Header Ads

Sagrado

A partir deste dia, 05 outubro, a diversidade religiosa terá espaço na programação da Rede Globo com a estreia do programa “Sagrado”, uma coprodução da Rede Globo com o Canal Futura.

A série vai discutir um tema atual por semana, mostrando a visão e o entendimento de cada religião a respeito de assuntos muitas vezes polêmicos como: violência urbana, liberdade de expressão, sexualidade, novas famílias, entre outros.


O xeique Armando Hussein Saleh, o pastor Israel Belo de Azevedo, Makota Valdina e Antonio Cesar Perri (foto)


“Sagrado” será exibida em diversos formatos. Na Rede Globo, uma peça de dois minutos de duração irá ao ar diariamente pela manhã, às 6h05. Às sextas-feiras, o programa Mais Você, de Ana Maria Braga, vai debater o tema da semana, utilizando o material da série. Aos domingos, às 6h50, os programas são reunidos em uma edição especial de 10 minutos. Já o Canal Futura, exibirá diariamente a versão integral das peças em dois horários, às 7h15 e às 18h45.

Diferentes religiões, cada uma delas contextualizada por um de seus representantes, estarão presentes na série. Além do catolicismo, que faz do Brasil o país com o maior número de católicos do mundo, e das igrejas protestantes, que tiveram grande crescimento nos últimos anos, o programa “Sagrado” abre espaço também para as religiões afro-brasileiras, o espiritismo e para outras crenças trazidas por imigrantes, como o islamismo, o budismo e o judaísmo. A série teve a consultoria do antropólogo Emerson Giumbelli:

- “Sagrado” é um convite para o telespectador aprofundar seu interesse pela diversidade que caracteriza o mundo religioso no Brasil. Proliferam na sociedade preconceitos e desinformações sobre esse mundo. A série procura dar uma contribuição para o estabelecimento de uma relação mais igualitária entre diferentes tradições religiosas, ao propiciar a várias delas visibilidade e expressão públicas - explica Giumbelli.


Sagrado: assista ao primeiro episódio da série:



Elenco da Rede Globo em Sagrado:

Todas as peças da série Sagrado começam com uma participação de atores e atrizes que, de alguma forma, estão relacionados à religião de cada episódio. Nem todos professam a tradição que representam, mas aceitaram participar por entenderem que o projeto contribui para um importante debate de ideias e com a liberdade religiosa que já existe no Brasil.

São eles:

Tony Ramos (catolicismo);
Oscar Magrini (protestantismo);
Stênio Garcia (islamismo);
Nathalia Timberg (judaísmo);
Carlos Vereza (espiritismo);
Juliana Paes (religiões afro-brasileiras)
Christiane Torloni (budismo).


Representantes religiosos:

Entre os líderes religiosos que participam do programa, estão:

Cônego Antônio Mazatto (catolicismo), professor da Faculdade de Teologia N. Sra. Assunção, de São Paulo;
Pastor Israel Belo (protestantismo), da Igreja Batista de Itacuruçá;
Xeique Armando Hussein Saleh (islamismo), membro do Conselho Superior da Mesquita Brasil, em São Paulo;
Rabino Nilton Bonder (judaísmo), da Congregação Judaica do Brasil;
Antonio Cesar Perri de Carvalho (espiritismo), diretor da Federação Espírita Brasileira;
Valdina Pinto (religiões Afro-brasileiras), do Terreiro Tanuri Junsara, em Salvador;
Lama Padma Santem (budismo), do Instituto Caminho do Meio, Centro de Estudos Budistas Bodisatva, de Viamão, RS.


O programa vai falar sobre assuntos contemporâneos e polêmicos, tais como:

1. Lugar e papel das religiões no mundo contemporâneo
2. Tragédia e solidariedade
3. Violência urbana
4. Lugar e papéis sociais da mulher no mundo contemporâneo
5. Vaidade e culto ao corpo
6. Novas famílias
7. Quando começa, quando termina a vida? Abordado pela temática dos transplantes
8. Ganância: a permanente tensão riqueza ‘versus’ felicidade
9. Liberdade sexual (orientações de gênero, poligamia…)
10. Estado laico (limites entre religião e Estado; movimentos religiosos no Congresso Nacional)
11. Destino ‘versus’ livre arbítrio
12. Liberdade de expressão
13. Pós-morte (vida após a morte; o que vem depois da morte?; por que o homem teme tanto a morte?)
14. Fome ‘versus’ vontade de comer (instinto e pulsão; obesidade)
15. Corrupção (política como prática democrática e corrupção)
16. Essência do ser humano (na essência o homem é bom?; bom selvagem ‘versus’ homem domesticado)
17. Meio ambiente: por que o homem não consegue alcançar sustentabilidade?
18. Crianças abandonadas pelas mães



Comentário PC@maral:

É bem provável que em muitas igrejas evangelicas, a liderança recomende, e até proibam veementemente, assistir tal programa. Devemos lembrar sempre das orientações de Deus através do apóstolo Paulo: "julgai todas as coisas, retende o que é bom" (I Ts 5:21).


***

Fonte: Vi no atalaiasdedeus.blogspot.com | Video video.globo.com

Um comentário:

  1. O Brasil é belo por causa da sua diversidade em todos os aspéctos.

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão moderados. Comentários com conteúdo fora do assunto ou do contexto, não serão publicado, assim como comentários ofensivos ao autor.

Tecnologia do Blogger.