Header Ads

Final Feliz! As Bodas do Cordeiro!


“Alegremo-nos, exultemos e demos-lhe a glória, porque são chegadas às bodas do Cordeiro, cuja esposa a si mesma já se ataviou”. (Ap 19:7)

Você já recebeu em mãos um convite de um casamento? Em linhas gerais, esse tipo de convite segue sempre o mesmo padrão: pais e noivos chamam os familiares e amigos para celebrarem um dia muito especial. Note que, por mais simples que seja o convite de casamento ele sempre transmite a ideia de felicidade e realização. Em Apocalipse, capítulo 19, versículos 7 a 9, encontramos o mais precioso de todos os convites de casamento. É o casamento de Cristo e sua igreja! A Bíblia o chama de bodas do Cordeiro e ele acontecerá na vinda do Senhor.
Na cultura dos hebreus, um casamento ocorria basicamente em duas fases: o noivado e o casamento. O noivado iniciava com compromisso sério firmado entre os pais dos noivos. Daquele momento em diante, mesmo sem ter nenhuma intimidade, eles já eram considerados legalmente casados. “Qualquer infidelidade durante o noivado era considerada adultério”. Só depois de certo tempo é que ocorria o casamento propriamente dito, quando o noivo ia, em procissão, até a casa noiva e a levava para casa dele e lá ocorria um grande banquete. É essa a imagem que a Bíblia usa no texto em estudo (Ap 19:7-9), em que vemos a alegria, o preparo, o convite e a certeza das bodas do Cordeiro.
1. A alegria das bodas do Cordeiro:

Veja como o texto começa: “Alegremo-nos, exultemos e demos-lhe a glória, porque são chegadas as bodas do Cordeiro” (Ap 19:7a). Os verbos “alegrar” e “exultar”, no original, comunicam a ideia de “ser feliz” e “regozijar-se exuberantemente”. Eles aparecem juntos somente mais uma vez na Bíblia: “Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós” (Mt 5:12). Nas duas citações, a mensagem é a mesma:
os dias podem ser difíceis e escuros; o rosto pode estar molhado de lágrimas, mas ainda não é fim. Dias melhores virão! Alegre-se, o Noivo está chegando!
Cristo está voltando para buscar a sua noiva, que é a igreja. Esse será o dia mais feliz do mundo! Sabemos que, ao redor do mundo, em meio a diversas culturas e muitas gerações, encontramos costumes diferentes em torno do casamento. Contudo, independentemente do tempo e do lugar, há um sentimento sempre presente nessa festa. Sabe qual é? É a alegria! Será assim também nas bodas do Cordeiro. A festa de um casamento judaico poderia demorar muitos dias, mas a do casamento de Cristo com a igreja permanecerá por toda a eternidade, numa alegria que nunca se acaba!

2. O preparo das bodas do Cordeiro:

É claro que aquele dia será alegre, somente aos que estiverem preparados na volta de Jesus. E sobre isso a figura do casamento judaico tem muito a nos ensinar. Por exemplo, entre o noivado e o casamento havia um intervalo designado à preparação. Neste período, o noivo buscava recursos e pagava o dote ao pai da noiva. Por outro lado, a noiva se preparava e se adornava para receber o seu noivo. No caso de Cristo e sua igreja, ele já pagou o dote por ela: “o preço foi o seu próprio sangue!” (cf. At 20:28).

E a igreja, como deve se preparar? Veja o que nos diz texto: “cuja esposa a si mesma já se ataviou, pois lhe foi dado vestir-se de linho finíssimo, resplandecente e puro. Porque o linho finíssimo são os atos de justiça dos santos” (Ap 19:7c-8). Aqui, há duas preciosas verdades: a primeira é que ela “enfeitou” o seu próprio vestido, santificando-se e desenvolvendo a salvação (Fl 2:12). Mas a segunda verdade, e a mais profunda, é que lhe foi dado, ou seja, Deus trabalhou nela e a santificou (Fl 2:13). Sobre isso, afirmou Paulo: “Cristo amou a igreja e entregou-se por ela para santificá-la (...) e para apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem mancha (...) mas santa e inculpável” (Ef 5:25-27 – NVI).

3. O convite das bodas do Cordeiro:

Após descrever a sua visão com respeito à “alegria” e ao “preparo” do casamento celestial, o apóstolo João passa a tratar sobre o “convite”. Ele anota as palavras ditadas por um anjo, que diz: “Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro”. (Ap 19:9a). Na Nova Tradução Linguagem de Hoje, está escrito assim: “Felizes os que foram convidados para a festa de casamento do Cordeiro!” Que privilégio!

Mas quem são esses convidados? O contexto indica que são os que entenderam e aceitaram o convite de Jesus. Mas que convite é esse? Aquele magnífico convite estendido a todos: “O Espírito e a noiva dizem: “Vem!” E todo aquele que ouvir diga: “Vem!” Quem tiver sede, venha; e quem quiser, beba de graça da água da vida” (AP 22:17 – NVI). Todos os que respondem positivamente recebem a salvação, são vestidos de vestes brancas e podem assentar-se à mesa do Cordeiro. Há, aqui, uma sobreposição de imagens: os convidados e a noiva são a mesma pessoa!
“A noiva é a igreja e os convidados para as bodas são todos aqueles que fazem parte dela (...) a igreja é povo mais feliz do universo”.
4. A certeza das bodas do Cordeiro:

Em conclusão, o anjo acrescentou: “São estas as verdadeiras palavras de Deus” (AP 19:9b). Diante das constantes aflições que a igreja enfrenta, aqui na terra, a cena descrita por João poderia lhe parecer uma “miragem no deserto” ou “um sonho utópico”. Mas o mensageiro celeste faz questão de lembrá-la que tudo aquilo é uma promessa de Deus e que ele é fiel para cumprir as suas promessas: O próprio Deus declarou isso (Ap 19:9b – BV). A promessa de sua vinda é repetida, só no Novo Testamento, mais de 300 vezes. É a maior certeza cristã! Portanto, você pode confiar:
O Cordeiro não esqueceu sua noiva, e logo ele virá buscá-la. Ele mesmo disse: “Não fiquem aflitos. Creiam em Deus e creiam também em mim (...) e eu vou preparar um lugar para vocês (...) voltarei e os levarei comigo para que onde eu estiver vocês estejam também” (Jo 14:1-3 – NTLH).
Que esperança maravilhosa! Estaremos nas bodas do Cordeiro! Portanto, “alegremo-nos, exultemos e demos-lhe a glória” (Ap 19:7). Os descrentes podem até debochar das promessas de Deus, mas o Senhor quer que seu povo saiba que pode confiar nelas! Por favor, abra mais uma vez a sua Bíblia, em Apocalipse, capítulo 19, versículos 7 a 9 e leia com atenção. Qual é o sentimento mais forte nesse texto? Se você respondeu “alegria” ou “felicidade”, acertou. Agora, Cristo está conosco (Mt 19:20), mas, no porvir, estaremos para sempre com ele. A história da igreja terá um final muito feliz! Contudo, não será apenas por um instante, mas por toda a eternidade!

Cabe, aqui, agora uma pergunta: Como devemos aguardar o Noivo? A seguir, conheceremos três ensinos que nos ajudam a entender a maneira correta de aguardarmos o nosso Senhor.
1. Aguarde-o com todo anseio!

A igreja está desposada com Cristo, e o casamento dos dois em breve acontecerá. Um dia ele voltará e a levará para a casa que ele preparou. Estarão para sempre juntos (Jo 14:1-3). Quando isso acontecerá? Ninguém conhece o dia nem a hora; somente Deus (Mt 24:36). Todavia, se a noiva realmente ama o noivo, certamente, vai aguardá-lo com grande expectativa. Ela vai passar a noite sonhando com o dia do casamento. Quem é a noiva? Somos nós, os crentes em Jesus. Devemos aguardá-lo com muito anseio e dizer: “Assim como o corço deseja as águas do ribeirão, assim também eu quero estar na tua presença , ó Deus!” (Sl 42:1 – NTLH).

2. Aguarde-o com toda cautela!

O que é cautela? É vigilância, atenção e prudência. Isso nos faz pensar na parábola das dez virgens contada por Jesus. Aquelas jovens tinham vasilhas e lâmpadas (Mt 25:7-8). Porém, necessitavam do elemento principal, que é o azeite. As imprudentes não colocaram azeite em suas vasilhas; as prudentes, sim. Quando o noivo chegou, quem entrou para as bodas? É claro que foram as prudentes! Eram cautelosas e estavam preparadas. Como você tem esperado a vinda de Cristo? Você está preparado? Vigie, meu irmão, pois felizes são os que estiverem vigilantes, quando ele chegar (Lc 12:37). Disse o noivo: “Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa”. (Ap 3:11).


3. Aguarde-o com toda pureza!

A maior honra que um rei pode conceder a uma súdita é pedi-la em casamento. O Senhor Jesus nos conferiu essa honra! Ele nos valorizou, pagando o maior de todos os dotes, isto é, o seu próprio sangue (I PE 1:18-19). O que ele espera de nós? Se temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade (II Co 7:1). Cristo deseja encontrar uma noiva santa, pura e sem mácula (Ef 5:27). Mostre que você entendeu o que Cristo lhe concedeu, comportando-se como a noiva santa do Senhor. Que sejam puras as suas vestes!
Cristo virá buscar a igreja, que é sua noiva. Nossa história terá final muito feliz! Será muito bom ouvi-lo dizer:
“Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o Reino que vos está preparado desde a fundação do mundo” (Mt 25:34).
Como está seu relacionamento com Deus?

Você já faz parte da noiva de Cristo?

Hoje, ele lhe concede essa honra! Se, porventura, você ainda não está preparado para a volta de Cristo, comece, agora mesmo, a se preparar. Há uma festa sendo preparada para você. Aguarde o noivo com anseio, cautela e pureza.

Medite nisso

***

2 comentários:

  1. ... Quando irei e me verei perante a face de Deus?
    Sl 42:2b

    ResponderExcluir
  2. Temos todos que ficar alertas quanto à volta do Senhor para buscar a Sua Igreja. Os sinais estão em todos os lugares. guerras e rumores de guerras, fome, terremotos, catrástrofes, mudanças no clima, corrupção dos governos, corrupção da igreja que se envolve em escândalos politicos sem falr em outros mais sinais que prenunciam que o Senhor está peto, bem perto.

    Que sejamos como as noivas prudentes e como aquele servo vigilante para que quando o nosso Senhor voltar nem pisquemos, mas corramos para o seu encontro.

    Quão lindo e maravilhoso será esse dia! Glórias a Deus por isso!

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão moderados. Me reservo o direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.


..

Tecnologia do Blogger.