Header Ads

Operando Milagres na Bendita Hora de Oração!

Ismael Narcizo


O que acontece em nosso coração, quando vemos a tristeza, frustração e a desesperança, paralisando as pessoas? Qual é a nossa reação diante daqueles que mendigando, desconhecem o caminho do socorro? E o que dizer aos que já se conformaram em receber apenas gorjetas de atenção e favor? Aos que não mais reclamam olhares, ou corações que os amem? Aos que esperam apenas uma moeda, nada mais que uma moeda?

A Bíblia narra um milagre, que mostra a ousadia, e o amor, de Pedro e João, servos de Deus, recuperando, em nome de Jesus, a saúde, a fé, e o louvor, na vida de um paralítico, na bendita hora de oração.

Ao entrarem no templo, Pedro e João foram desafiados pela mesmice de ofertar. Repetir o comum: retirar do bolso, moedas que bastariam a um paralítico, acostumado e rebaixado à divisão de pedinte. Entretanto, eles preferiram fazer mais, muito mais. Preferiram mudar completamente sua vida e história. Diante da porta formosa, o povo testemunhou a realidade poderosa do nome de Jesus, na bendita hora de oração.

Eram 3 horas da tarde, na entrada do templo, quando tudo aconteceu. Percebendo o olhar que buscava fugir, Pedro disse a um paralítico: Olha para nós, e com a preciosa fé, comum aos santos, declara:
Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda. E, tomando-o pela mão direita, o levantou, e logo os seus pés e artelhos se firmaram. E, saltando ele, pôs-se em pé, e andou, e entrou com eles no templo, andando, e saltando, e louvando a Deus.(Atos 3:6-8>
A ousadia de Pedro, ensina, significa, e propõe-nos, um verdadeiro envolvimento com a dor e sofrimento das pessoas. O coração que ama, provoca a atenção dos olhos, para ver o que de fato importa. O coração que ama, move os lábios para declarar celestialidades. Fazer a diferença na vida dos que sofrem, exige uma praticidade que estrangula as palavras vãs. As que soam e saem superficiais, da boca para fora.

Amados do Senhor, até que o céu nos encontre afinal, esta é a nossa missão:
falar ousadamente pela fé, que Jesus é a graça salvadora de Deus, manifestada aos homens. Infinitamente melhor que o ouro mais fino da terra. Com largura, altura, extensão e profundidade de amor, inegavelmente capaz de envergonhar todos os impossíveis humanos.
A porta pode ser formosa. O templo pode ser formoso. Porém, se por ela, e nele, não entrar o pecador, teremos que conviver com a sensação de ter moedas no bolso, e um vazio no coração, ainda que seja, na bendita hora de oração.

“Porque não podemos deixar de falar do que temos visto e ouvido”. (At. 4:20)

***

Fonte: Pr Ismael Narcizo

Nenhum comentário:

Todos os comentários serão moderados. Comentários com conteúdo fora do assunto ou do contexto, não serão publicado, assim como comentários ofensivos ao autor.

Tecnologia do Blogger.