Header Ads

Pecadinho x Pecadão. Sobre Disciplina da Igreja

Pr Cris


Ele se fez pecado por nós, para que pudéssemos ser perdoados (2 Co. 5:21)

Existe pecadinho e pecadão? Eis aí uma pergunta que todo mundo faz e tem a mesma resposta: Não. Mas acredito que essa resposta é um pouco falsa no contexto religioso que vivemos. Não existe o tal do “pecadinho” ou do “pecadão”, mas tratamos as situações como se elas fossem grandes ou pequenas. Vejamos, por exemplo, a situação de um fofoqueiro na igreja.

O máximo que ocorre com ele é uma chamadinha de atenção e passar de mãos na cabeça e só. Agora uma pessoa que comete qualquer atitude relacionada com a área sexual está fadada a uma disciplina exemplar. Se não existe pecadinho ou pecadão, então por que essa discrepância? Por que essa humilhação? Por que essa diferença?Nosso discurso é muito diferente da prática. As pregações sobre a graça de Deus são cheias de palavras bonitas, mas que partem de um coração totalmente mecânico e sem a mínima consideração com o próximo.

Pesquisando nas Escrituras percebo que o simples fato de semear brigas entre as pessoas da comunidade gera no coração de Deus um sentimento até mesmo estranho para nós entendermos; abominação. Ele abomina, sente nojo de tal fato. Há passagens de Jesus acolhendo pessoas que caíram, curando pessoas doentes, vejo o Senhor abraçando aqueles que antes de qualquer coisa, eram seus inimigos. Cristo nos ensina a como agirmos no meio da Igreja, não como instituição apenas, mas como lugar de abrigo, lugar de esperança, lugar de cura.

Acredito que não haja diferença para Deus se um pecado é esse ou aquele, mas vejo que para nós há uma diferença enorme. Essa cultura é resultado de um falso estudo bíblico e de uma medíocre interpretação da pessoa e obra de Cristo como um todo na Bíblia. Precisamos resgatar não mais a preocupação de saber se tal pecado é grande ou pequeno, se é uma mentirinha ou se é um assassinato, mas sim resgatar o conhecimento correto de Deus que invade mente e coração e que exala amor e misericórdia.No sermão do monte, Jesus coloca todos os pecados em um mesmo patamar, ou seja, dignos de culpa. Mas depois ao longo de Sua vida Ele mostra que há perdão para todos esses pecados.

O adultério não está apenas no ato em si, mas nasce nos pensamentos e tem muita gente adulterando por aí no mundo das imaginações. Ele diz também que não apenas o assassinato resume-se em ferir o corpo de outro, mas o simples fato das palavras serem ditas de forma agressiva e difamatória já se caracteriza um homicídio. Acredito que mesmo sendo o tamanho que for o pecado, seja ele grande, pequeno, imenso, extremamente nojento, não importa; ele pode ser perdoado. E ele o é porque é promessa do grande Perdoador de pecados chamado Jesus.

O que precisamos entender de uma vez por todas é que somos humanos e somos totalmente sensíveis às tentações e às investidas do inimigo, mas temos Advogado junto ao Pai que intercede por nós, que sabe que somos ainda pequenos e que somos ainda teimosos no nosso apego às paixões desse mundo. Portanto, seja o pecado pecadinho ou pecadão, ele não é nada perto do amor do nosso Pai.
Notas:

Pequei. E agora? - Reconheça seu pecado, confesse a Deus seu erro, peça perdão ao Senhor, e não peques mais. Veja a imagem logo acima do post. Jesus teve seu corpo rasgado, sua carne dilacerada, pelos meus e seus pecados. Ele levou tudo sobre si mesmo, se fazendo como maldito na cruz. Pare de ficar se culpando, pare de ficar em casa, se esfriando na fé, deixando de ir à igreja, se sentindo indigno, com medo dos julgamentos dos "irmãos". Só ELE pode nos perdoar, limpar nosso coração, deixar nossa consciência limpa e religar nossa comunhão com Deus.

Veja abaixo referências bíblicas:

- 1 João 2:1-2 - Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo.

- 1 João 1:9 - Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.

- Salmos 32:5 - Confessei-TE o meu pecado, e a minha maldade não encobri. Dizia eu: Confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado.

Fique a sós com Jesus. Reconheça seu pecado, como fez a mulher adúltera. Veja que Jesus perguntou àquela mulher onde estavam seus acusadores. Em seguida deu suas recomendações, conforme versículo abaixo.

- João 3:10-11 - E, endireitando-se Jesus, e não vendo ninguém mais do que a mulher, disse-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? E ela disse: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais.

***

Fonte: Vi no Gospel Home Blog texto autoria do Pr Cris comentário Notas Gospel Home Blog e o PC@maral divulgou.

2 comentários:

  1. Esse é um assunto sobre o qual sempre pensei, comete tal pecado, leva gancho de seis meses, comete outro, leva só um puxão de orelha. Essa tradição tem q acabar, cada um se acerte com Deus. Não tem nada de bíblico nisso, sobre o pecado, o que a Bíblia mais ensina é o arrependimento e o perdão.
    É certo que não devemos deixar pessoas em situação constante de pecado à frente de cargos ou tomando o púlpito, porém todos somos pecadores e estamos sujeitos a tropeçar.
    Que Deus nos dê força os momentos de fraqueza e oportunidade e sabedoria para se arrepender verdadeiramente.
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Oi!! A paz!!
    ótima postagem e infelizmente uma realidade no meio das igrejas.
    Aproveito para agradecer a visita e confirmando a parceria. Seu banner já está no meu blog.
    Deus abençoe!!

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão moderados. Comentários com conteúdo fora do assunto ou do contexto, não serão publicado, assim como comentários ofensivos ao autor.

Tecnologia do Blogger.