Header Ads

Sobre Arrependimento e Conversão

O conhecimento da Palavra de Deus nos leva a tomar consciência da nossa situação diante de Deus, proporcionando em nós a análise da importância da Salvação em nossa vida. Mediante este conhecimento, e esta análise, se nós abrirmos o coração, nasce em nós um desejo ardente de acertar a nossa situação, ou seja, romper essa separação que há entre nós e Deus. O lado divino da salvação refere-se ao novo nascimento, que é obra do Espírito Santo no coração do que crê. Mas, qual a participação do homem nessa experiência? A parte que cabe ao homem para ser salvo é chamada de “conversão”. Como entender o que é arrependimento e conversão e o que nos leva a tomar essa atitude, e porque temos que passar por esse processo?

Arrependimento (Lc. 18:13): Para ser salvo é preciso que o indivíduo se arrependa dos seus pecados. Isso significa que o arrependimento é mais do que convicção pois, uma vez convicto, é preciso que haja arrependimento. A palavra grega (para significar) arrependimento no Novo Testamento é metanóia. Este termo significa: “Ter outra mente” ou “mudar de opinião”. A pessoa que se arrepende muda sua mente em relação ao pecado. Arrepender-se é tomar consciência, ter pesar, de que a maneira de vida que você viveu, e vive, é errada. Arrependimento é mais do que sentir tristeza pelos pecados (II Co 7:9-10). Muitos sentem tristeza pelos pecados cometidos, mas não se arrependem. A Bíblia fala de duas espécies de tristeza: uma que procede de Deus e outra mundana. A tristeza que produz o arrependimento verdadeiro é obra do Espírito Santo no coração do homem. O arrependimento implica uma mudança de opinião sobre o pecado e, consequentemente, uma mudança de vida (Lc. 15:17). A tristeza, segundo o mundo, traz o desgosto, intranqüilidade e remorso e, por conseqüência, a morte (Mt. 27:3-5).

Conversão (Atos 26:20): Converter é mudar de rumo, mudar de direção, sair do caminho que nos leva ao distanciamento de Deus e procurar a direção que nos aproxima do autor, sustentador e salvador nosso: Jesus Cristo. Na nossa vida com Deus, de nada adianta arrepender-se e não se converter. A conversão é: pôr em prática o arrependimento. Imagine você, alguém se arrepender de algo e continuar praticando a mesma coisa, não tem sentido algum. Não tem sentido arrepender-se sem se converter. Mesmo porque, a conversão é conseqüência do arrependimento. O arrependimento e a conversão são os primeiros passos para reatarmos o relacionamento entre nós e Deus.

Mas, quais são os propósitos do arrependimento e conversão?

Cancelar nossos pecados: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados,” (At 3:19)

Quando nos arrependemos de nossos pecados e nos voltamos para Deus num ato de fé e obediência, os nossos pecados são cancelados. Assim, pois, a grande lista de registros negativos, contra o indivíduo, chamados “pecados”, é anulada, ficando inteiramente limpo o registro.

Produzir a salvação: “Naquela mesma ocasião, chegando alguns, falavam a Jesus a respeito dos galileus cujo sangue Pilatos misturara com os sacrifícios que os mesmos realizavam. Ele, porém, lhes disse: Pensais que esses galileus eram mais pecadores do que todos os outros galileus, por terem padecido estas coisas? Não eram, eu vo-lo afirmo; se, porém, não vos arrependerdes, todos igualmente perecereis. Ou cuidais que aqueles dezoito sobre os quais desabou a torre de Siloé e os matou eram mais culpados que todos os outros habitantes de Jerusalém? Não eram, eu vo-lo afirmo; mas, se não vos arrependerdes, todos igualmente perecereis.” (Lc 13:1-5)

Conta-se que Pilatos matava pessoas e misturava o sangue delas com o sangue de animais que ele sacrificava, para oferecer aos seus deuses. Relata-se também, que uma torre havia caído acidentalmente e havia matado dezoito pessoas. Segundo a crença dos judeus, só morriam de morte trágica os grandes pecadores. Jesus, então os alertou dizendo que se eles não se arrependessem, de igual modo morreriam. Estava-se falando da morte eterna. Isto nos mostra que não importa se somos pessoas terrivelmente desonestas ou honestas aos olhos humanos, o que importa é que nascemos pecadores e se não reconhecermos nossa situação e nos humilharmos, pereceremos na ignorância. Só pelo fato de dizer que não somos pecadores, já pecamos (I Jo. 1:8).

Produzir cura física e emocional: “Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia.” (Sl 32:3)

“Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; e, segundo a multidão das tuas misericórdias, apaga as minhas transgressões. Lava-me completamente da minha iniqüidade e purifica-me do meu pecado. Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mal perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar. Eu nasci na iniqüidade, e em pecado me concebeu minha mãe. Eis que te comprazes na verdade no íntimo e no recôndito me fazes conhecer a sabedoria. Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo que a neve. Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que exultem os ossos que esmagaste. Esconde o rosto dos meus pecados e apaga todas as minhas iniqüidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável. Não me repulses da tua presença, nem me retires o teu Santo Espírito. Restitui-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito voluntário. Então, ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores se converterão a ti.” (Sl 51:1-13)

Arrependimento e conversão de vida são absolutamente necessários. O motivo que muitos vivem uma vida infeliz é que não se arrependem. Levam uma vida de cristãos frios e indiferentes, e nunca experimentaram a paz de espírito de um sincero arrependimento.

Que benefícios, adquirimos, quando nos arrependemos e nos convertemos?

Reatamos o relacionamento com Deus (Atos 2:37-39): Pedro havia pregado o evangelho. Os judeus conheceram o plano de Deus para suas vidas e compungiram-se em seus corações, ou seja, ficaram aflitos mediante o conhecimento da Palavra de Deus, e logo procuraram perguntar o que deveriam fazer, e na seqüência disse o Apóstolo: Arrependei-vos. O arrependimento é o passo primordial para um íntimo relacionamento com a divindade.

Renovamos nossa vida com Deus (II Co. 5:17): Não mais é levado em conta o que se passou, não importa o tipo e o tamanho do pecado (Atos 17:30). O tempo da ignorância aqui proferida, é o tempo que a pessoa não conhecia a Palavra de Deus, o plano de Deus para sua vida.

Passamos o controle de nossa vida para Cristo (Gl. 2:20): Quando acontece a conversão, existe uma mudança porque Jesus passa a ser Senhor de nossa vida, esta mudança é notória aos olhos de muitos.

Somos livres da morte eterna (Ez. 33:9,11-20; Ap. 20:6): Através do arrependimento e conversão estamos livres da morte eterna, que é o aniquilamento total da vida humana (é também chamada de “segunda morte”).

Somos perdoados e temos nossas orações atendidas (II Cr. 7:14,15): Mediante arrependimento e a conversão alcançamos não só o perdão de Deus, mas também, nossas orações agora são ouvidas e atendidas por Deus (Is. 59:1,2).

Como experimentar o arrependimento e conversão?

Pela ação do Espírito Santo (Jo 16:7-11): É o Espírito Santo que nos convence do pecado, da justiça e do juízo. Convencer tem aqui três sentidos básicos: a) “convencer” no sentido de levar à uma convicção; b) “iluminar”, no sentido de trazer à luz; c) “refutar”, no sentido de corrigir nossos erros.

Pela ação da Palavra de Deus (Hb 4:12,13): Na medida em que vamos conhecendo a Palavra de Deus, que é viva e eficaz, ela penetra lá no fundo do nosso ser, na divisão do nosso sentimento, do nosso pensamento, da nossa razão, produzindo efeito em nossa vida, convencendo-nos do pecado e do juízo. A palavra de Deus nos comove, ensina, exorta, faz tudo o que precisa ser feito, por isso é eficaz e essencial para que sejamos transformados.

Pelo reconhecimento de que sou um pecador (Lc. 18:9-14; Rm. 3:23): Em terceiro lugar, devo sentir a minha culpa, que sou um pecador. Mas o que é pecado? Pecado, conforme as Escrituras o definem é “transgressão da lei” (Rm. 4:15; I Jo. 3:4). Se queremos conhecer a nossa verdadeira condição, devemos pedir a Deus que nos mostre a nossa verdadeira condição (Sl. 19:12; 139:23,24).

Pela confissão dos meus pecados (Pv. 28:13; I Jo. 1:9): O passo seguinte é a confissão. O arrependimento não é genuíno se não houver disposição de confessar o pecado. Aquele que esconde o seu pecado e o não confessa, nada alcança de Deus. A confissão nem sempre é fácil. É necessário coragem e humildade para admitir que erramos e confessar que pecamos. Mas, só assim alcançaremos perdão.

“Será, pois, que, sendo culpado numa destas coisas, confessará aquilo em que pecou.” (Lv. 5:5).
"Varões israelitas, atendei a estas palavras: Jesus, o Nazareno, varão aprovado por Deus diante de vós com milagres, prodígios e sinais, os quais o próprio Deus realizou por intermédio dele entre vós, como vós mesmos sabeis; sendo este entregue pelo determinado desígnio e presciência de Deus, vós o matastes, crucificando-o por mãos de iníquos; ao qual, porém, Deus ressuscitou, rompendo os grilhões da morte; porquanto não era possível fosse ele retido por ela. Porque a respeito dele diz Davi: Diante de mim via sempre o Senhor, porque está à minha direita, para que eu não seja abalado. Por isso, se alegrou o meu coração, e a minha língua exultou; além disto, também a minha própria carne repousará em esperança, porque não deixarás a minha alma na morte, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção. Fizeste-me conhecer os caminhos da vida, encher-me-ás de alegria na tua presença. Irmãos, seja-me permitido dizer-vos claramente a respeito do patriarca Davi que ele morreu e foi sepultado, e o seu túmulo permanece entre nós até hoje. Sendo, pois, profeta e sabendo que Deus lhe havia jurado que um dos seus descendentes se assentaria no seu trono, prevendo isto, referiu-se à ressurreição de Cristo, que nem foi deixado na morte, nem o seu corpo experimentou corrupção. A este Jesus Deus ressuscitou, do que todos nós somos testemunhas. Exaltado, pois, à destra de Deus, tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vedes e ouvis. Porque Davi não subiu aos céus, mas ele mesmo declara: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos por estrado dos teus pés. Esteja absolutamente certa, pois, toda a casa de Israel de que a este Jesus, que vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo. Ouvindo eles estas coisas, compungiu-se-lhes o coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos? Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo. Pois para vós outros é a promessa, para vossos filhos e para todos os que ainda estão longe, isto é, para quantos o Senhor, nosso Deus, chamar. Com muitas outras palavras deu testemunho e exortava-os, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa. Então, os que lhe aceitaram a palavra foram batizados, havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas. E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos. Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum. Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade. Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos." (At 2:22-47)
Que Deus nos abençoe! Glórias a Deus! Louvado seja o nome do Senhor Jesus!


DEC - PC@maral

Um comentário:

  1. Para ver como predicavam O arrependimento na igreja primitiva visita.
    http://www.aigrejaprimitiva.com/dicionario/ARREPENDIMENTO.html

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão moderados. Comentários com conteúdo fora do assunto ou do contexto, não serão publicado, assim como comentários ofensivos ao autor.

Tecnologia do Blogger.