Header Ads

Aquecendo-se na Fogueira do Inimigo


E, havendo acendido fogo no meio do pátio, estando todos sentados, assentou-se Pedro entre eles (Lc 22:55)

Um dos erros de Pedro, quando Jesus estava para ser crucificado, foi o de se expor desprecavidamente. Também, outros dois erros graves podem ser percebidos, e fazemos bem em não os repetirmos em nossas vidas: o primeiro foi isolar-se dos demais companheiros. Não fomos criados para vivermos isoladamente, somos membros do corpo de Cristo (I Co 12:12; Ef 4:16). Como órgãos vivos do corpo ou tijolos no edifício, unidos, formamos um todo e somos interdependentes. A partir desse principio, vivemos um dos grandes mistérios do Reino de Deus: amamos e somos amados, compreendemos e somos compreendidos, ajudamos e somos ajudados.

O segundo erro de Pedro foi aproximar-se demais da “zona de perigo”. As pessoas que queriam crucificar Jesus não estavam brincando; encontravam-se sedentas de sangue, Jerusalém estava agitada pelas patrulhas romanas; pessoas seriam executadas e qualquer suspeito seria preso. Ainda assim, Pedro assentou-se entre eles. Quantas vezes nós, também, inadvertidamente, buscamos companhia e benefícios onde jamais deveríamos estar. Quando a luta é contra as hostes de satanás, devemos resistir (Tg 4:7), mas, quanto às obras da carne, devemos fugir (II Tm 2:20).

Pedro se descuidou e, estando totalmente cercado de adversários, não teve forças para superar as provações. Negou seu grande Mestre e Amigo com palavras impróprias. O galo cantou, e, assim, cumpriu-se o alerta de Jesus. Então, na noite escura e solitária, Pedro chorou amargamente.

Há muitas fogueiras perigosas em nosso mundo querendo nos roubar a companhia dos amigos de fé e do bondoso Senhor, que nenhum mal fez, mas que, ao contrário, assumiu os nossos erros e as nossas misérias, na terrível cruz. No primeiro círculo da fogueira, estão os ímpios; no segundo, a escuridão, com uma pertinente ave [galo], para despertar a consciência.

Ainda bem que essa história não terminou com lágrimas, pois Pedro se recuperou e encontrou o Calvário e o Senhor vivo. Aquentemo-nos, mas, na fogueira da graça, do amor e do poder do Espírito Santo.

Amém!

***

DEC - PC@maral

2 comentários:

  1. Muito bom seu texto, bom mesmo, eu fiz um artigo parecido com seu, se chama "A brasa Ardente" se quiser dar uma conferida passe lá. Paz!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom...esta fogueira aqui em seu blog aqueceu meu coração hehe.
    Que Deus o continue abençoando.

    Se desejar visitar meu blog, faz um blogueiro feliz(risos)

    http://oblogdodumane.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão moderados. Me reservo o direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.


..

Tecnologia do Blogger.