Header Ads

Animadores de Culto


O dia é domingo, um número incalculável de programas de auditório acontecem ao longo deste dia. São diversos canais de TV, isso sem contar o dia anterior, o sábado, uma batalha, uma concorrência acirrada, uma guerra por audiência é travada sem dó nem piedade, tudo para atrair nossa atenção. Cada um desses programas faz de tudo para mostrar ao público que é melhor do que o da emissora concorrente.

O nosso assunto gira em torno de um profissional extremamente importante em todos estes programas. No passado, passava quase despercebido, hoje, tomou uma posição de destaque, afinal, as pessoas estão mais exigentes e ao mesmo tempo desconcentradas do ambiente em que se encontram, este profissional é o animador de platéia, sua missão principal: fazer com que todos fiquem “ligados” e participem ativamente de todos os blocos da programação.

Com muita extroversão dirige o auditório nos momentos em que devem rir, gritar, levantar, bater palmas, ovacionar os convidados e até mesmo irem ao delírio, dependendo do convidado do dia. Ele é contratado para fazer do programa “um sucesso de auditório”, o programa que tem o “auditório mais alegre e extrovertido”, tudo isso para alcançar mais audiência e assim atrair mais patrocinadores. Sem esse personagem todos os programas seriam uma chatice só, afinal, as “atrações” são de dar dó.

Na igreja, por mais incrível que pareça, este profissional começa a se apresentar. Podemos até chamá-los de “diretores animadores de culto” e, pasmem, até “pastores animadores”. Pulam, sapateiam, comandam a “platéia”. Dirigem o público para baterem palmas, glorificarem, chorarem, levantarem as mãos, ensaiam estarem em estado de contrição sem sequer derramar uma lágrima.

Tudo isso com a clara intenção de levar o crente a crer que o culto foi uma bênção. Todos saem felizes da vida, elogiando a performance,  levando consigo o convite para que regressem pois "aqui o culto é melhor do que na igreja ao lado". Isso dá certo lá fora, no mundo, mas, aqui dentro, na Igreja de Cristo, em um culto solene, as coisas são bem diferentes. E quais sinais esta figura nos dá de que está dirigindo a reação da platéia?

1 – Não tem nenhuma unção: Geralmente essas pessoas trabalham o emocional dos irmãos que participam do culto. Não estão ali para dar graças ao Senhor pela semana que passou e de todos os livramentos e bênçãos que recebemos ao longo dela, nem para engrandecer o nome do Senhor. Pode até parecer, mas a intenção verdadeira está oculta, o objetivo está maquiado de piedade. E como não se prepara espiritualmente, pois confia mais em um roteiro do que na ação do Espírito Santo, sobre ele e sobre a igreja, lança mão e artifícios que emocionem as pessoas e as levem a um êxtase que não tem nada a ver com adoração legitima ao Senhor.

2 – Usa técnicas de oratória humana: Como não tem unção sua leitura simples de um texto bíblico não comove ninguém, ele próprio não se comove. Entra em cena então a representação do texto. Como a narrativa de um locutor de rádio, entonação de voz, frases colocadas no “momento certo”, destaque nas passagens mais dramáticas, faz tudo isso para levar seus ouvintes a uma resposta emocional. Apela para todos os sentidos: audição, visão e tato, sua intenção é “contaminar” o maior numero de fiéis com sua oratória. Emoção é seu objetivo primordial.

3 – Forçando uma resposta: Assim como o profissional que anima a platéia de um programa de auditório para confirmar, pela sua manifestação, que a próxima atração é um sucesso e que todos aguardavam ansiosos por ela, assim esse “diretor animador de culto” faz com a igreja. Para que o “público” da igreja responda satisfatoriamente a sua “interpretação” do texto bíblico lido anteriormente e responda com a emoção incutida por ele nas pessoas, no momento do louvor ele entra em cena com a “regência” da platéia. O ministro de louvor perde, quando ele está a frente, sua importante missão de ministrar para a igreja, pois “ele” toma conta: bate palmas com entusiasmo para que vejam e o imitem, levanta as mãos em contrição e humildade, glorifica e incentiva aos outros que o faça também. Quando alguém, que nem está olhando para suas “presepadas”, é revestido pelo poder Espírito Santo e adora com mais fervor ao Senhor, ele se realiza, deve pensar no intimo: vitória minha! Valeu meu esforço!

4 – Testemunho fora: Quando está a frente da “direção animação” é extremamente fervoroso, faz “caras e bocas” pois está de frente com a igreja, no entanto, fora do programa extingui-se todo aquele “fervor”. Difícil ouvir de seus lábios um Glórias a Deus, um Aleluia! Se não o conhecêssemos diríamos que se trata de um “visitante” da igreja. Ou circula pelos corredores ou está se alimentando, não de palavra, mas de comida mesmo, pois seu “deus estomago” já reclamou uma vez. Enfim, não passa de um animador de auditório em um momento de folga.

5 - Não tem conteúdo bíblico prático: É impressionante como conhece uma multidão de versículos bíblicos. Sabe recitá-los na ponta da língua e não se cansa de tagarelar dando conselhos e orientações a seus “seguidores” que amam suas “apresentações”. Contudo, não praticam o que pregam, muito pelo contrário, fora da igreja e fora da direção, [conforme descrito no item acima], dão mau testemunho da palavra do Senhor através de seus atos e práticas diversas. Em outras palavras, na igreja é um “santo” na rua é o “capeta”.

E como deve ser um Culto ao Deus Todo Poderoso?

Tenho uma visão, particular, bem clara sobre cultuar ao Senhor Deus Todo Poderoso, criador dos céus e da terra e de tudo o que nela existe. Ao longo da semana passamos grande parte de nosso tempo longe da Casa do Senhor. Alguns irmãos desfrutam o privilégio de cultuar nosso Deus em mais de um dia. No meu caso, devido a horários e de compromissos justificáveis, presto culto em um só dia, separado exclusivamente para esse fim. Qual, então, é a minha postura em relação ao Senhor? Dou sempre Graças! Adentrando ao templo dou graças porque o Senhor me permitiu mais uma vez estar, solenemente, em Sua presença. Dou graças porque sei que o Senhor me guardou ao longo da semana me mantendo vivo e me livrando de todos os perigos que rondam este mundo tenebroso. Dou graças porque o Senhor me deu saúde e força, e inteligência para meu trabalho e me deu sustento para eu e minha família. Dou graças pelo sacrifício que o Senhor fez por mim e por todas as pessoas do mundo quando tomou o meu, e o seu, lugar naquela cruz, morrendo pelos meus pecados do passado, do presente e do futuro, obrigado Senhor! Louvado e exaltado seja o Teu santo nome! Dou graças e dou testemunhos das grandezas e maravilhas que o Senhor fez, faz e fará na minha e na sua vida. Quando canto, canto as grandezas do Senhor, pois sei que nada sou senão pó e que se o Senhor não estiver comigo nada serei a não ser barro. Neste momento tenho inteira consciência de quem Deus é e de quem eu sou e o quento dependo Dele.

Cultuar a Deus, dirigir um culto, carece de uma preparação sim, não de um roteiro de movimentos e ações que levem pessoas a emoção fingida e passageira. A pessoa que vai participar de um culto solene deve preparar-se, espiritualmente e fisicamente. Primeiro em oração suplicando que Deus tenha misericórdia e o ajude dirigindo suas ações. Estudo da palavra, estudo do texto escolhido, oração, oração, oração. Suplicar pela capacitação de Deus para que seja um canal por onde Deus opera para abençoar toda a Sua igreja. Suplicar pela unção do Senhor e que seus lábios falem apenas o que o Senhor deseja falar para Sua igreja [porque quem fala ali é o Senhor e não eu, as palavras são do Senhor e não minhas]. Dar toda liberdade para o agir do Espírito Santo, para que Ele faça o que quer, no momento que quiser, e da forma como Ele quiser fazer. E mesmo que não faça nada [visível], dar graças porque o Senhor esteve conosco, e, certamente nos abençoou.

Cultuar a Deus é um ato espiritual de amor. Enquanto estivermos com nossos olhos no Senhor e verdadeiramente adorarmos em espírito e em verdade seremos, por consequência, por Ele abençoados e edificados. O contrario disso não passa de palha queimada Sem o incentivo do amor por Deus, o culto não passa de “palha”, pura “casca”, tem forma mas não tem conteúdo em amor, sendo assim está isento de qualquer valor. Pode até tornar-se em culto a Satanás. Um culto, ou adoração, que se realiza sem o objetivo de expressar e fazer aumentar nosso amor por aquele de quem e por meio de quem e para quem são todas as coisas (Rm 11:36), falha completamente. Deixa de ser culto a Deus, pois falta a essência que é o amor.

Queridos irmãos, rejeitem completamente essa “nova modalidade de direção de culto”. Não aceitem serem manipulados por homens que buscam sua própria glória, mas olhem para Jesus Cristo, aprendam com Ele, imitem seu reto procedimento e Sua simplicidade, “porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo. (Romanos 14:17), e porque “está chegando a hora, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade. São estes os adoradores que o Pai procura. Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade". (João 4:23-24).

Que Deus nos abençoe nos dando discernimento!

Leia mais artigos sobre o culto cristão aqui

Porque vamos a Igreja?


Paulo Cesar Amaral - PCamaral

Nenhum comentário:

Todos os comentários serão moderados. Comentários com conteúdo fora do assunto ou do contexto, não serão publicado, assim como comentários ofensivos ao autor.

Tecnologia do Blogger.