Header Ads

Jornais internacionais destacam a vitória de Dilma

As edições virtuais dos principais jornais do mundo destacam a vitória da petista Dilma Rousseff nas eleições pela Presidência. Com mais de 98% das urnas apuradas, a sucessora do presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve 55,91% dos votos, contra 44,09% do candidato José Serra (PSDB).


No alto de sua home page, o New York Times, tido como o mais prestigiado periódico do mundo, destaca logo no título: “Sucessora escolhida por líder brasileiro vence a Presidência”. No texto, assinado por jornalistas da agência de notícias Reuters, o jornal destaca que a “ex-líder de guerrilheira” venceu depois de prometer ser fiel aos projetos que “ergueram milhões da pobreza e fizeram do Brasil uma das economias mais quentes do mundo”.

A reportagem diz ainda que a vitória premia a particular trajetória da petista, que a “tirou da cadeia” nos anos 70 para ser “a primeira mulher a comandar a maior economia da América Latina”.


O periódico espanhol El País traz a conquista petista na manchete de seu site. Sob o título “Dilma, primeira mulher que alcança a Presidência”, o diário afirma que a candidata atingiu “mais de 11 milhões de votos sobre o opositor”.

O El País diz que a petista precisará montar um governo próprio, com uma forma própria. “É quase certo que, se ganhar, manterá por pelo menos um ano o atual ministro da Economia, Guido Mantega.”

A grande dúvida do mandato, segundo o jornal espanhol, será a relação de Dilma com os “barões do PT”. Na análise do periódico, tais personalidades podem querer “maior protagonismo”. Um desses políticos, no entanto, já teria afirmado que não planeja ter cargos no governo, citando o ex-ministro José Dirceu.

O jornal francês Le Monde, com menor destaque, também registra o resultado das eleições no Brasil. No texto publicado, o diário classifica Dilma como uma “herança política de Lula”, de quem teria assimilado toda a “popularidade recorde”, e uma sobrevivente após um câncer aos 62 anos.

O inglês The Guardian também registra que o país elegeu sua “primeira mulher presidente”, confirmando os resultados das pesquisas eleitorais. Em um texto publicado na capa de seu site, o diário chama a presidente eleita de “ex-rebelde Marxista”.

A reportagem sobre o pleito brasileiro também diz que os principais desafios na petista serão manter o valor da moeda brasileira, assim como melhorar a segurança pública, enfrentar o problema das drogas e investir em infraestrutura e educação, como forma de sustentar o crescimento da nação.

O jornal argentino Clarín.com, logo em sua primeira página, registra que a petista teve um "triunfo contundente"

No site da revista alemã Dear Spiegel, a chamada principal traz uma foto da presidente eleita e um texto registrando o histórico de sua campanha eleitoral

O inglês The Guardian também registra que o país elegeu sua "primeira mulher presidente", confirmando os resultados das pesquisas eleitorais. Em um texto publicado na capa de seu site, o diário chama a presidente eleita de "ex-rebelde Marxista"

***

Fonte: UOL

Nenhum comentário:

Todos os comentários serão moderados. Comentários com conteúdo fora do assunto ou do contexto, não serão publicado, assim como comentários ofensivos ao autor.

Tecnologia do Blogger.