Header Ads

Idolatria - "Filhinhos, guardai-vos dos ídolos"


Ao olharmos os ensinos bíblicos nos mandamentos do Senhor, encontramos de início a afirmação ao povo, que deseja ser povo, de propriedade exclusiva de Deus. Que deseja servir amorosamente àquele, que os libertou do cativeiro, da escravidão e da manipulação religiosa: “Não terás outros deuses diante de mim” (Êx. 20:3). O desafio deste texto inicial da Lei Moral, era promover a libertação interior do povo da idolatria e de toda forma de culto que não poderia subsistir na vida daqueles que foram libertos e resgatados pelo Único Deus, Vivo e Verdadeiro.

Ídolo é uma imagem, uma representação de algo, ou um símbolo que seja objeto de devoção passional, quer material, quer imaginado, e, me permita acrescentar, nos dias de hoje, humano. De modo geral, idolatria é a veneração, o amor, a adoração ou reverência a um ídolo. A idolatria geralmente envolve alguma formalidade, cerimônia ou ritual.

Os termos hebraicos usados para se referir a ídolos não raro sublinhavam a origem e a inerente inutilidade dos ídolos, ou então eram termos depreciativos. Entre estas há palavras traduzidas por “imagem esculpida ou entalhada” (literalmente: algo esculpido); “estátua, imagem ou ídolo fundidos” (literalmente: algo lançado ou despejado); “ídolo horrível; “ídolo vão” (literalmente: futilidade); e “ídolo sórdido”. “Ídolo” é a tradução usual da palavra grega eídolon, e significa “imagem, falso deus”. Idolatria, no sentido deste estudo, é o desvio da verdadeira adoração a Deus.

CONCEITO BÍBLICO SOBRE A IDOLATRIA

O segundo mandamento da Lei Moral proíbe duas coisas: fazer imagens com fim de adoração e, existindo imagens previamente feitas por alguém, prostrar-se diante delas e prestar-lhes culto (Êx. 20:4-6). Além disso, este mandamento estabelece a espiritualidade e santidade de Deus como verdades fundamentais que devem ser a essência do verdadeiro culto. Este mandamento foi estabelecido por Deus acompanhado de uma séria advertência. Deus é zeloso em exigir exclusividade na adoração e culto puramente espiritual. E esse zelo o leva a punir a maldade dos pais nos filhos até à terceira e quarta gerações. Ao fazer tal advertência, Deus só quis chamar a atenção dos pais para a sua extrema responsabilidade, mostrando-lhes que sua infidelidade traria conseqüências danosas para suas futuras gerações. Vejamos ainda outros conceitos da Palavra de Deus sobre a idolatria.

1 - Termos desprezíveis para os ídolos: Nas Escrituras, mencionam-se repetidas vezes os deuses falsos e os ídolos com termos de desprezo, como sendo imprestáveis (I Cr. 16:26); horríveis (I Re. 15:13); impudência (vergonhosa cousa) (Jr. 11:13); detestáveis (Ez. 16:36,37) e repugnantes (Ez. 37:23).

2 - A descrição da idolatria na Bíblia: A idolatria é descrita como: Uma abominação a Deus (Dt. 7:25,26); odiosa a Deus (Dt. 16:22; Jr. 44:3,4); sanguinária (Ez. 23:39); sem proveito (Is. 46:7); irracional (At. 17:29); contaminadora (Ez. 20:7; 36:18).

3 - O conceito de Deus sobre os ídolos (Is. 44:9-20): O próprio Deus nos leva a uma análise crítica sobre a idolatria, mostrando-nos como pode um ser tão inteligente, como o homem, adorar “coisas” feitas de madeira, pedra ou metal. Ele faz afirmações contundentes sobre os ídolos, dizendo que:

a) eles não têm serventia;
b) não têm vida nem sentidos (Sl. 115:4-8);
c) servem para confundir e envergonhar;
d) é feito por homens fracos e mortais;
e) são feitos de materiais comuns e perecíveis;
f) demonstram a insensatez do homem.

Deus condena claramente a procissão de imagens de escultura (Is. 45:20), e ainda afirma que a imagem é mentira, pois não há vida nelas (Jr. 51:17,18).

4 - A denúncia do profeta Jeremias (Jr. 44:17-26): A imagem de uma mulher com um menino no colo já era adorada nos tempos do profeta Jeremias. O nome da mulher era Semírames e o nome do menino era Tamúz. Com a “conversão” do Império Romano ao Cristianismo, mudou-se o nome da mulher e também do menino (Maria e Jesus), mas a imagem é a mesma. Até hoje é sustentado, pela tradição, a cor das vestes da Rainha do céu (Jr. 10:1-15).

“Ouvi a palavra que o SENHOR vos fala a vós outros, ó casa de Israel. Assim diz o SENHOR: Não aprendais o caminho dos gentios, nem vos espanteis com os sinais dos céus, porque com eles os gentios se atemorizam. Porque os costumes dos povos são vaidade; pois cortam do bosque um madeiro, obra das mãos do artífice, com machado; com prata e ouro o enfeitam, com pregos e martelos o fixam, para que não oscile. Os ídolos são como um espantalho em pepinal e não podem falar; necessitam de quem os leve, porquanto não podem andar. Não tenhais receio deles, pois não podem fazer mal, e não está neles o fazer o bem. Ninguém há semelhante a ti, ó SENHOR; tu és grande, e grande é o poder do teu nome. Quem te não temeria a ti, ó Rei das nações? Pois isto é a ti devido; porquanto, entre todos os sábios das nações e em todo o seu reino, ninguém há semelhante a ti. Mas eles todos se tornaram estúpidos e loucos; seu ensino é vão e morto como um pedaço de madeira. Traz-se prata batida de Társis e ouro de Ufaz; os ídolos são obra de artífice e de mãos de ourives; azuis e púrpuras são as suas vestes; todos eles são obra de homens hábeis. Mas o SENHOR é verdadeiramente Deus; ele é o Deus vivo e o Rei eterno; do seu furor treme a terra, e as nações não podem suportar a sua indignação. Assim lhes direis: Os deuses que não fizeram os céus e a terra desaparecerão da terra e de debaixo destes céus. O SENHOR fez a terra pelo seu poder; estabeleceu o mundo por sua sabedoria e com a sua inteligência estendeu os céus. Fazendo ele ribombar o trovão, logo há tumulto de águas no céu, e sobem os vapores das extremidades da terra; ele cria os relâmpagos para a chuva e dos seus depósitos faz sair o vento. Todo homem se tornou estúpido e não tem saber; todo ourives é envergonhado pela imagem que ele mesmo esculpiu; pois as suas imagens são mentira, e nelas não há fôlego. Vaidade são, obra ridícula; no tempo do seu castigo, virão a perecer.”

Os homens, no tempo de Jeremias, já se ajoelhavam diante das imagens e adoravam-nas: “Pronunciarei contra os moradores destas as minhas sentenças, por causa de toda a malícia deles; pois me deixaram a mim, e queimaram incenso a deuses estranhos, e adoraram as obras das suas próprias mãos.” (Jr. 1:16).

5 - O conceito dos Santos Apóstolos (Rm. 1:21-23): No conceito do apóstolo Paulo, a idolatria é:

a) desconhecimento de Deus;
b) adoração falsa;
c) falta de gratidão a Deus;
d) insensatez;
e) loucura;
f) degeneração.

Paulo e Barnabé, após terem efetuado um milagre de cura, recusaram a adoração por parte da sociedade de Listra (Atos 14:8-18). O apóstolo Pedro também recusou adoração, por também ser homem (Atos 10:25,26). Os próprios anjos de Deus não aceitaram adoração humana (Ap. 22:8,9; Mt. 4:9-10). Os fabricantes de imagens consideravam o cristianismo como uma ameaça a seu lucrativo negócio (Atos 19:23-27).

Com relação à idolatria, os cristãos devem: Resguardar-se dela (Js. 23:7); não ter pacto com os idólatras (Êx. 34:16). Os servos do Senhor precisam guardar-se dos ídolos (I Pd. 4:3; I Jo. 5:21), até mesmo hoje em dia.

PRIMÓRDIOS DA ADORAÇÃO DE ÍDOLOS NA HISTÓRIA BÍBLICA

1 - Idolatria antediluviana (Gn. 3:6,17; 6:3-5,11-13; Is. 14:12-14; Ez. 28:13-15,17): A idolatria teve seu início, não no domínio visível, mas no invisível. Satanás, quando ainda no céu, cobiçou o lugar de Deus, e a idolatria fez com que ele pecasse. Semelhantemente, Eva foi a primeira idólatra humana por cobiçar o fruto proibido. Já nos dias de Noé, os homens erigiam os altares dos seus ídolos, e cultuavam a deuses falsos, esforçando-se para representarem Deus por meio de objetos materiais.

2 - Idolatria nos tempos patriarcais (Gn. 10:9; 11:1-9, 27,28; Js. 24:2): Embora o Dilúvio nos dias de Noé destruísse todos os idólatras humanos, a idolatria surgiu de novo, despertada por Ninrode. Através de seu comando, iniciou-se a construção de Babel e de sua torre (provavelmente para ser usado na adoração idólatra, plano este que foi frustrado por Deus). Também em Ur dos Caldeus, cidade de Abraão, a idolatria era praticada por seus moradores.

3 - Idolatria nos tempos da Lei (Êx. 20:1-6; Dt. 7:5,6; 29:17): Por terem vivido mais de 400 anos no Egito, o povo de Israel entrou em contato com a idolatria naquele país. A Lei que Deus dera a seu povo, depois de libertá-los do Egito, foi explicitamente dirigida contra as práticas idólatras tão predominantes entre os povos antigos. Moisés ainda afirmou sobre a impossibilidade de se fazer uma imagem do Deus verdadeiro. Todos os acessórios da idolatria – altares, colunas sagradas, postes sagrados, e imagens esculpidas – deviam ser destruídos.

FORMAS DE IDOLATRIA

Os atos de idolatria, mencionados na Bíblia, incluíam práticas revoltantes tais como:

1 - Prostituição cerimonial, o sacrifício de crianças, a bebedice e a autofragelação, a ponto de sangrar (I Re. 14:22-24; 18:28; Jr. 19:3-5; Os. 4:13,14; Am. 2:8).

2 - Veneração dos ídolos, por partilhar com eles a comida e a bebida em festividades ou cerimônias em sua honra (Êx. 32:6; I Co. 8:10).

3 - Curvar-se e oferecer sacrifícios aos ídolos, por meio de cânticos e danças diante de tais, a até mesmo por beijá-los (Êx. 32:8,18-20; I Re. 19:18; Os. 13:2).

4 - Praticava-se também idolatria por preparar uma mesa com alimentos e bebidas para os deuses falsos, por fazer ofertas de bebidas, de bolos sacrificiais e de fumaça (incenso) sacrificial, e por chorar em cerimônia religiosa (Is. 65:11; Jr. 7:18; 44:17; Ez. 8:14).

5 - A idolatria também consistia na adoração de corpos celestiais (astrologia), tais como a lua, o sol e as estrelas (Ez. 8:16; Dt. 4:15,19; 17:2,3; II Re. 17:16).

6 - Adoração de animais, anjos, demônios e homens (Sl. 106:19,20,28; Cl. 2:8; Ap. 9:20).

7 - Consistia também em fazer o filho passar pelo fogo, consultar adivinhos (búzios, tarô, sortes etc.), prognosticador (astrologia), agoureiros e feiticeiros; procurar encantadores, mágicos e necromantes (Dt. 18:10-14).

AS CONSEQÜÊNCIAS DA IDOLATRIA

A não obediência a lei de Deus traz sérios danos à humanidade. Vejamos:

1 - Desvia-se da verdadeira adoração a Deus (Jo. 4:23,24): “Deus é espírito” e, portanto, não pode ser representado, nem por figuras de animais e de homens. Adorar a Deus, segundo Jesus, deve envolver nossos sentimentos, emoções e verdade.

2 - Presta-se culto aos demônios (I Co. 10:14,19-22): O apóstolo afirma que a comida dos ídolos e os ídolos não representam realidades. Mas os demônios são reais. Quando as pessoas pensam que estão sacrificando aos ídolos (deuses), na verdade estão sacrificando aos demônios. Os primitivos cristãos então foram exortados a fugir da idolatria.

3 - Desfaz-se do verdadeiro mediador entre Deus e o homem (I Tm. 2:5): Havia uma doutrina herética, no primeiro século, que ensinava que havia muitos intermediários entre Deus e o homem. Até hoje há muitos cristãos que crêem na intercessão dos “santos” no céu, junto a Deus. Paulo salientou, porém, que há um só Mediador entre Deus e os homens – Aquele que morreu pelos pecados de todos – Cristo Jesus.

4 - Não herda-se o Reino dos Céus (I Co. 6:9,10; Ap. 21;8): Paulo relaciona dez tipos de pessoas imorais, que procuram o estilo de vida descrito no texto citado, e que não possuem nenhum desejo de se elevar moralmente de sua degradação. As pessoas que se contentam em continuar nessa vida não herdarão o reino de Deus.


Filhinhos, guardai-vos dos ídolos. (1 João 5:21)


DEC
PCamaral

Nenhum comentário:

Todos os comentários serão moderados. Me reservo o direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.


..

Tecnologia do Blogger.