Header Ads

Por que os homens tiram notas tão baixas em relacionamentos???

E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele. (Gênesis 2:18)

Já observou alguém que os homens são geralmente mais voltados para tarefas, enquanto as mulheres em geral são mais voltadas para relacionamentos. Descobri que isso é verdade em minha própria experiência. Quando alguém me convida para almoçar, minha primeira pergunta é: “A respeito do que você quer conversar?” Geralmente estou pensando comigo mesmo: “Se eu puder descobrir qual é o assunto em pauta, talvez consiga resolvê-lo com um telefonema de cinco minutos em vez de um almoço de uma hora”.

Quando uma das amigas de minha esposa a convida para almoçar, nenhuma pergunta é feita. As mulheres se reúnem apenas para estar juntas. Os homens acham essa idéia inconcebível. Nós trabalhamos a partir de pautas.

Deus deu aos homens a inclinação natural para tarefas. Geralmente nos referimos a isso como o imperativo da Criação ou imperativo cultural — a ordem para encher, sujeitar e dominar a terra (ver Gênesis 1:28). Quando descobrimos o equilíbrio certo entre tarefa e relacionamentos, encontramos paz. Mas quando nossos relacionamentos estão em desequilíbrio, nossas entranhas doem.

A maioria dos homens sai em busca da vida boa com idéias claras e motivos puros. Nossa meta? Melhorar o padrão de vida de nossa família. A tarefa é um meio para se atingir a um fim. Mas envolvemo-nos tanto com a tarefa — e ela pode ser excitante — que perdemos de vista o porquê de estarmos trabalhando tão arduamente. Ficamos confusos, e o que era originalmente um meio para se atingir um fim torna-se o fim em si.

A cultura em que vivemos valoriza bens e realizações mais do que pessoas e relacionamentos. A sociedade pouco faz para dissipar a nossa confusão a respeito do resultado final desejado. Em vez de encorajar e alimentar valores de família e relacionamento, nossa cultura sugere que realização profissional e sucesso financeiro dão a estatura do homem. Quando foi a última vez em que você encontrou um homem que se descrevesse em termos do impacto que está tendo sobre os filhos? Eu encontrei um.

Ao contrário, a maioria dos homens se descreve em termos de suas realizações profissionais e financeiras, por ser o que mais valorizam. Nossa cultura persuadiu a maior parte dos homens de que o significado está relacionado mais ao balancete e ao título do que a ensinar os filhos e tratar carinhosamente a esposa.
Infelizmente, somos todos egoístas. Desenvolver interesse no bem-estar de outros é uma aptidão cultivada. Sem o poder de Jesus Cristo, somente um punhado de gente estaria interessada nos outros.

Pois todos eles buscam o que é seu próprio, não o que é de Cristo Jesus (Filipenses 2:21). Entretanto, Somos exortados: Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros. Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus (Filipenses 2:4-5).

Se não cuidarmos dos nossos próprios interesses, somos loucos! Ninguém mais vai assumir responsabilidade por nossas vidas! O problema ocorre quando vivemos segundo a carne — nossa natureza pecaminosa — e apenas cuidamos de nós mesmos. Isso pode tornar-se um círculo vicioso. Se ninguém mais cuida dos meus interesses, então preciso fazê-lo. E se passo todo o meu tempo cuidando dos meus próprios interesses, então não me sobra tempo algum para ajudar outra pessoa.

Se cada homem tivesse esse mesmo ponto de vista, em que grande embrulhada este mundo não estaria! Cada qual seria uma ilha de interesse próprio. Graças a Deus que milhões de cristãos de fato cuidam dos interesses de outros, e não apenas dos próprios. Maior número de nós precisamos fazer isso. Tendo a mesma atitude que houve em Cristo Jesus, podemos nos libertar do ponto de vista egoísta, secular do mundo. Nossa nota em relacionamentos melhorará tanto que poderemos até nos classificar entre os alunos mais adiantados!

Homens Rabugentos

A maneira como somos por trás das portas fechadas do nosso castelo particular expressa como realmente somos. É o você real e o eu real. Podemos fabricar uma imagem para os nossos colegas de negócios e amigos, mas quando as sombras caem, o homem que realmente somos sai das sombras.

Caímos em nossa própria armadilha ao pensar que rabugice e grosseria para com nossa esposa e filhos é desculpável; eles simplesmente não nos compreendem. “Se eles apenas soubessem o que nós homens temos de agüentar no decorrer de um dia de trabalho, eles se matariam para ajudar a fazer com que as nossas vidas fossem mais suportáveis!” Em vez disso, eles não compreendem, por isso tornamos as suas vidas insuportáveis também.

O Dr. Henry Brandt, um psicólogo cristão, diz: “Não são as outras pessoas que criam o seu espírito, elas apenas o revelam”. Nossas esposas não nos tornam rabugentos; somos pessoas rabugentas à procura de um lugar para descontar a nossa rabugice! Está na hora de pararmos de jogar a culpa de nossas más atitudes sobre as nossas famílias, e confessar que elas são o bode expiatório de problemas de caráter ainda não resolvidos em nós.

Quando reconheci que minha esposa não era a causa da minha raiva e frustração, destranquei a porta para a amizade dela. Quando comecei a incluí-la, compartilhando meus pensamentos e mágoas mais profundos com ela em vez de descontar nela as minhas frustrações, uma nova amiga começou a surgir quando eu ia para casa todos os dias.

A chave dos nossos relacionamentos é esta: as pessoas sabem se você é a favor delas ou não. Podemos dizer o que desejarmos, mas as pessoas apreendem a verdade com o tempo. Se dizemos a nossas esposas que as amamos, mas passamos a noite de segunda-feira jogando bola, a noite de quarta-feira na igreja, domingo na quadra de golfe, e o resto do tempo assistindo à televisão, elas podem dizer se somos a favor delas ou não. O tempo é tudo no relacionamento.

Conclusão

Por que nós homens somos tão cegos quanto aos problemas que existem em nossos relacionamentos? Sei, por mim mesmo, que fico tão absorto em observar o chão logo à minha frente para os próximos dois ou três passos que me esqueço de levantar o olhar para ver se estou indo na direção certa.

Nenhuma área da vida dos homens tem maior potencial para melhorar do que a dos relacionamentos. A maioria dos homens, ao ir em busca de urna vida boa, deixa uma trilha de relacionamentos desfeitos. Sofremos silenciosamente em nossos relacionamentos. Ficamos intoxicados com o nosso trabalho e, em nossa euforia, tratamos mal aqueles a quem amamos.

Nenhuma quantidade de sucesso no escritório pode compensar o fracasso em casa. Cada um de nós precisa sondar o seu íntimo e responder à pergunta: “Minha esposa e meus filhos sabem que sou a favor deles pela maneira como gasto o meu tempo?” O modo corno gastamos o nosso tempo é um ato da vontade — uma decisão. Somos a soma das nossas decisões; decidimos o que vem em primeiro, segundo e terceiro lugar em nossas vidas. Se fracassamos nessa área, fracassamos em todas as áreas.

Se você não tem tempo suficiente para a sua família, pode ter 100% de certeza de não estar seguindo a vontade de Deus para a sua vida. Examinemos mais especificamente nossos relacionamentos com nossas esposas e filhos.

Fonte: Sou da Promessa ! Compartilhado no PCamaral

Nenhum comentário:

Todos os comentários serão moderados. Me reservo o direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.


..

Tecnologia do Blogger.