Header Ads

Quando Deus está no controle e tem um plano a realizar, ninguém pode impedi-lo!


Você já precisou tomar alguma atitude cujo êxito, aos seus olhos, seria impossível alcançar? Foi o que aconteceu com Neemias. Depois que soube da situação deplorável em que se encontrava Jerusalém, mostrou não ser um servo de Deus indiferente, e sonhava em reconstruir a cidade. Contudo, este era um sonho humanamente impossível de se realizar, pois ele precisava pedir ao rei persa algo que era contrário à rígida política do império. O coração do rei precisava ser mudado! Porém, em Neemias, vemos que, quando Deus está no controle e tem um plano a realizar, ninguém pode impedi-lo, e sonhos impossíveis são realizados.

Visto que a bondosa mão de Deus estava sobre mim, o rei atendeu os meus pedidos. (Ne 2:8b)

No livro de Provérbios, lemos: O coração do rei é como um rio controlado pelo Senhor; ele o dirige para onde quer (Pv 21:1). Isto significa que a vida, as decisões e as atitudes de um rei estão nas mãos do Senhor. Sabe por quê? Porque Deus é soberano! Os líderes mundiais são apenas servos do Rei dos reis, quer eles saibam, quer não (2 Cr 20:6; Rm 13:4). Deus domina sobre todos eles. De fato, a história humana não caminha sem direção. Não estamos num avião sem piloto. O Altíssimo está na cabine de comando do universo. Ele dirige a história. Ele está no controle. E o relato de Neemias 2:1-10 é prova dessa verdade.

O coração do rei e a oração do copeiro: 

Artaxerxes, o rei dos medos e dos persas, tinha fama de ser inflexível. [1] Além disso, era quase inacessível ao povo. [2] Diante dele, ninguém podia olhá-lo nos olhos sem a sua permissão. Também, nenhum súdito podia falar com o rei, sem que, primeiro, o rei lhe dirigisse a palavra. Quem ousasse desobedecer a tais regras sofreria pena de morte. Embora Neemias tivesse uma posição de destaque no palácio e atuasse na intimidade da vida do rei, nada poderia fazer quanto isso. Como chegar àquele homem tão poderoso? Neemias desejava reconstruir a sua amada cidade, mas, para isso, precisava deixar o seu posto de trabalho por um tempo e ir até lá executar a tarefa. Como fazer um pedido tão difícil assim a Artaxerxes? Certamente, o rei não iria gostar nem um pouco dessa ideia. Então, Neemias clamou a Deus, pois sabia que só ele podia mudar o coração daquele governante. Observe a oração que ele havia feito: Senhor, que os teus ouvidos estejam atentos à oração deste teu servo (...). Faze com que hoje este teu servo seja bem-sucedido, concedendo-lhe a benevolência deste homem (Ne 1:11). Em outras palavras, Neemias pediu: “Senhor, por favor, muda o coração do rei”.

Saber esperar é fundamental: 

Neemias não se apressou a ir a Jerusalém; antes, decidiu orar colocando o seu problema diante do Senhor. Contudo, logo após ele orar, sabe o que aconteceu? Absolutamente, nada! Pelo menos, não nos primeiros meses. O relato sagrado diz que o copeiro do rei começou a orar no mês de quisleu (Ne 1:1), mas a resposta só chegou no mês de nisã (Ne 2:1). Quisleu corresponde ao nosso dezembro e nisã, ao mês de abril, ou seja, no período de quatro meses, nada havia ocorrido. Ele orou, jejuou e se humilhou. Porém, passaram-se dias, semanas e meses, e nada aconteceu. Ele vivenciou a dolorosa experiência da espera. Neemias teve fé em Deus e soube esperar nele. A verdadeira fé traz “ao coração uma tranquilidade que nos impede de nos precipitar e de tentar fazer com as próprias forças aquilo que só Deus pode realizar”. [3] Assim como Neemias, precisamos saber esperar o tempo de Deus. Há dois textos bíblicos que podem nos ajudar a ficar tranquilo nesses momentos em que ficamos agitados e queremos agir na frente do Senhor; preste atenção: Aquietai-vos e vede o livramento do Senhor que, hoje, vos fará (Êx 14:13); e depois: Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus (Sl 46:10). Quando esperamos em Deus na oração, não estamos perdendo tempo, mas investindo-o da melhor maneira.

A hora certa para agir: 

Assim, quatro meses depois, num certo dia, lá estava Neemias fazendo o seu trabalho de servir o vinho ao rei, mas algo diferente aconteceu: o coração do Artaxerxes estava tão sensível que foi capaz de perceber a tristeza de seu copeiro. Deus já tinha preparado as circunstâncias! Então, o monarca lhe perguntou: Por que o seu rosto parece tão triste, se você não está doente? Essa tristeza só pode ser do coração! (Ne 2:2). Neemias ficou com muito medo. Não era para menos: na lei persa, quem demonstrasse melancolia ou desânimo diante do rei poderia ser executado. [4] Apesar do medo, Neemias tinha consciência de que aquela era a hora certa de agir e tinha a resposta na ponta da língua: Que o rei viva para sempre! Como não estaria triste o meu rosto, se a cidade em que estão sepultados os meus pais está em ruínas, e as suas portas foram destruídas pelo fogo? (Ne 2:3). Deus lhe deu sabedoria e ele usou as palavras certas, pois, embora Artaxerxes não se preocupasse com Jerusalém, os medos e os persas respeitavam muito a memória dos mortos. [5] Neemias tocou no ponto certo, quando disse: a cidade em que estão sepultados os meus pais. Desse modo, o rei lhe perguntou novamente: O que você gostaria de me pedir? (Ne 2:4).

Uma oração-relâmpago: 

Diante desta pergunta, Neemias fez uma oração. Talvez a mais rápida da Bíblia. Uma oração-relâmpago. Diz o texto: Fiz uma oração ao Deus dos céus pedindo orientação, e respondi: Se for do agrado do rei e se rei me tratar com o seu real favor, peço que me deixe ir a Judá para reconstruir a cidade. (Ne 2:4b-5 – NBV). Aquele servo de Deus esperou quatro meses para o rei persa lhe dirigir a palavra e, finalmente, o momento havia chegado. Além disso, o versículo seis afirma que a rainha estava presente. Podemos imaginar um ambiente familiar e descontraído. Não poderia haver uma ocasião mais propícia. Neemias aproveitou a oportunidade e fez o seu pedido. Há momentos na vida em que precisamos agir menos e orar mais. Contudo, há ocasiões específicas em que é fundamental agir mais do que simplesmente orar. Esse era o caso de Neemias. Porém, é importante lembrar que suas ações, naquele momento, não estavam pautadas apenas naquela “oração-relâmpago”, mas, sim, em quatro meses de intensa oração. Então, Neemias fez o pedido. Talvez, esperasse do rei uma resposta evasiva, tal como “vou pensar no assunto”. Mas Artaxerxes foi direto e disse a Neemias: Quanto tempo você ficará fora? Quando voltarás? (Ne 2:6b). Deus estava no controle!

Quem tem fé, faz planos: 

Assim finaliza o versículo seis: Aprouve ao rei enviar-me, e marquei certo prazo. Note, Neemias sabia exatamente o que pedir e também quanto tempo precisaria. Ele não apenas orou por aquela oportunidade, mas fez planos para ela. É de admirar que existam pessoas que não gostem de fazer planos e ainda chamam isso de fé. Com este personagem bíblico, aprendemos justamente o contrário: “andar pela fé não quer dizer que você deve andar sem organização ou a esmo”. Quem acredita que Deus está no controle, pela fé, já pensa no projeto e calcula os custos. Neemias estava tão certo de que iria a Jerusalém que até planejou a agenda, no caso de Artaxerxes lhe indagar sobre o tempo de sua ausência. Se formos verificar os versículos 7 e 8, vamos perceber que Neemias foi ainda além, pedindo ao monarca: Se for do agrado do rei, eu poderia levar cartas do rei aos governadores (...) para que me deixem passar (...). E também uma carta para Asafe, guarda da floresta do rei, para que ele me forneça madeira (NVI). Ele pensou nos custos da obra e anteviu os possíveis contratempos e obstáculos de sua viagem. Neemias fez uma pesquisa e descobriu que, naquela região, havia uma floresta de onde poderia extrair os recursos. O rei concordou e atendeu aos pedidos de Neemias. Mas sabe por que o rei concedeu os seus pedidos? Veja a resposta dele: O rei me concedeu, porque a boa mão do meu Deus era comigo (Ne 2:8c). Na NTLH, lemos: O rei me deu tudo o que pedi, porque Deus estava comigo. Esse foi o segredo do sucesso de Neemias, que, nesse ponto, deixava de ser o “copeiro” e passava a ser o “construtor” daquela imensa obra. Na realidade, Artaxerxes deu mais do que foi pedido, ordenando que uma escolta de oficiais do exército e de cavaleiros o acompanhasse até Jerusalém. Assim, aquele sonho humanamente impossível começava a se tornar realidade.

Aplicando a Palavra de Deus em nossa vida

1. Deus é poderoso para realizar sonhos impossíveis. Sonhar, desejar e planejar não é pecado. Desde que os nossos sonhos, desejos e planos sejam lícitos e santos, podemos e devemos entregá-los a Deus e confiar que, de acordo com a sua vontade, ele realizará os desejos daqueles que o temem (SI 145:19). Neemias tinha o sonho de reconstruir Jerusalém. Era algo humanamente impossível de se realizar, mas Deus tornou isso real. Quem sabe, você tenha um sonho que, a seus olhos, seja muito difícil de acontecer ou até mesmo impossível. Pois bem, faça como Neemias, conte tudo para Senhor em oração, ele é poderoso para realizar sonhos impossíveis (Sl 37:3-6).

2. Deus é especialista em mudar corações humanos. Existem pessoas que nos fazem sofrer: o patrão insensível, o pai severo, o filho rebelde, o cônjuge genioso, etc. Nossa tendência natural é tentar mudar o comportamento dessas pessoas, numa tarefa desgastante e infrutífera. Não cabe a nós transformar o coração das pessoas. Jamais tente mudar alguém que você considere “difícil”. Ao invés disso, o entregue ao Senhor. Ele é especialista em mudar corações humanos. Neemias confiou Artaxerxes nas mãos de Deus (Ne 1:11). Faça o mesmo! Coloque a pessoa que lhe aborrece diante Senhor. Peça que ele a transforme. Então, descanse e deixe-o cuidar disso. Ele fará mudanças que você nem imagina (cf. Ez 11:19).

3. Deus é extraordinário ao utilizar pessoas dispostas. Uma lição que fica com essa história é que Deus pode usar pessoas simples para realizar obras extraordinárias. Neemias era apenas um copeiro, mas, diante do desafio, colocou-se à disposição de Deus, e coisas magníficas aconteceram. Assim como Deus usou Neemias, pode nos usar também; basta que eu e você diga: “Estou aqui, Senhor, pode usar-me” (cf. Is 6:8). Nas mãos de Deus, o pequeno Davi derrotou o gigante Golias; o profeta Elias venceu 450 profetas de Baal, e o lanche de um garoto alimentou uma multidão. O pouco com Deus é muito, e “um” com Deus é maioria. Coloque-se à disposição do Todo-Poderoso e maravilhas poderão ocorrer através de sua vida.

Concluindo:

A oração e a espera andam juntas. E que quem espera em Deus, sabendo que ele está no controle, faz planos para o futuro. Neemias tinha um sonho: queria reconstruiu os muros de Jerusalém. Ele colocou este sonho humanamente impossível nas mãos de Deus, em oração, e esperou quatro meses pela resposta. No tempo certo, o Altíssimo agiu, mudando o coração do rei Artaxerxes e preparando o caminho para a reconstrução da cidade de Davi. Deus está no controle da história e, de forma soberana, é poderoso para realizar sonhos impossíveis, especialista em mudar corações humanos e, extraordinário ao utilizar pessoas disponíveis a ele.
Que Deus nos abençoe!

Bibliografia
1. SWINDOLL, Charles R. Vamos construir juntos! São Paulo: Candeia, 2008. pág. 43
2. BRUCE, F. F. Comentário Bíblico NVI: Antigo e Novo Testamento. São Paulo: Vida, 2009. pág. 701
3. WIERSBE, Warren W. Comentário Bíblico Expositivo: Antigo Testamento. Vol. 2. Santo André: Geográfica: 2008. pág. 621
4. SWINDOLL, Charles R. Vamos construir juntos! São Paulo: Candeia, 2008. pág. 45
5. LOPES, Hernandes Dias. Neemias: O líder que restaurou uma nação. São Paulo: Hagnos, 2006. pág. 42

DEC - PCamaral

Nenhum comentário:

Todos os comentários serão moderados. Comentários com conteúdo fora do assunto ou do contexto, não serão publicado, assim como comentários ofensivos ao autor.

Tecnologia do Blogger.