Header Ads

O Inferno revelado na Bíblia


Na Bíblia, desde o Antigo Testamento encontramos em algumas versões a palavra “inferno’. Muitos cristãos foram ensinados a crer num inferno de tormento, de dor e sofrimento. Mas, será que o sentido dado aos versos onde se traduzem as palavras “Hades (heb - שְׁאֹול֙ ), Geena (grego - γέενναν) e Tártaro (grego - ταρταρώσας)” por inferno está correto? Vejamos como a Bíblia define esses termos.

I- Hades E Sheol – ( שְׁאֹול֙) – sepultura

Definição de Hades:

Segundo a mitologia, Hades era o deus das regiões dos mortos. Hades é uma transliteração comum para o português da palavra grega correspondente “hades”. A palavra é inúmeras vezes traduzida por inferno, mas o sentido próprio não significa isso, e sim: “o mundo subterrâneo como lugar dos mortos” ou ainda “o lugar não visto”.

Como é empregada esta palavra na Bíblia:

A palavra “Hades”, ao todo, ocorre dez vezes nos mais antigos manuscritos das Escrituras Gregas Cristãs (Mt. 11:23; 16:18; Lc. 10:15; At. 2:27,31; Ap. 1:18; 20:13,14). Na versão Almeida (revista e corrigida), a palavra inferno é traduzida vinte e oito vezes de “Sheol” e sete vezes de “Hades”. Porém, nesta versão “Sheol” também é traduzido vinte e sete vezes por “sepultura”, cinco vezes “sepulcro”, uma vez “terra”, uma vez “enterrados”, uma vez “mundo invisível”, e duas vezes é transliterado “seol”.


O uso correto da palavra Hades:

É um grande erro ter o inferno como lugar de tormento, pois seu sentido único, nesse caso, é “sepultura”, ou seja, o lugar onde os mortos são colocados após a morte. Inferno também quer dizer “lugar de silêncio, parte inferior, lugar dos mortos”. Observe o que diz a Bíblia em Jonas 2:1,2: “E orou Jonas ao Senhor, seu Deus, das entranhas do peixe, e disse: Na minha angústia clamei ao Senhor, e Ele me respondeu; do ventre do inferno (sheol שְׁאֹ֛ול) gritei, e tu ouviste a minha voz.” Observe que, aqui, inferno não dá idéia de suplício, nem de fogo, nem de punição, tormento ou agonia, mas simplesmente de um lugar inferior; as profundezas do Mar Mediterrâneo.

Geena ou Vale de Hinnom em Jerusalém (dias atuais)

II- Geena (γέενναν) – Lugar de juízo

Definição de Geena:

É a forma grega do hebraico Geh Hinnóm, significando “Vale de Hinom”. Este nome aparece 12 vezes nas Escrituras Gregas Cristãs, e embora muitos tradutores tomem a liberdade de traduzir a palavra por “inferno”, diversas traduções modernas transliteram a palavra grega “geena” (γέενναν) (Mt. 5:22,29,30; 10:28; 18:8,9; Mc. 9:43-48; Lc. 12:5). O estreito e fundo vale pertencia aos filhos de Hinom, por isso foi mais tarde conhecido por esse nome. Era um vale ao sul e ao sudoeste de Jerusalém. Nos dias dos reis judeus Acaz e Manassés, o Vale de Hinom serviu como local para ritos religiosos idólatras, inclusive era usado para sacrificar crianças vivas em honra ao deus Moloque (II Cr. 28:1,3; 33:1,6; Jr. 7:31-34; 19:6,7; 32:35). Mais tarde o Rei Josias acabou com a adoração idólatra realizada ali e tornou o vale impróprio para o uso na adoração (II Re. 23:10).

A Geena nos dias de Jesus:

O Vale de Hinom era usado no tempo de Jesus como depósito de lixo, detritos, cadáveres de malfeitores, corpos de animais e toda sorte de imundícies existentes na cidade. Era um depósito de lixo. Ali era acendido um “fogo que nunca se apagava”, isto é, estava constantemente aceso, haja visto o povo abastecê-lo com seu lixo. Em Mateus 5:30, a versão de J.B. Phillips, verte “Geena” como “montão de lixo”. Os condenados à pena Marcial eram esquartejados e jogados na Geena para serem queimados; assim também os condenados por Jesus, no dia do grande juízo, serão levados ao lago de fogo para serem consumidos.

O uso correto do termo Geena:

Os escribas e fariseus, como classe iníqua, foram denunciados como “filhos para o inferno (Geena)”, (Mt. 23:13-15,33). Jesus, ao fazer uso da palavra, usa-a sempre como símbolo de juízo final, associando o fogo com a Geena. Tiago, irmão de Jesus, também fez uso dessa palavra de uma forma figurada em sua carta (Tg. 3:6). O comentador judeu David Kimhi (1160-1235? d.C.), no seu comentário sobre o Salmo 9:17, dá a seguinte informação histórica a respeito de “Gehinnom”:

“E é um lugar no terreno adjacente a Jerusalém, e é um lugar repugnante, e eles lançam ali coisas impuras e cadáveres. Havia ali também um fogo contínuo para queimar as coisas impuras e os ossos dos cadáveres. Por isso, o julgamento dos iníquos é simbolicamente chamado de Gehinnom.”


Como Jesus usava o termo Geena (Mc. 9:43-47):

Jesus, segundo o evangelho de Marcos, faz alusão a Isaías 66:24 ao descrever a “Geena” como lugar “onde o seu bicho não morre e o fogo não se apaga”. O profeta Isaías falando sobre a vida futura dos salvos na nova terra relata: “E sairão, e verão os corpos mortos dos homens que prevaricaram contra mim; porque o seu bicho nunca morrerá, nem seu fogo se apagará; e serão um horror para toda a carne”. Que este quadro figurativo não é de tortura, mas, antes, de destruição completa, é evidente no fato de que o texto de Isaías não trata de pessoas vivas, mas de cadáveres de homens que transgrediram contra Deus.

Conforme a evidência disponível indica, se o Vale de Hinom, era um lugar de eliminação de lixo e de cadáveres, então o fogo, talvez aumentado em intensidade pelo acréscimo de enxofre (Is. 30:33), seria o único meio adequado para eliminar tal refugo. Onde o fogo não alcançava, proliferariam os vermes, consumindo tudo o que não fora destruído pelo fogo. Nesta base, as palavras de Jesus significariam que o efeito destrutivo do julgamento adverso de Deus não cessaria até se ter alcançado a destruição total. Nesse caso o uso bíblico de Geena corresponde ao “lago de fogo” no livro de Apocalipse 20:14,15. Dessa forma podemos dizer que “Geena” é o único termo significando inferno existente na Bíblia, mas nunca no sentido de tormento eterno, todavia no de aniquilamento eterno. Dizer que é o lugar de castigo eterno é ir contra a Bíblia, ao que ela afirma.

III- Tértaro (ταρταρώσας) – Lugar de prisão

Definição de Tártaro:

Conta-nos a mitologia grega, que “os Titãs rebelaram-se contra Zeus, e a sua guerra - a Titanomaquia - foi terrível; mas Zeus venceu-os e precipitou-os no Tártaro.” Tártaros, no contexto do Novo Testamento, passou a ser o termo clássico para indicar a esfera intermediária onde os anjos caídos aguardam o julgamento final.

O uso bíblico do termo (II Pe 2:4):

Já no tempo do apóstolo Pedro, sabia-se que a palavra “tártaro” designava prisão. Assim, quando Pedro fez uso dessa palavra (veja Judas v.6), que é a única vez em que esse termo é empregado na Bíblia, o sentido da mesma quer abranger a própria terra, no sentido de prisão onde as hostes das trevas estão a aguardar o juízo. Apocalipse 12:7-12 retrata o arcanjo Miguel e seus anjos lutando contra Satanás (o dragão) e seus anjos, e precipitando-os na terra. Esta passagem de Pedro reflete a opinião comum da época neotestamentária de que havia anjos que haviam caído do seu lugar, outrora exaltado, do serviço de Deus. Aqui é declarado que Deus lançou-os no inferno. Assim a palavra traduzida como “inferno” aqui não é a Geena dos evangelhos, mas sim a palavra grega, “tártaro”, (ταρταρώσας,) que, na mitologia grega, era o lugar de prisão.

IV. Explicando o que é tormento eterno

Temos alguns textos bíblicos que nos dizem claramente que o fogo eterno do inferno resultará em total aniquilação. Vejamos apenas alguns exemplos.

A destruição de Sodoma e Gomorra (II Pe 2:6):

Parece que o destino de Sodoma e Gomorra é um exemplo do destino dos maus no fim dos tempos. Estão essas cidades ainda em chamas? Estão os ímpios cidadãos de Sodoma e Gomorra sendo atormentados ainda? Claro que não, seria ridículo pensar isto. Leia o versículo sete de Judas; aqui o escritor nos fala que Sodoma e Gomorra: “... são postas para exemplo do fogo eterno, sofrendo punição.” Qual foi o resultado disso? Aniquilação total dos habitantes. Eles pereceram. Isto é o que devemos concluir sobre o inferno, se entendemos a Bíblia literalmente.

O lago de fogo e o tormento eterno (Ap 19:20; 20:10):

Aqui está aparentemente a maior prova a favor do tormento eterno. Duas passagens em Apocalipse falam sobre o lago de fogo. João descreve aqueles que adoram a besta sendo consumidos pelo fogo e enxofre, e diz: “a fumaça do seu tormento sobe pelos séculos dos séculos” (Ap 14:11).

Apocalipse dezenove fala da besta e do falso profeta e do diabo sendo atormentados para todo o sempre no lago de fogo. Esses textos certamente parecem descrever um inferno de sofrimento eterno. Há uma coisa, porém, que deveríamos manter em mente. O livro de Apocalipse está cheio de linguagem simbólica. Não é uma narrativa literal. É literatura apocalíptica, um tipo de escrito profético que mostra eventos através de imagens, vívidas, mas simbólicas.

O Apocalipse nos apresenta um cordeiro que abre um livro, fala de escorpiões movendo-se num abismo sem fundo, um dragão fazendo guerra com uma mulher grávida, e bestas horrendas saindo do mar. Nenhum teólogo estuda estas imagens literalmente. O dragão e a besta que são atirados no lago de fogo são figuras simbólicas. A fumaça do tormento subindo pelos séculos dos séculos também é simbólica. É uma forma poética de falar sobre uma terrível conclusão, a natureza irrevogável do julgamento final. Afinal de contas, o profeta Isaías usou a mesma linguagem para falar do julgamento de Deus contra a ímpia Edom. Ele usou a expressão “para sempre” (Is. 34:9,10).

A terra (isto é, Edom) se tornaria “em piche ardente”, ele disse, e não se apagaria de dia nem de noite; sua fumaça subiria para sempre. Hoje, porém, a terra de Edom não está em chamas. O fogo se apagou muito tempo atrás. O que Deus queria dizer, então? Ele estava usando linguagem poética para enfatizar a meticulosidade da destruição total. Ele estava falando de um julgamento que seria final. Isto é o que o lago de fogo bíblico quer dizer. Destruição completa e total.

Apocalipse 21:8, nos diz claramente que o lago que queima com fogo e enxofre é a “segunda morte”. Os ímpios serão totalmente consumidos, morrerão, perecerão, serão aniquilados.

Se a Bíblia diz claramente, nos ensinos de Jesus, ou nas cartas de Paulo, que os ímpios perecem, são destruídos, são aniquilados, experimentam a morte, então devemos usar estas passagens para entender as vívidas imagens do Apocalipse, e, não o contrário.


Fonte:
Paulo Cesar Amaral

10 comentários:

  1. Excelente esse post!
    Isso mostra que não adianta ler apenas versículos perdidos na Bíblia, como fazem alguns pastores pentecostais e cia. Tem que ter estudo, tem que ter contexto, tem que ter um aprofudamento nos tópicos que se referem às escrituras sagradas!
    Parabéns!

    Graça e paz,
    Giovani Mariani

    www.sementedarenovacao.com

    ResponderExcluir
  2. Há alguns versos (cito apenas dois) que não foram considerados no texto acima:

    E irão estes para o castigo eterno, ..[..].. (Mateus 3.12; 25:46)

    e serão atormentados de dia e de noite, pelos séculos dos séculos. E, se alguém não foi achado inscrito no Livro da Vida, esse foi lançado para dentro do lago de fogo. (Apocalipse 20: 10, 15 )

    A análise do termo não permite definir a extensão da pena. São grandezas diferentes.

    Em Cristo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem lembrado, pq sera que não foram mencionados? Sera pq entra em contradição com a postagem em foco?

      Excluir
  3. A Paz do Senhor,

    Giovani Mariani, obrigado pela visita e pelo comentário.

    ResponderExcluir
  4. A Paz do Senhor,

    Paulo,

    Tenho outro estudo que nos fala sobre Juizo Final que vou publicar por esses dias. dentro deste estudo está esta passagem de Apocalipse 20:15, onde João diz que todos aqueles cujos nomes não forem encontrados no livro da vida, serão lançados no lago de fogo. A besta, o Diabo, o falso profeta também serão lançados nesse lugar (Ap. 19:20; 20:10). Finalmente, a morte e o Hades (sepultura) serão colocados ali (Ap. 20:14; I Co. 15:26).

    O lago de fogo é a segunda morte (Ap. 20:14; 21:8). A segunda morte, por assim dizer, é a separação final e completa de Deus.

    Isto levanta a seguinte pergunta: o castigo futuro será eterno? Isso tem tirado o sono de muita gente. Em Mateus 25:41 e 46, lemos que os ímpios irão para o “tormento eterno”, ou “fogo eterno”.

    Estas expressões não indicam uma eternidade de sofrimento, mas, sim, denotam a ação do juízo de Deus, Juizo Eterno, eternidade é um atributo de Deus.

    Basta ler Judas 7, "como Sodoma, e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregado à prostituição como aqueles, seguindo após outra carne, são postas para exemplo do fogo eterno, sofrendo punição." Onde Sodoma e Gomorra sofreram a pena do fogo eterno, porém a eternidade daquele fogo devorador durou apenas “um momento” "Porque maior é a maldade da filha do meu povo do que o pecado de Sodoma, que foi subvertida como num momento, sem o emprego de mãos nenhumas."(Lm. 4:6).

    A Bíblia menciona várias vezes essas expressões para denotar a força do juízo divino (Jr. 17:27; Is. 34:9,10; Ez. 25:13,14). Nem Jerusalém, nem Edom estão queimando até hoje, como pode-se perceber pelos fatos da atualidade.

    ResponderExcluir
  5. Amado,

    leia com atenção Jd que vc. citou.

    Veja o contexto, os termos sodoma e gomorra estão relacionados à criaturas.

    Deve ser entendido como pessoas de Sodoma e Gomorra, e não a cidade.

    A extensão da aplicação da pena deve ser igual a extensão da alicação da justiça?

    ou não?

    Aguardo a publicação dos posts.

    Em Cristo.

    ResponderExcluir
  6. Paulo,

    A Paz do Senhor!

    No caso do contexto: Judas está escrevendo aos cristão para alertá-los do perigo de falsos mestres e da proliferação de falsos ensinos, Ele fala que esses são “mestres ateus” que rejeitavam o senhorio de Cristo e tentavam minar a fé dos crentes, e que isso não era uma coisa nova. No passado, quando o Senhor livrou o povo do Egito muitos foram incrédulos e por isso foram destruídos.

    Judas está alertando a que se protegessem a si próprios e, aos outros irmãos, e que ajudassem aos que foram, por eles, ludibriados. Eles deveriam permanecer firmes na fé. Judas denuncia que, esses homens, ensinavam que aos cristãos era permitido fazer tudo o que eles quisessem sem ter medo do castigo de Deus.

    Judas continua lembrando-os dos anjos pecadores e os pecadores de Sodoma e Gomorra. E como diz o versículo: Sodoma e Gomorra deixou a justiça e a medida do seu pecado passou dos limites – “Disse mais o SENHOR: Porquanto o clamor de Sodoma e Gomorra se tem multiplicado, e porquanto o seu pecado se tem agravado muito,” (Gênesis 18:20).

    Mesmo Abraão tendo intercedido pelo povo daquelas cidades, apenas seu sobrinho Ló e sua família saíram de lá com vida, e por pouco não foram também destruídos.

    Pelos pecados praticados por aquela sociedade, pecados esses que passaram todas as medidas, foram destruídos com fogo e enxofre derramados do céu. E o fogo não se apagou enquanto havia o que queimar. “E olhou para Sodoma e Gomorra e para toda a terra da campina; e viu, e eis que a fumaça da terra subia, como a fumaça duma fornalha. E aconteceu que, destruindo Deus as cidades da campina, Deus se lembrou de Abraão e tirou Ló do meio da destruição, derribando aquelas cidades em que Ló habitara.” (Gênesis 19: 28-29).

    Judas diz: “assim como Sodoma, e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se corrompido como aqueles e ido após outra carne, foram postas por exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno.”

    A destruição de Sodoma e Gomorra, que não se arrependeu de seus pecados, e eram praticados insistentemente, serve de exemplo para todos os incrédulos e desobedientes e que não aproveitaram a chance de se reconciliar com Deus através de Seu Filho Jesus Cristo e ficarem livres da condenação eterna e consequente destruição naquele Grande e Terrível Dia do Senhor.

    A aplicação da pena é igual a aplicação da Justiça. Todos aqueles que aceitam Jesus Cristo com Salvador e Nele crêem, estão isentos da pena, Cristo nos substituiu, fomos justificados pelo seu sangue derramado na cruz. A justiça de Deus se completa quando na aplicação da pena, pois “o salário do pecado é a morte”. Morte Eterna. A segunda Morte.

    Algumas pessoas crêem que após a vinda de Jesus para buscar seus eleitos, mortos e vivos, haverá uma segunda chance. Desculpe, mas eu discordo totalmente disso, mais chance do que Deus está dando para a humanidade não existe.

    Que todos nós sigamos o exemplo dos bereianos que: “Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas {coisas} eram assim.” (Atos 17:11)

    Que Deus nos abençoe e guarde!

    ResponderExcluir
  7. Muito bem! Então ter-se-á que afirmar que aqueles pecadores de Sodoma e Gomorra estão berrando no fogo juntamente com bilhões e bilhões de outros milhares de bilhões de almas por toda a eternidade. Essa é a mais bela doutrina cristã que já se pode produzir.

    ResponderExcluir
  8. meus amados,como esta escrito em I corintios cap:2 v:13,14,15 16 o homem natural não pode compreender as coisas espirituais porque lhes pararecem loucura e não pode ententer - las pois são naturais. Eu concordo em alguma comparação biblica citada acima como geena, sheol, que eram literalmente materia de fogo de tormento, mas Jesus usou essas comparações naturais (materia) para exemplificar o real sentido espiritual eterno (não materia) pois em sua tradução os Adventista, Testemunhas de Jeova , Mormons são relativamente iquais traduzidas como acima citado,um pouco diferente do Catolicismo que aceita a realidade do castigo eterno inferno ou hades morada daqueles que morreram fisicamente em pecados, porem eles erram no purgatorio pois não existe essa palavra ou vocabulario na biblia sagrada. pois bem só será possivel aceitar realmente a realidade ensinada por Jesus que existe um castigo eterno, para os pecadores como castigo,para os salvos em Jesus lá no mundo espiritual na eternidade como descanso,Mateus cap: 25 v: 34,41 somente para aqueles que tiverem um real encontro com o Senhor Jesus o único atraves do seu Espirito Santo que poderá lhes saber sobre essa terrivel realidade que não pode ser mudada pois já foi proclamada por Deus desde da fundação da terra ou seja não é qualquer um que pode entender sobre essa terrivel verdade escrita pois lhes parece loucura! lembrando o que esta escrito em Hebreus cap: 10 v: 31 horrenda coisa é cair na mõas do Deus vivo!em Mateus palavras simbolicas do Profeta jãoa Batista, levado para a realidade espiritual ele diz em Mateus cap 3 v 12 em sua mão tem a pá e limpará a eira e recolherá no celeiro o seu trigo, e queimará a palha com fogo que (nunca se apagará!)vejam aqui pessoal o Profeta fala claramente que o fogo nunca se apagará ! que na interpretação de homens naturais de hoje acham que vão se apagá ou aniquilação se estinquir,pois bem a interpretação citados pelos seus interpretadores merecem mais naturalidade de copreensão do que uma verdadeira compreensão espiritual dada por Jesus e João Batista !!!

    ResponderExcluir
  9. meus amados,como esta escrito em I corintios cap:2 v:13,14,15 16 o homem natural não pode compreender as coisas espirituais porque lhes pararecem loucura e não pode ententer - las pois são naturais. Eu concordo em alguma comparação biblica citada acima como geena, sheol, que eram literalmente materia de fogo de tormento, mas Jesus usou essas comparações naturais (materia) para exemplificar o real sentido espiritual eterno (não materia) pois em sua tradução os Adventista, Testemunhas de Jeova , Mormons são relativamente iquais traduzidas como acima citado,um pouco diferente do Catolicismo que aceita a realidade do castigo eterno inferno ou hades morada daqueles que morreram fisicamente em pecados, porem eles erram no purgatorio pois não existe essa palavra ou vocabulario na biblia sagrada. pois bem só será possivel aceitar realmente a realidade ensinada por Jesus que existe um castigo eterno, para os pecadores como castigo,para os salvos em Jesus lá no mundo espiritual na eternidade como descanso,Mateus cap: 25 v: 34,41 somente para aqueles que tiverem um real encontro com o Senhor Jesus o único atraves do seu Espirito Santo que poderá lhes saber sobre essa terrivel realidade que não pode ser mudada pois já foi proclamada por Deus desde da fundação da terra ou seja não é qualquer um que pode entender sobre essa terrivel verdade escrita pois lhes parece loucura! lembrando o que esta escrito em Hebreus cap: 10 v: 31 horrenda coisa é cair na mãos do Deus vivo! em Mateus palavras simbolicas do Profeta João Batista, levado para a realidade espiritual ele diz em Mateus cap 3 v 12 em sua mão tem a pá e limpará a eira e recolherá no celeiro o seu trigo, e queimará a palha com fogo que nunca se apagará! vejam aqui pessoal o Profeta fala claramente que o fogo nunca se apagará ! que na interpretação de homens naturais de hoje acham que vão se apagá ou aniquilação se estinquir, pois bem a interpretação citados pelos seus interpretadores merecem mais naturalidade de copreensão do que uma verdadeira compreensão espiritual dada por Jesus e João Batista !!!

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão moderados. Me reservo o direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.


..

Tecnologia do Blogger.