Header Ads

O mal nosso de cada dia



Por Edmilson Mendes em Cálice de Vida

As coisas estão indo mal. A economia vai mal. Como é mal aquele pastor. Quanto mal naquele coração. Aquele cara é do mal. Aquela senhora só deseja o mal. Aquele garoto só faz o que é mal.

É, a coisa vai mal, muito mal. O ideal seria vivermos num mundo de bem. Seria. Desde a lambança protagonizada pelo primeiro casal lá no Éden, o mal se instalou entre nós. É uma palavra constante que explica a ausência do bem. O mal se tornou tão comum que mediante qualquer pisada de bola, a primeira expressão que pronunciamos é esta: “Foi mal! Desculpa aí!”


A palavra “mal” é tão abrangente que explica desde uma simples receita de bolo que não deu certo, até planos astutos para prejudicar e destruir pessoas, que é o mal em estado de maldade pura, se me entende. Não temos nem como e nem para onde fugir. O mal está aí. Nos observa a cada dia. Quando menos esperamos nos surpreende com suas garras sujas e venenosas. Fofocas, calúnias, invejas, ciúmes, ofensas, agressões, trapaças, puxadas de tapete, hipocrisias. Não tem jeito, por mais que lutemos para não sermos atingidos, lá está o mal com suas maldades nos enroscando em suas armadilhas terríveis.

Se é assim, e assim é, devemos ouvir com atenção o conselho do Mestre no sermão do monte: “Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal”, Mateus 6.34.

Primeiro, nada de inquietação, nada de se entregar a ansiedades por motivos e medos que nem aconteceram. Segundo, existe um “mal” diariamente. O pecado faz isso. Portanto, temos que lidar com o mal de cada dia sem acumular o mal de amanhã para o dia de hoje. Neste mesmo capítulo 6 de Mateus, Jesus ensina uma oração aos discípulos. Assim como nos instrui a pedir o pão diário no versículo 11, no 13 nos ensina a pedir para sermos livres do mal. Ou seja, Jesus não engana quanto a existência do mal e nem diz que a luta contra o mal seria fácil.

A oração do Pai Nosso, como ficou conhecida, tem em si a chave para vencer o mal que tenta nos atacar cada dia. Todo aquele que diariamente se alimenta do pão providenciado pelo Pai tem, como um dos ingredientes deste pão, a bênção de ser livre do mal. O pão que o Pai dá é essa porção diária de fé, esperança, amor. É proteção, cuidado, zelo. O pão do Pai alimenta a alma e alegra o coração. Alimente-se de Cristo a cada dia, Ele tem poder para livrar-nos a cada dia de todo o mal.

Paz!


Nenhum comentário:

Todos os comentários serão moderados. Me reservo o direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.


..

Tecnologia do Blogger.