quatro dias já começava a se decompor, e Marta alerta Jesus: "Senhor, já cheira mal" (v.39), ou seja, "é caso perdido" e Jesus lhe responde: "Não te disse eu que se creres verás a glória de Deus? (v.40).

Após fazer uma breve oração de agradecimento e confiança Jesus clamou com toda autoridade: "Lázaro vem para fora!" (v.43).

E Lázaro voltou a viver!

No auge da nossa aflição chegamos a duvidar do amor de Jesus por nós. Mas o amor de Jesus não é um amor cheio de "mimos" e sim um amor "aperfeiçoador". Ao nos permitir passar pela dor, Ele visa o nosso bem e deseja nos educar, nos aperfeiçoar em santidade e moldar o nosso caráter. Ele age assim porque nos ama!

Quando estamos aflitos sentimos uma horrível sensação de solidão. Onde está Deus? Parece que está tão distante, parece que não se importa conosco. Mas isso não é verdade. Nestes momentos é quando Deus está mais próximo, quando enfrentamos a dor mais intensa, Ele sofre e chora conosco pois conhece a nossa aflição.

Jesus é especialista em causas perdidas. Se você tem enfrentado uma situação, humanamente, impossível, não desista, porque aquele que pode ressuscitar mortos, também pode trazer-nos solução para qualquer problema. Se você se vê diante de enfermidades, decepções, demoras e até mesmo da morte, creia: "Jesus é a ressurreição e a vida". Ele pode ressuscitar seus sonhos, seus relacionamentos, projetos, família, igreja.

A história de Lázaro é extremamente encorajadora. Ela nos faz saber que Deus nos ama e que tem sempre um bom propósito para todos nós, mesmo quando nos permite sofrer.

A história de Lázaro nos faz conhecer a soberania de Jesus através de seu aparente "atraso", sua onisciência através de seu plano, sua compaixão e sensibilidade através de seu choro e sua onipotência através de seu poder.

Jesus é a solução para o maior dilema humano: a morte. Logo não há situação para a qual Jesus não tenha a solução e nada foge ao seu dominio. Permite-nos passar por momentos dificeis a fim de que a glória de Deus seja manifestada em nós.



Que Deus nos Abençoe!




***





Nenhum comentário:

Todos os comentários serão moderados. Me reservo o direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.


..

Tecnologia do Blogger.