Header Ads

O que é Carisma? - Série Carisma e Caráter [1]

Ora, os dons são diversos, mas o Espírito é o mesmo. E também há diversidade nos serviços, mas o Senhor é o mesmo. E há diversidade nas realizações, mas o mesmo Deus é quem opera tudo em todos. A manifestação do Espírito é concedida a cada um visando a um fim proveitoso. Porque a um é dada, mediante o Espírito, a palavra da sabedoria; e a outro, segundo o mesmo Espírito, a palavra do conhecimento; a outro, no mesmo Espírito, a fé; e a outro, no mesmo Espírito, dons de curar; a outro, operações de milagres; a outro, profecia; a outro, discernimento de espíritos; a um, variedade de línguas; e a outro, capacidade para interpretá-las. Mas um só e o mesmo Espírito realiza todas estas coisas, distribuindo-as, como lhe apraz, a cada um, individualmente. (I Co 12:4-11)

Nos últimos anos a maior quantidade de pessoas que têm se convertido a Jesus Cristo, no Brasil, encontra-se nas igrejas conhecidas como “carismáticas”, “renovadas”, “pentecostais” ou “neopentecostais” (novos pentecostais). Milhares de pessoas têm buscado conhecer e cultuar a Deus em ambientes onde os dons do Espírito Santo sejam praticados com liberdade. Até mesmo no catolicismo existem hoje os “Católicos Carismáticos”, com liberdade para sentir a manifestação dos dons espirituais.

Por causa desse fenômeno evangelístico nas igrejas brasileiras, muitos cristãos evangélicos, que tem esse perfil carismático, afirmam que as outras igrejas evangélicas (que não tem esse perfil carismático) estão carentes da “unção” e do “poder de Deus”. Na verdade, muitas das igrejas evangélicas que se auto-definem como “carismáticas” o fazem não porque compreendam o que seja ser carismático de acordo com a Bíblia. Mas, apenas porque dão mais ênfase aos dons do Espírito Santo e, de forma imatura, acabam se sentindo espiritualmente superiores às outras.

Será que somente as igrejas que dão ênfase aos dons do Espírito Santo é que são carismáticas? E as igrejas que dão pouca ênfase aos dons, normalmente rotuladas de tradicionais, não são carismáticas? A Bíblia apóia essa idéia?

Este estudo tem como objetivo proporcionar ao leitor uma compreensão correta sobre os carismas que Jesus Cristo concede à Sua Igreja, através do Espírito Santo, a fim de serem utilizados de forma compatível com a Bíblia Sagrada.

I – O QUE É CARISMA?

O sentido da palavra “carisma” tem sido compreendido e utilizado pelos irmãos que se consideram renovados ou carismáticos de forma diferente de como a Bíblia ensina. No cotidiano, dizemos que uma pessoa é carismática quando ela é simpática, educada, encantadora. Nesse sentido, os artistas, cantores e muitos políticos são bastante carismáticos, pois, tem carisma diante da população.

Na vida religiosa, dizemos que uma pessoa ou que, uma igreja é carismática quando ela expressa, de forma visível e audível, os dons do Espírito Santo. Ao mesmo tempo, cremos que pessoas ou igrejas sem essas características não são carismáticas. Entretanto, de acordo com a Palavra de Deus, toda igreja que confessa Jesus Cristo como o único Senhor e Salvador, e o adora em espírito e em verdade, é carismática.

Por que afirmamos que toda igreja que se reúne em nome de Jesus Cristo é carismática? Porque “Carisma” [ charisma - χαρισματων - khar'-is-mah ], é a palavra grega que em português significa “dom”, “um dom da graça”, “um dom gratuito”. Os “dons” ou “carismas” [ χαρισματων - khar'-is-mah ], são derramados nas igrejas cristãs por Jesus Cristo através do Espírito Santo. Logo, toda igreja que se reúne em Seu nome é resultado da “graça” ou do “carisma” que Deus concede.

O apóstolo Paulo afirma que “aquele que nos confirma convosco em Cristo, e nos ungiu, é Deus, que também nos selou e nos deu o penhor do Espírito Santo em nossos corações” (II Co 1:21). Ele está ensinando o seguinte: Qualquer pessoa que seja confirmada na fé em Cristo, recebendo a unção de Deus e sendo por Ele selada, tem o penhor do Espírito Santo, isto é, tem garantidos os benefícios da morte de Cristo, a saber: o perdão dos pecados e a vida eterna. Receber Jesus Cristo na vida, através do Espírito Santo, é uma obra essencialmente “carismática”, porque a salvação é um ato carismático. E se a igreja é formada por pessoas salvas, ela é, também, essencialmente, carismática.

É o Espírito Santo de Deus quem age e transforma a vida das pessoas, de forma que é impossível ser cristão, sem antes, se carismático. Podemos, então, reafirmar que ninguém, ninguém mesmo, tem condições de ser cristão, sem que sofra profunda mudança realizada pelo Espírito Santo. Logo, todo crente que faz parte do corpo de Cristo é carismático, porque é gerado pelo Senhor. E, por extensão, todas as igrejas genuinamente cristãs são “comunidades carismáticas”, porque seus membros têm seus corpos vivificados pelos carismas do Espírito de Deus: “e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, pela graça sois salvos” (Ef 2:5).

De uma forma mais abrangente, podemos afirmar que os carismas são as bênçãos de Deus, é o cumprimento de suas promessas, são as ações sobrenaturais que vem dos céus e é a unção que Dele recebemos sobre nossas vidas.

Portanto, se a Bíblia ensina que “sem mim (Jesus) nada podeis fazer” e que “ninguém diz que Jesus é Senhor, se não pelo Espírito de Deus”, concluímos que todas as pessoas ou igrejas verdadeiramente cristãs são, essencialmente, “carismáticas”.

II – QUEM CONCEDE OS CARISMAS?

O Espírito Santo age em todos e sobre todos. Ele não precisa de passaporte para estar entre os crentes em todos os lugares do mundo. Também não depende de pregadores eloqüentes para agir no meio do povo de Deus, e muito menos de crentes que não crêem em Seu poder. Isso porque ninguém pode impedir o Espírito Santo de agir. Ele atua nas igrejas que dão mais ênfase aos dons espirituais com a mesma soberania que atua nas igrejas que dão menos ênfase aos dons espirituais. O Espírito Santo é livre. Sopra onde quer e como quer: “o vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito” (Jo 3:8).

O Espírito de Deus é soberano sobre todas as igrejas cristãs: “sopra onde quer”. Ele derrama “carismas” sobre as igrejas abertas ao Seu poder e sopra também seus “carismas” sobre as igrejas que imaginamos serem indignas de receber Sua atenção. O Espírito de Deus age de forma misteriosa: “não sabes donde vem, nem para onde vai”. Nenhum líder cristão pode definir a forma de agir do Espírito Santo, ninguém pode marcar o dia em que Ele deve iniciar um avivamento. É impossível saber quando o vento do Espírito vem e nem em que igreja vai atuar. Ele é misterioso em suas ações. A única coisa que sabemos é que Ele sopra sobre a igreja de Jesus Cristo e que devemos estar preparados para “ouvir sua voz”.

É o Espírito Santo de Deus quem distribui os carismas sobre a Igreja de Cristo. Sendo Deus, o Espírito Santo derrama seu poder com muita criatividade sobre todos os que o buscam, pois “há diversidade nas realizações, mas o mesmo Deus é quem opera tudo em todos” (I Co 12:6).

Por essa razão que afirmamos serem carismáticas todas as igrejas genuinamente cristãs, visto que só existem em função de estarem sob a unção do Espírito Santo do Senhor.

III - PARA QUE SÃO CONCEDIDOS OS CARISMAS?

Os “dons” de Deus não são derramados sobre a igreja para exaltação de homens. Os carismas que o Espírito Santo concede não podem ser utilizados para promoção denominacional. O Espírito de Deus se entristece quando os dons espirituais são desviados para outros fins, que não os propostos por Ele. Se receber os carismas de Deus em minha vida e me sentir espiritualmente superior a meu próximo, estou em pecado. Se a igreja onde congrego receber muitos carismas de Deus e se sentir espiritualmente superior às demais, está em pecado.

Os “carismas” são concedidos visando ao aperfeiçoamento dos santos, para que desempenhem bem seu serviço cristão e para que o corpo de Cristo seja edificado. O Espírito Santo estará sempre derramando carismas sobre a igreja “até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo, para que não sejamos como meninos, agitados de um lado para o outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro. Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” (Ef 4:13-15).

CONCLUSÃO

Os carismas visam conduzir-nos à maturidade espiritual. Infelizmente, temos visto muita meninice no uso dos “carismas” de Deus, e também muita arrogância espiritual por parte de alguns servos que o Senhor tem usado gente que se sente espiritualmente superior a outros. É hora de amadurecer no uso dos dons espirituais, pois o fato de sermos membros de uma igreja que se diz “carismática” ou “avivada” não nos torna automaticamente “carismáticos” ou “avivados” diante de Deus. Se a igreja está sendo abençoada, o mérito não é dos membros. Precisamos compreender que o lugar, a placa, a liturgia ou as pessoas não fazem a graça de Deus ser derramada sobre a igreja, mas, sim, os corações quebrantados e dispostos a serem usados pelo Senhor com um único objetivo: glorificar o nome do Senhor Jesus Cristo.

Que Deus seja louvado!

***


Fonte: Texto de autoria do Pastor José Lima de Farias Filho reproduzido e adaptado para a série Carisma e Caráter no blog PCamaral

Um comentário:

  1. Achei brilhante os comentários do pr. José Lima! Parabéns pela adaptação!

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão moderados. Me reservo o direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.


..

Tecnologia do Blogger.