Header Ads

Número de mortos no terremoto do Chile passa de 400


Foto EFE - Quem já circula de carro Por Concepción vê prédios arruinados, onde bombeiros buscam pelas pessoas desaparecidas


Tremor de 8,8 graus na escala Richter atingiu 80% do país e afetou dois milhões de chilenos

Do R7, com a Reuters

O Gabinete Nacional de Emergência informou neste domingo (28) que o número de mortos no terremoto de magnitude 8,8 que atingiu o Chile no sábado (27) subiu para mais de 400.

O terremoto do sábado atingiu a região centro-sul do Chile, afetando mais de 2 milhões de chilenos. No Brasil, moradores de São Paulo e São José dos Campos disseram que sentiram o tremor. O abalo fortíssimo gerou mais dezenas de réplicas – tremores que se seguem a um grande terremoto – de mais de cinco graus na escala Richter no país. A força do terremoto foi tamanha que provocou um tsunami que atingiu partes do Chile, como a ilha Robinson Crusoé. O tremor teve seu epicentro a 90 km de Concepción, cidade de 500 mil habitantes, a 500 km a sul de Santiago. A ponte da cidade, construída sobre o rio Bio Bio, ficou destruída.


Foto AFP - Homem observa escombros após passagem de ondas gigantes em Talcahuano, Biobio


Neste domingo, a população da cidade, que começa a ficar sem alimentos, saqueou supermercados e farmárcias. A prefeita da cidade, Jacqueline Van Rysselberghe, chegou a pedir que o governo envie militares para conter os moradores.

Histórico

O terremoto de sábado foi o segundo mais potente dos últimos 20 anos, atrás apenas do tremor de 9,1 graus na escala Richter registrado em dezembro de 2004 na costa da Indonésia, que desencadeou um tsunami e matou 220 mil pessoas. Em 1960, o Chile foi alvo do terremoto mais forte já registrado no mundo, de 9,5 graus na escala Richter, que deixou 3.000 mortos. O país se encontra no ponto de convergência de duas grandes placas tectônicas. O país está acostumado com os terremotos, e conta com uma legislação rigorosa para a construção de imóveis, que devem ser equipados com dispositivos de segurança para aguentar a força dos tremores.

***

Fonte: R7.com

Nenhum comentário:

Todos os comentários serão moderados. Me reservo o direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.


..

Tecnologia do Blogger.