Header Ads

Tendes Desviado do Caminho?

Mas vós vos tendes desviado do caminho e, por vossa instrução, tendes feito tropeçar a muitos; violastes a aliança de Levi, diz o Senhor dos exércitos. (Ml 2:8)

Pela Bíblia, aprendemos que, em todos os tempos e lugares, Deus sempre escolheu e capacitou para liderar seu povo pessoas que tivessem humildade para reconhecer seus próprios erros e depender dele exclusivamente, pessoas de responsabilidade e temor para agir em comprometimento com a sã doutrina, pessoas com fé e paciência para enxergar e esperar o tempo de Deus, pessoas cuja glória não estivesse em serem servidas, mas em servir, pessoas que se contentassem com o pouco, para não dar lugar à tentação da corrupção; pessoas que pregassem o que vivessem e vivessem o que pregassem, a fim de guiar os outros no caminho da verdade. É de homens e mulheres assim que a igreja de Deus necessita.

Visto que, vivemos em meio a uma profunda crise de integridade no que concerne a vida de muitos líderes religiosos. Os escândalos envolvendo a vida daqueles que deveriam dar exemplo à sociedade são cada vez mais frequentes, e têm provocado o afastamento de muitas pessoas dos caminhos do Senhor. Infelizmente, esta triste realidade não é de hoje. “Malaquias, profeta dos dias de Neemias, dirige sua mensagem de juízo a um povo atingido pela corrupção dos sacerdotes, por práticas ímpias e pelo falso senso de segurança em sua privilegiada relação com Deus” [WILKINSON, B. &; BOA, K. Descobrindo a Bíblia. São Paulo: Candeia, 2000 pag.320]. Por causa disso, Deus os alertou:

1. Tendes desviado do caminho: Desvio, afastamento, deserção e rebelião têm o mesmo sentido e aplicam-se perfeitamente ao contexto. O sacerdócio era uma vocação santa, que envolvia pureza, responsabilidade, bom testemunho, zelo e amor. Os olhos da nação estavam dia e noite sobre os “pormenores” da vida dos sacerdotes; afinal de contas, eles representavam o povo diante de Deus. Eles eram de fundamental importância para a sociedade: Porque os lábios do sacerdote devem guardar o conhecimento, e da sua boca devem os homens procurar a instrução, porque ele é mensageiro do SENHOR dos Exércitos (Ml 2:7). Porém, havia algo de errado acontecendo: ... vós vos tendes desviado do caminho (2:8). Todo sacerdote tinha absoluto conhecimento de como deveria proceder em seu ministério, contudo, o declínio de tão nobre vocação era evidente. “Os sacerdotes haviam perdido todo e qualquer respeito pelo nome de Deus, e em sua avidez só ofereciam sobre o altar animais doentes e defeituosos” [WILKINSON, B. &; BOA, K. Descobrindo a Bíblia. São Paulo: Candeia, 2000 pag. 323]. Estes haviam esquecido de que com Deus não se brinca! Haviam trocado a honestidade pela injustiça, a vida pela morte, a luz pelas trevas. Os líderes do povo de Deus não mais se contentavam em seguir os caminhos do Senhor com fidelidade. O deus deste século lhes cegou o entendimento (II Co 4:4). Agora, nada mais eram do que meros cegos guiando a outros para o precipício.

2. Tendes feito tropeçar a muitos: O desvio dos sacerdotes da lei de Deus culminou no desvio do povo. “Já era terrível os sacerdotes estarem transgredindo a lei, mas, além disso, estavam levando outros a tropeçar (Ml 2:8)” [WIERSBE, W. W. Comentário Bíblico Expositivo: Antigo Testamento. Santo André: Geográfica, 2006, Vol. 4 pag. 593]. À semelhança do que muito acontece em nossos dias, o veneno mortífero da mentira destilava dos lábios de quem deveria pronunciar a palavra de Deus, que é a fonte ilimitada da verdade. Observe a repreensão de Deus: ... por vossa instrução, tendes feito tropeçar a muitos (2:8). A situação era muito grave. Não se deve, em hipótese alguma, fazer uma só pessoa tropeçar e se afastar de Deus, porque, ao culpado, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma pedra de moinho, e se submergisse na profundeza do mar (Mt 18:6). Querendo ou não, todo líder influencia de forma positiva ou negativa seus liderados. Cristo deixou isso muito evidente ao afirmar: Porque eu vos dei exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também (Jo 13:15). Seguindo o mesmo raciocínio, Paulo escreveu a Timóteo: Ninguém despreze a tua mocidade, mas sê um exemplo para os fiéis na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza (I Tm 4:12). Precisa-se de exemplos, aliás, de bons exemplos! Bons exemplos os pastores devem ser; os professores da Escola Bíblica devem ser; os líderes das crianças, da mocidade, das senhoras e dos senhores devem ser; bom exemplo é o que cada cristão, líder ou não, deve ser. Sejamos bons exemplos!

3. Violastes a aliança de Levi: Os levitas, em seus vários ramos, receberam a incumbência de zelar, exclusivamente, pelas coisas concernentes ao sacerdócio. É nisso que consiste a aliança proferida em Malaquias 2:5: Minha aliança com ele foi de vida e paz. Somente os descendentes de Arão (um ramo dos levitas) podiam ser sacerdotes (Lv 1:5). Os outros ramos serviam como assistentes, realizando tarefas servis, sujas e difíceis (Nm 18:2-4) [CHAMPLIN, R. N. O Antigo Testamento interpretado: versículo por versículo. São Paulo: Candeia, 2000, Vol 5. pag. 3708]. Portanto, como sacerdotes ou como auxiliares, os levitas tinham de zelar, fielmente, pelo pacto que haviam feito com Deus. Nas “cláusulas” do pacto, havia deveres, tais como: obediência, temor e zelo. Seguir esses princípios significava vida e paz por parte de Deus (Ml 2:5; Nm 25:12-13). Entretanto, a aliança de Levi foi violada, diz o Senhor dos exércitos (Ml 2:8). O verbo “violar” significa corromper moralmente (Gn 6:12), destruir (Ml 3:11) [BALDWIN, J. G. Ageu, Zacarias e Malaquias: introdução e comentário. São Paulo: Vida Nova e Mundo Cristão, 1982 pag. 198]. Os sacerdotes haviam se corrompido e tornado em pedaços a aliança de Levi. “A casta sacerdotal foi criada para servir ao povo, em questões espirituais, não para servir a si mesma, aumentando riquezas e praticando prazeres proibidos. Os sacerdotes ‘profanaram’ o culto e a eles mesmos, violando a legislação mosaica pela qual deveriam ter dirigido sua vida” [CHAMPLIN, R. N. O Antigo Testamento interpretado: versículo por versículo. São Paulo: Candeia, 2000, Vol 5. pag. 3708]. Eles escolheram o caminho mais curto; porém, o mais perigoso para se promoverem. Muitos imaginam que praticando o pecado às escondidas, não serão punidos; afinal de contas, ninguém saberá. Mas Deus tudo vê. Ninguém pode enganá-lo! Deus os punirá.

4. Eu vos fiz desprezíveis: De tudo o que vimos, até aqui, podemos entender que tais sacerdotes já não mais estavam no nível de representar o Deus Santo, pois suas mentes eram más, seus pés caminhavam tortuosamente, suas mãos eram manchadas de propinas e seus lábios, contaminados com falsidade. Eles “acrescentaram a perversão do seu ofício como juízes do povo, aceitando subornos, pisando os pobres e fracos, favorecendo os ricos e poderosos, dando e aceitando julgamentos falsos nas cortes, apoiando a causa dos injustos, ignorando as causas justas, aprovando os maldosos e perseguindo os justos” [CHAMPLIN, R. N. O Antigo Testamento interpretado: versículo por versículo. São Paulo: Candeia, 2000, Vol 5. pag. 3708]. Por isso e muito mais, Deus não somente os desprezou como também os fez desprezíveis (Ml 2:9). A classe sacerdotal ficou desacreditada perante a sociedade. As pessoas passaram a entender que os sacerdotes não mais eram dignos de confiança. Seus nomes estavam “sujos na praça”. Deus nunca vai dar honra a quem o desonra; nunca beneficiará o injusto e nem promoverá a quem passa por cima de suas ordens; não elogiará os repreensíveis. Infelizmente, “estamos vivendo uma crise moral na liderança evangélica brasileira: pastores caindo em adultério, pastores abandonando a sã doutrina, escândalos de toda sorte irrompendo dentro das igrejas” [LOPES, H. D. Malaquias: a igreja no tribunal de Deus. São Paulo: Hagnos, 2006 pag. 56]. Há muitos pastores e líderes sérios e zelosos na obra de Deus que merecem crédito. A estes, Deus não despreza, mas honra, por meio de um ministério frutífero. Na vida cristã, há uma palavra que merece destaque: cuidado. Todos, independentemente de sermos líderes ou liderados, de sermos pastores ou ovelhas, devemos nos acautelar para não nos desviarmos do caminho. Tomemos o devido cuidado para não sermos o principal motivo do afastamento das pessoas; para não descumprirmos o compromisso que fizemos com o nosso Deus, a fim de que tenhamos vida e paz; para não nos tornarmos desprezíveis a Deus e à sociedade. A vida dos sacerdotes da geração de Malaquias reflete muito bem a vida de muitas pessoas da nossa geração. Mas ainda dá para mudar! Ainda é possível o arrependimento!

PRATICANDO A PALAVRA DE DEUS

Ensinemos corretamente a palavra do Senhor - Os sacerdotes, sem sombra de dúvida, eram exímios conhecedores da palavra do Senhor; porém, não a ensinavam corretamente. Eles a usavam não para levar as pessoas ao arrependimento, mas, sim, para se beneficiar. Eles deturpavam o ensino e ludibriavam o povo. Não incorramos no mesmo erro! Ensinemos a palavra do Senhor corretamente e sem segundas intenções! Ensinar a palavra de Deus com motivações erradas constitui-se um terrível pecado. Se quisermos ver Deus agir nas pessoas, é necessário que lhes ensinemos a verdade do evangelho.

Sejamos comprometidos com a palavra do Senhor - Os sacerdotes contemporâneos a Malaquias foram responsáveis pelo afastamento de muita gente dos retos caminhos de Deus. Eles tinham conhecimento da Palavra e tinham livre acesso a ela, mas faltava-lhes comprometimento com a mesma. Para eles, importava mais ter dinheiro (propina) no bolso do que bom nome na praça. É preciso que haja cristãos comprometidos com a palavra de Deus e com o Deus da palavra; cristãos que não aceitem nenhum tipo de propina para mudar os rumos da pregação; cristãos que, antes de obedecer a homens, obedeçam a Deus. Quem são esses cristãos? Somos nós! Sejamos comprometidos!

Sejamos irrepreensíveis na palavra do Senhor(...) sê um exemplo para os fiéis na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza (I Tm 4:12). Esse é o conselho de um pastor para uma ovelha e de uma ovelha para um pastor, de um pai (na fé) para um filho, de um amigo para o outro, de irmão para irmão. Paulo estava alertando a seu nobre companheiro, Timóteo, a não cair na “mesmice” e a não ficar preso às cadeias da “teoria”. Ser cristão autêntico não é apenas portar uma Bíblia nas mãos e ir à igreja, mas é deixar-se levar por ela! É ser um modelo de vida que agrade a Deus. O que as pessoas têm imaginado ao olharem para você? O seu nome está limpo na praça? Você ainda está vivendo da teoria ou praticando o cristianismo autêntico? Fuja do caminho do desvio. Seja irrepreensível na palavra. Pense nisso.

CONCLUSÃO

É possível que, você tenha se lembrado de alguma(s) pessoa(s) ou imaginado a si mesmo em algum período da sua vida. Há muitos beirando o abismo do desvio. Há muitas pessoas desiludidas por causa dos falsos cristãos, os quais são “péssimos exemplos” nesta geração. Infelizmente, o “vírus” do descrédito está adoecendo a muitos. Porém, há uma cura! Há um “antídoto” contra a falta de princípio e de valores morais: Jesus Cristo! Pela sua Palavra é possível haver firmeza espiritual nas pessoas; é possível haver líderes preocupados em temer a Deus; é possível haver uma igreja santa, servindo ao Deus santo.

Que Deus nos ajude e nos abençoe!


LEIA + SOBRE O LIVRO DE MALAQUIAS AQUI

***

DEC - PC@maral

Nenhum comentário:

Todos os comentários serão moderados. Me reservo o direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.


..

Tecnologia do Blogger.