Header Ads

A Bússola da Vida [2]

E os teus ouvidos ouvirão a palavra do que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda. (Isaías 30:21)

Por Jailton Souza

No artigo anterior vimos que a Bíblia, a bússola da vida, é o nosso principal instrumento na luta contra o mal. Neste, veremos como nos relacionar com ela.

O nosso relacionamento com a Bíblia deve ser o mais íntimo possível. Isso significa que devemos abri-la, folheá-la, esquadrinhá-la, em busca da verdade. Infelizmente, a nossa sociedade não tem um hábito muito eficaz de leitura. Uma pesquisa realizada pela Fecomércio do Rio de Janeiro aponta que, em relação ao ano de 2007, o brasileiro hoje lê menos livros. Entre os que desfrutaram de hábitos como, ler um livro, assistir a um filme no cinema, visitar exposições, ir ao teatro e a espetáculos, apenas, 23% disseram ter lido um livro. A leitura, porém, parece estar cada vez mais em desuso, pois dois anos antes [2005], a mesma atividade era confirmada por 31% das pessoas consultadas [http://www.cultura.gov.br/site/2010/02/22/brasileiro-le-menos-que-ha-dois-anos-diz-pesquisa/ acessado em 26 de julho de 2010].

O hábito do cristão em relação à leitura da Bíblia deve ser o contrário da estatística apresentada. O salmista escreve: Como suspira a corça pelas correntes das águas, assim, por ti, ó Deus, suspira a minha alma (Sl 42:1). Quem busca ao Deus da palavra, ansiosamente busca a palavra de Deus. Seremos bem-aventurados se a ingerirmos, nos deleitarmos em seu sabor, não nos importando, todavia, se ela se apresentar amarga ao estômago ou doce como mel ao paladar (Ap 10:9). A Palavra é viva, eficaz e discerne os propósitos do coração humano (Hb 4:12). Mas o seu poder vai mais além. Ela nos vivifica, nos torna eficazes e muda os propósitos do nosso coração! Portanto, amado irmão e irmã, adote o hábito de ler a Bíblia.

Não interessa se em voz alta ou em silêncio, apenas leia. Deus falará com você através dela. Os seus olhos se abrirão para os horizontes da vida. Renuncie momentos de entretenimento por momentos de conhecimento; momentos de diversão por momentos de comunhão. Faça conforme o conselho do profeta Isaías que diz: Buscai no livro do Senhor e lede (Is 34:16). Medite e reflita dia e noite em cada frase e em cada palavra da Bíblia, pois quem assim age, é como àrvore plantada à beira de águas correntes: dá fruto no tempo certo e suas folhas não murcham...(Sl 1:3).

A Bíblia é o mapa que nos conduz ao caminho das coisas excelentes (Tt 3:8). É remédio que alivia a dor e cura a alma. A palavra de Deus deve ser inculcada aos filhos em todo o tempo e em todo lugar (Dt 6:6-9). Deve ser um exercício da memória. Falando nisso, lembramos: A Bíblia é a palavra de Deus e palavra de Deus é coisa séria! Quem a examina com intuito de adquirir conhecimento, defender um ponto de vista, preparar um sermão ou, simplesmente buscar a Deus por meio das sagradas letras, deve fazê-lo com muita responsabilidade. Tenha muito cuidado para não distorcer o real sentido da revelação divina!

Erramos quando não levamos isso em consideração. A palavra não é superficial, mas profunda. Ela é leite para a criança, mas também, alimento sólido para o adulto. É muito perigoso estudarmos a Bíblia pela ótica míope e infundada das tradições humanas. Faça melhor, ore antes. Peça ao Senhor:
“Afasta de mim o absurdo de querer que a Palavra se curve diante de mim, para ser usada a meu bel-prazer. Obriga-me, antes, a me curvar diante dela, seja qual for a sua mensagem, o seu ensino, o seu julgamento, o seu recado”[CÉSAR, Elben M. Lenz. Súplicas de um necessitado: oração e vigilância. 2 ed. Viçosa, MG: Ultimato, 2007, pg. 29].
A palavra de Deus tem um grande propósito para nós e precisamos desejá-lo e buscá-lo.

O propósito primordial da Bíblia não é científico, embora contenha fatos dessa natureza; não é intelectual, apesar de nos tornar sábios; não é literário, apesar de conter uma literatura esplêndida; não é filosófico, embora revele “vestígios” da sabedoria de Deus. Ela ensina, repreende, corrige e instrui na justiça, tornando-nos aptos para toda a boa obra (2 Tm 3:16,17), porém, a salvação humana é o seu foco principal (2 Tm 3:15).

“A Bíblia não é, portanto, basicamente um livro de ciência, nem de literatura, nem de filosofia, mas de salvação” [STOTT, Jhon. Entenda a Bíblia. São Paulo: Mundo Cristão, 2005, pg. 15]. Portanto, vale a pena examiná-la e buscar, em suas palavras, crescimento espiritual. Acredite: a palavra jamais voltará vazia (Is 55:10-11).

Ela é capaz de produzir mudanças significativas em você!

Que Deus nos abençoe!


Fonte: Jailton Sousa Silva compartilhado no PCamaral

Nenhum comentário:

Todos os comentários serão moderados. Comentários com conteúdo fora do assunto ou do contexto, não serão publicado, assim como comentários ofensivos ao autor.

Tecnologia do Blogger.