Header Ads

O caminho mais difícil


Para todos nós, o amor e o sofrimento andam lado a lado. Momentos de pura alegria e prazer dividem espaço com o sofrimento e as dificuldades.

Por Amy Julia Becker em Cristianismo Hoje

Eles se conheceram durante a faculdade e se apaixonaram. Começaram a planejar o casamento e a procurar o anel. Sonharam em como seria viverem juntos, uma vida de alegria e beleza, criando seus filhos e envelhecendo lado a lado. Não imaginaram um acidente de carro. Não imaginaram uma lesão cerebral, nem a necessidade de cuidado constante e de uma cadeira de rodas. Eles não planejaram nada disso.


Ian e Larissa Murphy contaram sua história em um curta produzido por Citygate Films. Ian sofreu um acidente e ficou com sérias lesões, mas ele e Larissa escolheram se casar após os primeiros anos de sua recuperação. Decidiram se comprometer um ao outro diante de uma multidão de testemunhas e da presença do Senhor. Escolheram um caminho árduo, marcado e guiado pelo amor.

No filme, e em alguns relatos em blogs, Larissa fala e escreve sobre a jornada do casal. Ela ajudou a cuidar de Ian durante quatro anos depois do acidente, e segundo ela, depois que ele conseguiu voltar a se comunicar, eles passaram a falar sobre casamento novamente. Ela pensou e orou bastante a respeito: “Casar com Ian significava algo que jamais havia imaginado escolher para mim – me sacrificar a vida inteira, cuidar de um marido que não poderia ficar sozinho, administrar enfermeiros, providenciar seu cuidado médico, e assim por diante. Os custos pareciam enormes, e isso sem contar com as lutas emocionais e espirituais que enfrentaria. Mas apesar de tudo isso, a decisão foi simples: nós nos amamos, e amamos a Deus. E cremos que Ele é um Deus soberano que comanda todas as coisas.”

Larissa tinha uma escolha a fazer: deixar o homem que amava, ou caminhar com ele por essa estrada repleta de dificuldades. E ela escolheu a estrada. Escolheu o amor. Como seu testemunho acima demonstra, o acidente sofrido por Ian o deixou bastante vulnerável. E ela optou por essa vulnerabilidade, e ao fazer isso, passou a compartilhar de suas feridas.

No filme, Larissa fala a respeito da liderança espiritual de seu marido. Alguém de fora, provavelmente só conseguiria enxergar as deficiências de Ian. Larissa, no entanto, é capaz de perceber seu progresso ao longo do tempo. Ela consegue diferenciar o que é principal do que é secundário em um casamento. “Ian não consegue fazer muitas coisas que são secundárias, como trabalhar e preparar um jantar para mim. Aquilo que é principal, no entanto, que é me guiar espiritualmente, ele faz. Ele sempre me lembra da natureza de Deus, e me ajuda a lidar com minhas emoções.” Quando ela perguntou a seu marido se alguma vez ele se sentiu tentado a amaldiçoar a Deus, ele respondeu sem nenhuma hesitação: “Não, pois Deus sempre foi bom para mim”.

Outras pessoas que puderam observar o relacionamento dos dois perceberam sua dinâmica. Larissa escreve que o juiz de seu casamento disse: “Vocês são o exemplo do que é o amor verdadeiro. Eu acredito que o casamento não beneficiará somente a vocês dois, mas a toda a nossa comunidade, e espero que todos nessa cidade possam conhecer o amor que compartilham”. O irmão de Ian, Caleb, que passa 40 horas por semana com ele, também fala da maturidade espiritual de seu irmão: “A melhor maneira que existe para um marido servir sua esposa, é cuidando de sua vida espiritual e buscando sua santificação. É dessa forma que Ian serve Larissa, e ele faz isso muito bem”.

Jesus muitas vezes chamou a atenção de seus discípulos em relação a líderes espirituais incomuns, como crianças (Mat. 11:25; Mat. 18:2-4), mulheres (João 4; João 7), ou pessoas com deficiências (João 9). Hoje, assim como naquele tempo, as deficiências servem para nos ajudar a enxergar a Deus como Ele é, e a nós, como Suas criaturas. Por outro lado, as deficiências de Ian diferenciam seu casamento com Larissa dos demais. Mas descartá-lo por causa dessa diferença, seria negligenciar as muitas maneiras como esse relacionamento mostra a verdade sobre a vida e o casamento nesse mundo perdido. Para todos nós, o amor e o sofrimento andam lado a lado. Momentos de pura alegria e prazer dividem espaço com o sofrimento e as dificuldades – e a bondade de Deus está sempre presente em meio a essas situações.

Traduzido por Julia Ramalho

Nenhum comentário:

Todos os comentários serão moderados. Comentários com conteúdo fora do assunto ou do contexto, não serão publicado, assim como comentários ofensivos ao autor.

Tecnologia do Blogger.