Header Ads

What is that? O que é aquilo?

“Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá”. (Êxodo 20:12)


Sentados em um banco, no quintal de casa, estão pai e filho. O pai observa o quintal o filho , concentrado, lê o jornal. Até que um pequeno pássaro pousa em um arbusto ao lado e chama a atenção do pai. O pai olha em direção ao pássaro e pergunta ao filho:

- O que é aquilo?

O filho, interrompe por alguns instantes a leitura e, responde ao pai:

- Um pardal.

O pai concorda com a resposta e instantes depois, pergunta outra vez:

- O que é aquilo?

O filho responde, um pouco impaciente:

- Eu já falei pra você pai, é um pardal!

O pássaro voa com o barulho feito pelo filho ao arrumar o jornal, o pai o segue no seu vôo. O pássaro então pousa no chão, perto deles, o pai olha e pergunta mais uma vez ao filho:

- O que é aquilo?

O filho mais impaciente ainda responde contrariado:

- Um pardal pai. Um pardal! Um P-A-R-D-A-L...

O pai olha para o filho e pergunta:

- O que é aquilo?

O filho, agora, descontrolado, responde grosseiramente ai seu pai:

- Porque você está fazendo isso? Eu já disse a você tantas vezes, isso é um pardal! Você não pode entender isso?

O pai, sem dizer mais nada se levanta e caminha em direção à casa. O filho, nervoso, lhe pergunta:

- Onde você está indo?

Ele acena com a mão e continua a caminhar em direção a casa. O filho se entristece por ter tratado mal a seu pai e fica desolado, sozinho no banco. O pai volta trazendo em sua mão um pequeno livro, um diário. O pai senta ao lado do filho, abre o pequeno livro, seleciona um página e pede que o filho lei em voz alta.

- Hoje, meu filho mais novo, que a poucos dias completou três anos, estava sentado comigo no parque quando na nossa frente apareceu um pardal. Meu filho me perguntou vinte e uma vezes o que era aquilo. E eu respondi todas as vinte e uma vezes, que aquilo era um pardal. Eu o abracei, cada vez que ele me fez a mesma pergunta. Novamente e novamente. Sem ficar bravo, sentindo carinho pelo meu menininho inocente.

O pai, em silêncio, ouve atentamente, o filho interrompe a leitura, fecha o diário e emocionado, com lágrimas nos olhos, abraça seu pai e o beija.

Filhos, lembrem-se sempre de seus pais, não se esqueça de amá-los. Mesmo que você cresça e constitua nova família e fique longe deles, você nunca deixará de ser, para eles, aquele menininho ou aquela menininha inocente.

***

O video me foi enviado por email e faz parte da coleção do PC@maral

2 comentários:

  1. Ótima mensagem da juventude de hoje em dia, valeu, ok

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso! Já havia assistido o video, mas lendo o texto fica mais emocionante ainda. Deus abençoe a todos!

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão moderados. Me reservo o direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.


..

Tecnologia do Blogger.