Header Ads

O Batismo no Espírito Santo

E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder. (Lucas 24:49)



Uma das doutrinas principais das Escrituras é o batismo no Espírito Santo. Por intermédio do Espírito Santo, Deus se manifesta de maneira singular entre o povo de Sua Igreja. Assim, podemos dizer que o Espírito Santo é o agente divino para o serviço do Senhor, revestindo os cristãos de poder para realizar a obra do Senhor e dar testemunho dEle; mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra. (Atos 1:8). Esta obra relaciona-se com o batismo ou com a plenitude do Espírito Santo. Vejamos, então, no que consiste o Batismo no Espírito Santo.

I- O QUE É BATISMO NO ESPÍRITO SANTO

O batismo no Espírito Santo constitui a realização da promessa do Pai que reveste os cristãos de poder divino; Eis que envio sobre vós a promessa de meu Pai; permanecei, pois, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder. (Lc. 24:49). Quando a palavra “batismo” é aplicada à experiência espiritual do cristão, é usada figuradamente para descrever a imersão no poder vitalizante do Espírito Santo. Leia mais sobre o significado da palavra batismo aqui.

II- O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO NAS PROFECIAS

No Antigo Testamento, Deus falava através dos profetas, para anunciar as coisas vindouras. Vejamos algumas profecias a respeito do Batismo no Espírito Santo.

1 - O profeta Joel fala desse derramamento 750 a.C:

E acontecerá, depois, que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos velhos sonharão, e vossos jovens terão visões; até sobre os servos e sobre as servas derramarei o meu Espírito naqueles dias. (Joel 2:28-29)

O profeta Joel é direto e refere-se aos que seriam revestidos por esse derramamento:

a) toda a carne (a promessa não estava limitada a um povo);
b) os filhos(as) e anciões (a promessa não seria limitada a uma geração);
c) os servos (as), ou seja escravos (a promessa não discrimina classe social).

2 - O profeta Isaías também vaticinou a respeito do Espírito Santo:

Porque derramarei água sobre o sedento e torrentes, sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade e a minha bênção, sobre os teus descendentes; (Is. 44:3)

A linguagem do profeta Isaías era do conhecimento do escriba, do sacerdote, mas também poderia compreendê-lo o humilde camponês agricultor. Assim, todos que sabiam da importância da chuva para a terra, a fim de estar preparada para a lavoura, poderiam entender que obra semelhante Deus faria realizar pelo Espírito Santo na vida da igreja. O Senhor tiraria a igreja de um estado de sequidão espiritual, de desolação, para ser uma lavoura bem regada e produtiva; Atentai para a minha repreensão; eis que derramarei copiosamente para vós outros o meu espírito e vos farei saber as minhas palavras. (Pv. 1:23).

3 - O profeta Zacarias se referiu à promessa mencionando o tempo do cumprimento:

Pedi ao SENHOR chuva no tempo das chuvas serôdias, ao SENHOR, que faz as nuvens de chuva, dá aos homens aguaceiro e a cada um, erva no campo. (Zc. 10:1)

Zacarias usa o símbolo da chuva serôdia e menciona o tempo, mesmo sem determiná-lo. A chuva temporã e serôdia cai na estação da semeadura e da colheita do grão. Quando a Bíblia se refere a essas chuvas no símbolo do Espírito Santo, une as duas em ação conjunta e chama: a chuva temporã e serôdia; Alegrai-vos, pois, filhos de Sião, regozijai-vos no SENHOR, vosso Deus, porque ele vos dará em justa medida a chuva; fará descer, como outrora, a chuva temporã e a serôdia. (Jl. 2:23). Isto porque do modo como a mesma chuva pode ser serôdia para uma espécie de lavoura, pode também ser temporã para outra espécie. *[Serôdia quer dizer que vem tarde, fora do tempo, tardio, ao final da estação. É aplicado tanto para a chuva quanto para o fruto que aparece no fim da estação devida]

4 - João Batista confirmou a profecia:

Eu vos batizo com {com; ou em} água, para {para; ou à vista de} arrependimento; mas aquele que vem depois de mim é mais poderoso do que eu, cujas sandálias não sou digno de levar. Ele vos batizará com {com; ou em} o Espírito Santo e com {com; ou em} fogo. (Mt. 3:11)

Eu vos tenho batizado com {com; ou em} água; ele, porém, vos batizará com {com; ou em} o Espírito Santo. (Mc. 1:8)

Cerca de três anos e meio antes do cumprimento da profecia de Joel, João Batista profetizou também sobre este assunto. Ao ser comissionado por Deus para uma missão especial, João iniciou sua obra pregando o batismo do arrependimento, porém ele já anunciava um que batizaria com o Espírito Santo e com fogo.

5 - Jesus testificou que ele mesmo cumpriria Sua promessa:

Eis que envio sobre vós a promessa de meu Pai; permanecei, pois, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder. (Lc. 24:49)

E, comendo com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, a qual, disse ele, de mim ouvistes. Porque João, na verdade, batizou com {com; ou em} água, mas vós sereis batizados com {com; ou em} o Espírito Santo, não muito depois destes dias. Então, os que estavam reunidos lhe perguntaram: Senhor, será este o tempo em que restaures o reino a Israel? Respondeu-lhes: Não vos compete conhecer tempos ou épocas que o Pai reservou pela sua exclusiva autoridade; mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra. (Atos 1:4-8)

Cerca de oito dias antes do cumprimento da promessa do derramamento do Espírito Santo, o próprio Jesus profetizou. Lucas então narra com mais detalhes a profecia de Jesus a respeito do batismo. O Senhor Jesus confirmou toda a Palavra profética prometendo, Ele mesmo, que os seus seguidores seriam batizados no Espírito Santo “não muito depois daqueles dias”.

III- O CUMPRIMENTO DA PROFECIA

1 - O Espírito Santo seria dado após a glorificação de Jesus:

No último dia, o grande dia da festa, levantou-se Jesus e exclamou: Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva. Isto ele disse com respeito ao Espírito que haviam de receber os que nele cressem; pois o Espírito até aquele momento não fora dado, porque Jesus não havia sido ainda glorificado. (Jo. 7:37-39)

Exaltado, pois, à destra de Deus, tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vedes e ouvis. (Atos 2:33)

O tempo para o cumprimento da promessa do batismo no Espírito Santo estava condicionado à volta de Jesus ao Pai e Sua glorificação; Mas eu vos digo a verdade: convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei. (Jo. 16:7). Pedro conhecia muito bem esta doutrina, porque no Pentecostes ele a confirmou.

2 - O Batismo no Espírito Santo ocorreu no dia de Pentecostes:

Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem. (Atos 2:1-4)

O Pentecostes era o tempo marcado por Deus para o cumprimento dessa profecia. Nas festas de Israel, era a terceira delas, começando com a Páscoa e as Primícias. Todas elas estão relacionadas ao plano de Deus.

A Páscoa cumpriu-se com a morte de Jesus, cordeiro pascoal: Lançai fora o velho fermento, para que sejais nova massa, como sois, de fato, sem fermento. Pois também Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi imolado. (I Co 5:7).

As Primícias se cumpriram com a ressurreição de Jesus dentre os mortos: Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem. Visto que a morte veio por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos mortos. Porque, assim como, em Adão, todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo. Cada um, porém, por sua própria ordem: Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na sua vinda. (I Co 15:20-23)

O Pentecostes acontecia 50 dias depois a contar do dia 16 de Abibe: Disse mais o SENHOR a Moisés: Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Quando entrardes na terra, que vos dou, e segardes a sua messe, então, trareis um molho das primícias da vossa messe ao sacerdote; este moverá o molho perante o SENHOR, para que sejais aceitos; no dia imediato ao sábado, o sacerdote o moverá. No dia em que moverdes o molho, oferecereis um cordeiro sem defeito, de um ano, em holocausto ao SENHOR. A sua oferta de manjares serão duas dízimas de um efa de flor de farinha, amassada com azeite, para oferta queimada de aroma agradável ao SENHOR, e a sua libação será de vinho, a quarta parte de um him. Não comereis pão, nem trigo torrado, nem espigas verdes, até ao dia em que trouxerdes a oferta ao vosso Deus; é estatuto perpétuo por vossas gerações, em todas as vossas moradas. Contareis para vós outros desde o dia imediato ao sábado, desde o dia em que trouxerdes o molho da oferta movida; sete semanas inteiras serão. Até ao dia imediato ao sétimo sábado, contareis cinqüenta dias; então, trareis nova oferta de manjares ao SENHOR. (Lv. 23:9-16), que era um dia depois da Páscoa.

Assim o Senhor Jesus foi morto, sepultado e ressuscitou ao terceiro dia. Passou 40 dias com os discípulos e foi levado aos céus: Escrevi o primeiro livro, ó Teófilo, relatando todas as coisas que Jesus começou a fazer e a ensinar até ao dia em que, depois de haver dado mandamentos por intermédio do Espírito Santo aos apóstolos que escolhera, foi elevado às alturas. (Atos 1:1,2). Completados os 50 dias, acontecia a festa do Pentecostes em Jerusalém; Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; (Atos 2:1). Foi exatamente nesse tempo que a promessa foi cumprida, estando os discípulos reunidos no cenáculo.

IV- A EVIDÊNCIA DO BATISMO NO ESPÍRITO SANTO

Como sabemos que a pessoa recebeu o revestimento sobrenatural do Espírito Santo? Em outras palavras: Qual é a evidência de que a pessoa recebeu o batismo no Espírito Santo? O livro de Atos dos Apóstolos registra muitos casos de pessoas que receberam o batismo no Espírito Santo e descreve os resultados que se seguiram.

Admitimos que em todos os casos mencionados no livro de Atos, os resultados do revestimento não são registrados; mas onde os resultados se seguiram são descritos, sempre houve uma expressão imediata, sobrenatural, e exterior, convincente, não somente para quem recebeu, mas também para o ouvinte, de que um poder divino imperava nessa pessoa; e em todos os casos houve um falar sobrenatural numa língua que essa pessoa nunca havia aprendido; Pois quem fala em outra língua não fala a homens, senão a Deus, visto que ninguém o entende, e em espírito fala mistérios. (I Co. 14:2). Vejamos alguns exemplos:

1 - Em Jerusalém:

Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem. (Atos 2:1-4)

Lucas, o escritor de Atos dos Apóstolos, fez questão de frisar detalhadamente a manifestação do Espírito Santo: além do som de um vento forte e chamas de fogo, a verdadeira prova de estarem cheios do Espírito Santo foi o falar línguas desconhecidas.

2 - Em Samaria:

Ouvindo os apóstolos, que estavam em Jerusalém, que Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram-lhe Pedro e João; os quais, descendo para lá, oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo; porquanto não havia ainda descido sobre nenhum deles, mas somente haviam sido batizados em o nome do Senhor Jesus. Então, lhes impunham as mãos, e recebiam estes o Espírito Santo. Vendo, porém, Simão que, pelo fato de imporem os apóstolos as mãos, era concedido o Espírito [Santo] ofereceu-lhes dinheiro, propondo: Concedei-me também a mim este poder, para que aquele sobre quem eu impuser as mãos receba o Espírito Santo. Pedro, porém, lhe respondeu: O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois julgaste adquirir, por meio dele, o dom de Deus. (Atos 8:14-20)

A ausência da citação de línguas aqui não é prova em contrário ao sinal, porque ele aparece em narrativa de modo subjetivo. O versículo 18 deixa isto bem claro, pois Simão viu e, naturalmente, ouviu algo diferente do natural naquele momento e desejou ter o direito de impor as mãos sobre as pessoas, para que elas fossem batizadas. Esse interesse do mágico é prova suficiente de que os novos cristãos falaram outras línguas.

3 - Em Cesaréia:

Ainda Pedro falava estas coisas quando caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, que vieram com Pedro, admiraram-se, porque também sobre os gentios foi derramado o dom do Espírito Santo; pois os ouviam falando em línguas e engrandecendo a Deus. Então, perguntou Pedro: Porventura, pode alguém recusar a água, para que não sejam batizados estes que, assim como nós, receberam o Espírito Santo? E ordenou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo. Então, lhe pediram que permanecesse com eles por alguns dias. (Atos 10:44-48)

Pedro, em casa de Cornélio, evangelizando os gentios em meio de seu discurso caiu o Espírito Santo sobre os ouvintes; os judeus convertidos que acompanhavam Pedro se maravilharam ao ouvir os gentios falando línguas e magnificando a Deus.

4 - Em Éfeso:

Aconteceu que, estando Apolo em Corinto, Paulo, tendo passado pelas regiões mais altas, chegou a Éfeso e, achando ali alguns discípulos, perguntou-lhes: Recebestes, porventura, o Espírito Santo quando crestes? Ao que lhe responderam: Pelo contrário, nem mesmo ouvimos que existe o Espírito Santo. Então, Paulo perguntou: Em que, pois, fostes batizados? Responderam: No batismo de João. Disse-lhes Paulo: João realizou batismo de arrependimento, dizendo ao povo que cresse naquele que vinha depois dele, a saber, em Jesus. Eles, tendo ouvido isto, foram batizados em o nome do Senhor Jesus. E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e tanto falavam em línguas como profetizavam. Eram, ao todo, uns doze homens. (Atos 19:1-7)

Vinte anos depois do dia do Pentecostes, o batismo com o Espírito Santo ainda fazia parte integrante da pregação apostólica. O pequeno grupo batizado por Apolo, segundo o batismo de João, pela imposição das mãos de Paulo recebeu o batismo no Espírito Santo “e falavam em línguas e profetizavam”.

V- COMO RECEBER O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO

1 - Precisamos crer em Cristo:

Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados. (Mc. 16:17-18)

Para receber o batismo no Espírito Santo, o indivíduo tem que crer em Jesus, pois é impossível que uma pessoa que não creia nEle receba esse batismo. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco, o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não no vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós. (Jo.14:16-17) O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. (Rm. 8:16)

2 - Devemos obedecer a Deus:

Ora, nós somos testemunhas destes fatos, e bem assim o Espírito Santo, que Deus outorgou aos que lhe obedecem. (Atos 5:32)

O texto é enfático: Deus só pode conceder esse dom àqueles que lhe obedecem. Se existe qualquer elemento de rebelião no coração do indivíduo, primeiro terá de acertar as contas por meio de uma entrega total a Deus, confessando seus pecados e sendo purificado dos mesmos. Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para não poder ouvir. Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça. (Is. 59:1-2) Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. (I Jo. 1:7)

3 - Devemos pedir o Espírito Santo:

Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem? (Lc. 11:13)

Aqui se vê a bondade, a generosidade, a disposição e a imparcialidade do nosso Pai celestial. Ele pode dar o Espírito Santo a todos os que lho pedirem; Pois para vós outros é a promessa, para vossos filhos e para todos os que ainda estão longe, isto é, para quantos o Senhor, nosso Deus, chamar. (Atos 2:39).

4 - Devemos crer:

Isto ele disse com respeito ao Espírito que haviam de receber os que nele cressem; pois o Espírito até aquele momento não fora dado, porque Jesus não havia sido ainda glorificado. (Jo 7:39)

para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios, em Jesus Cristo, a fim de que recebêssemos, pela fé, o Espírito prometido. (Gl 3:14)

A fé em Deus consiste numa total ausência de dependência de nós mesmos ou de outros, e no conhecimento de que só Deus tem aquilo de que precisamos e desejamos. Temos de acreditar que ele dará seus dons de graça, e que dará livremente na medida em que satisfizermos as condições por ele impostas e pedirmos individualmente os dons prometidos.


DEC
PCamaral



Nenhum comentário:

Todos os comentários serão moderados. Comentários com conteúdo fora do assunto ou do contexto, não serão publicado, assim como comentários ofensivos ao autor.

Tecnologia do Blogger.