Header Ads

Jesus Cristo Salvador E Mediador Da Humanidade

Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. (Jo 3:16)

Que o ser humano é pecador e mortal, todos sabemos. A nossa imperfeição é evidente, quando falamos, pensamos ou praticamos aquilo que é contra os princípios morais ensinados na Bíblia Sagrada. Contudo, acreditamos piamente, pela palavra de Deus, na restauração, na regeneração e na salvação do ser humano, mediante a um único ato de amor e misericórdia: o sacrifício vicário - [Do latim vicariu. Vicarius é uma palavra latina, que significa substituir ] de Jesus Cristo. Esse evento torna-se o “marco zero” da nossa vida, quando aceitamos Jesus como o nosso Senhor, ou seja, antes dele, éramos criaturas dilaceradas pela queda. Mas, depois da intervenção de Cristo em nossa história, as coisa mudaram. Hoje, temos perspectiva de vida.

A NECESSIDADE HUMANA DE UM SALVADOR:

Alguém tinha de pagar o preço. Era essa a condição para que a humanidade fosse reconciliada com Deus e, desse modo, fosse livre da sua ira. Sendo que o ser humano, através, da sua transgressão à ordem divina, contraiu uma enorme divida diante do Senhor, somente uma pessoa imaculada, sem pecado algum, poderia quitá-la. Literalmente, ainda estava para nascer um homem assim! Não havia nenhum ser humano justo capaz de pagar a nossa divida: como está escrito: Não há justo, nem um sequer, não há quem entenda, não há quem busque a Deus; todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer. (Rm 3:10-12). É aí que Jesus se manifesta amorosamente por meio da sua encarnação, ou seja, tornando-se homem, sem pecado.

É evidente necessidade humana de um Salvador, Desde o momento em que o primeiro homem caiu, o pecado tornou-se o nosso senhor, e nós, seus escravos; Porque, quando éreis escravos do pecado, estáveis isentos {isentos; isto é, no original, forros} em relação à justiça. (Rm 6:20). Se não fosse a intervenção salvífica de Cristo em nossa história, estaríamos eternamente condenados a morte; porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor. (Rm 6:23). O Eterno, então, tornou-se mortal. Deus se fez homem e, como tal, encarou a arrogância e a maldade humana, como também a vergonha da cruz: antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. (Fp 2:7-8). Por sua morte, fomos libertos e salvos. Hoje, somos escravos não mais do pecado, mas de Deus: e, uma vez libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça. (Rm 6:18).

A SINGULARIDADE DE JESUS COM SALVADOR BASEADO EM ATOS 4:12

O texto de Atos 4:12 nos evidencia a singularidade do Salvador: E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre homens, pelo qual importa que sejamos salvos. Os dois negativos (nenhum outro e nenhum outro nome) proclamam a singularidade positiva do nome de Jesus. Sua morte e sua ressurreição, sua exaltação e sua autoridade fazem dele o único Salvador. Ninguém mais, dentre os homens, possui tais qualificações, a não ser Jesus Cristo, o Salvador da humanidade [Stott (2008:107)]. Ele é a razão e a certeza da nossa salvação.

POR QUE JESUS É O ÚNICO CAPACITADO A EXERCER TAL FUNÇÃO ENTRE DEUS E NÓS?

Jesus Cristo, além de Salvador, é também o nosso Mediador; Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem, o qual a si mesmo se deu em resgate por todos: testemunho que se deve prestar em tempos oportunos. (I Tm 2:5-6). “Um mediador é um intermediário, a pessoa que se acha no meio, que efetua a reconciliação entre duas partes em rivalidade” [Stott (2004-67)]. A inimizade, portanto, foi extinta por meio de Cristo. Ele nos livrou de padecermos pela ira de Deus; Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida; (Rm 5:8-10).

Quem faz o papel de intermediário entre duas partes, deve agir de modo flexível. No Antigo testamento, não havia um árbitro com condições de intervir na mediação entre Deus e nós; Não há entre nós árbitro que ponha a mão sobre nós ambos. (Jó 9:33). No entanto, no Novo testamento, Jesus se mostra o perfeito mediador pelo fato de ser tanto Deus quanto homem (Jo 1:1,14). Logo, tem autoridade para intervir entre as partes em questão.

Antes do sacrifício salvífico de Cristo, o sumo sacerdote fazia a função de mediador entre Deus e os homens, por meio de sacrifícios. Porém, tanto o sumo sacerdote quanto os sacrifícios para remissão de pecados eram imperfeitos; Quando, porém, veio Cristo como sumo sacerdote dos bens já realizados, mediante o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, quer dizer, não desta criação, não por meio de sangue de bodes e de bezerros, mas pelo seu próprio sangue, entrou no Santo dos Santos, uma vez por todas, tendo obtido eterna redenção. Portanto, se o sangue de bodes e de touros e a cinza de uma novilha, aspergidos sobre os contaminados, os santificam, quanto à purificação da carne, muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo! (Hb 9:13) .

O texto de I Tm 2:5 declara que o Jesus homem é o mediador. Por essa razão, ele se tornou o perfeito sumo sacerdote da humanidade, pois era necessário que fosse semelhante a nós. Em Hebreus 2:7, Jesus é descrito como um sumo sacerdote que representa o homem diante de Deus, desvia a ira de Deus, cura o coração do quebrantado, ergue o caído e ministra às necessidades do seu povo [Kistemaker (2003:113)].

Não há mais separação entre nós e Deus. Sem merecer, fomos salvos e reconciliados pelo sacrifício vicário de Cristo! Se você está em Cristo, não haverá condenação para a sua vida (Rm 8:1). Você foi salvo mediante o sangue dele! Os muros de separação que havia entre Deus e você foram destruídos! Até mesmo o véu do templo, que separava o lugar santo do santíssimo, se rasgou em dois de alto a baixo (Mt 15:38), abrindo-lhe caminho, a fim de que você tenha livre acesso ao Pai. Agora, temos paz com Deus por Jesus Cristo (Rm 5:1).

Alegre-se: temos um Salvador e mediador ao nosso lado! Louvado seja Deus!

***

DEC - PC@maral

Um comentário:

  1. IRMÃO PCMARAL,JESUS CRISTO SEMPRE SERÁ O SENHOR!
    GRAÇA E PAZ,SEJA COM O IRMÃO E TODOS OS DEMAIS IMÃOS ESPALHADOS NESTA TERRA.
    Meu irmão,gostaria de comentar alguns versículos que o irmão mencionou: OH GLÓRIAS!
    Romanos 8.1 que diz: portanto,agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus,que não andam segundo a carne,mas segundo o espírito.
    "OS QUE ESTÃO EM CRISTO JESUS".
    O apóstolo Paulo acaba de demostrar que a vida sem a graça de Jesus Cristo é derrota,miséria e escravidão do pecado. Agora,em Rm 8,Paulo nos diz que a vida espiritual,a liberdade da condenação,a vitória sobre o pecado e a comunhão com DEUS nos vêm pela união com Cristo,mediante o Espírito Santo que em nós habita. Ao recebermos o Espírito Santo e sermos por Ele dirigidos,somos libertos do poder do pecado e prosseguimos adiante para a glorificação final em Jesus. Essa é a vida cristã normal,segundo a plena provisão do evangelho.
    "SENDO POIS JUSTIFICADOS". Rm 5.1.
    A justificação pela fé produz vários resultados no cristão: A paz com DEUS,a graça,a esperança,a firmeza,as tribulações,o amor de DEUS,o Espírito Santo,o livramento da ira,a reconciliação com DEUS,a salvação pela vida e presença de Jesus Cristo e o regozijo com DEUS; ler Romanos 1.1,11.
    "UM SÓ MEDIADOR JESUS CRISTO" I Tm 2.5.
    É somente através de Jesus Cristo que podemos aproximar-nos de DEUS; ler Hebreus 7.25,confiando na sua morte expiatória para nos remir dos nossos pecados,e orando com fé,pedindo forças e misericórdia divinas para nos ajudar em todas as nossas necessidades. Não devemos permitir que criatura alguma usurpe o lugar de Cristo em nossa vida,dirigindo-se-lhe orações; ler Hebreus 4.14,16; 8.6; 9.15; 12.24.
    No livro de João 3.16,revela o coração e o propósito de DEUS para a humanidade. DEUS abriu mão do seu Filho amado,Jesus Cristo de Nazaré dando-lhe seu Filho unigênito para morrer,morte de cruz pelos nossos pecados nos homens.ISTO QUE É O VERDADEIRO AMOR ETERNO DE DEUS!

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão moderados. Comentários com conteúdo fora do assunto ou do contexto, não serão publicado, assim como comentários ofensivos ao autor.

Tecnologia do Blogger.