Header Ads

A trajetória descendente de Paulo

Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho. Mas, se o viver na carne me der fruto da minha obra, não sei então o que deva escolher. Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir, e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor. (Filipenses 1:21-23)

Por Justin Holcomb


Paulo refere-se a ele mesmo inúmeras vezes como um exemplo a ser “imitado” quando se trata de crescimento espiritual e maturidade (1 Co 4.16, 11.1; Fp 3.17, 4.19; 1 Ts 1.16; e 2 Ts 3.7, 9). O que vemos quando olhamos para Paulo como um exemplo? Ele faz três significantes declarações sobre ele mesmo durante seus anos no ministério que são elementos úteis da visão dele de crescimento espiritual.

O menor dos Apóstolos

No início do ministério de Paulo, durante três viagens missionárias, ele escreveu seis importantes epístolas: Gálatas, 1 e 2 Tessalonicenses, 1 e 2 Coríntios, e Romanos. Em uma delas, Paulo faz uma declaração muito humilde sobre si mesmo – “Pois sou o menor dos apóstolos e nem sequer mereço ser chamado apóstolo, porque persegui a igreja de Deus” (1 Co. 15.9). Paulo não se coloca em pé de igualdade com os outros apóstolos, como se fosse igual a eles. Em vez disso ele se denomina como “o menor dos apóstolos.” Vale a pena perceber essa dose significativa de humildade.

O Menor de Todos os Santos

Caminhando para o meio de seu ministério, durante a sua primeira prisão em Roma, Paulo escreveu Filipenses, Colossenses, Filemom, e Efésios. Em Efésios 3.8, sua humildade se aprofunda – “Embora eu seja o menor dos menores de todos os santos”. Paulo passa de “menor dos apóstolos” a “menor de todos os santos”. O que está acontecendo aqui?

O Pior dos Pecadores

No final de seu ministério e durante a sua segunda prisão em Roma, Paulo escreveu Tito e 1 e 2 Timóteo. No início de sua primeira carta a Timóteo, Paulo escreve: “Esta afirmação é fiel e digna de toda aceitação: Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o pior.” (1 Tm 1.15). Em algumas traduções diz “o principal dos pecadores”. Paulo soa como um fracasso espiritual, como se estivesse regredindo, e não progredindo, espiritualmente.

A trajetória de Paulo

Você vê na trajetória como Paulo amadurece na fé? Isso é o que acontece quando você se gloria apenas em Cristo. Sua fraqueza se torna mais evidente. Você não consegue deixar de engrandecer a Cristo e diminuir a si mesmo. Isso é maturidade de acordo com Paulo – se gloriar apenas na graça de Cristo e na nossa própria fraqueza.
Isso é maturidade de acordo com Paulo – se gloriar apenas na graça de Cristo e na nossa própria fraqueza
O verdadeiro crescimento espiritual

Paulo não está usando essa hipérbole de auto depreciação apenas como um dispositivo de ensino. Cada uma das três afirmações sobre si mesmo é cercada de referências à cruz (1 Co 15.3-4; Ef 3.7-8; e 1 Tm 1.15) e graça ou misericórdia ( 1 Co 15.10; Ef. 3.2,7; e 1 Tm 1.13-14, 16). Para ele, crescimento espiritual é perceber o tanto que ele é dependente da cruz de Cristo e da misericórdia; não é chegar a um ponto em que ele precisa menos da cruz e da misericórdia. Paulo vê a si mesmo diminuindo e a sua dependência na cruz de Cristo e em sua misericórdia aumentando.

Como você trata de maturidade espiritual? Imitando o exemplo de Paulo, haverá mais para falar sobre a profundidade e o alcance da misericórdia de Deus, e menos de sua autoconfiança, e sobre a fixação permanente à cruz de Cristo que garantiu a graça de Deus para você.

Traduzido por Marianna Brandão | iPródigo.com | Original aqui | Compartilhado no PCamaral

Nenhum comentário:

Todos os comentários serão moderados. Comentários com conteúdo fora do assunto ou do contexto, não serão publicado, assim como comentários ofensivos ao autor.

Tecnologia do Blogger.