Header Ads

Jesus Cristo Aquele que Encoraja

Não se turbe o vosso coração; crede em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. (Jo 14:1-2a)



A noite em que antecedeu a morte de Jesus foi terrível para os discípulos. Ela foi cheia de conflitos e dilemas. Eles estavam sentados em volta da mesa, e, antes mesmo de a ceia começar, Jesus anunciou que um deles o iria trair; depois, afirmou que Pedro o negaria três vezes. Não bastasse isso, foi ali, naquela noite, que Jesus falou mais abertamente sobre sua morte. Os discípulos não conseguiam compreender! Seus corações estavam confusos, aflitos e desmotivados. Mas tratou logo de encorajá-los.

I – OLHANDO PARA JESUS

Não se turbe o vosso coração... é com essa afetuosa exortação de Jesus que o capítulo base deste estudo (João 14) começa e termina (v. 1 e 27). Essa expressão significa: “Parem de sentir-se perturbados” [HENDRIKSEN, William. Comentário do Novo Testamento: O Evangelho de João. São Paulo: Editora Cristã, 2004 pág. 647], ou Não fiquem aflitos (NTLH). O propósito do Mestre era tranqüilizar e alentar os discípulos, e, para isso, usou quatro meios diferentes para encorajá-los: produzindo confiança, conferindo segurança, assegurando resposta e, por fim, garantindo companhia. São promessas e ensinamentos que, se devidamente assimilados, produzem, no coração humano, uma paz inexplicável e um ânimo inabalável. Examinemos, na seqüência, cada um desses meios motivadores de Cristo.

1. Jesus encoraja produzindo confiança: Observe como continua o versículo um: credes em Deus, crede também em mim. Na NVI, está traduzido assim: Creiam em Deus, creiam também em mim. Este é o grande segredo para tranquilizar o coração: é preciso crer em Jesus! E crer é também confiar. Essa é uma ordem de Jesus. Se os discípulos quisessem ser vencedores, naquele momento de tormenta, deveriam obedecer a essa ordem. O Senhor queria que eles soubessem que, mesmo naquela situação difícil, ele estava no controle de tudo, e os discípulos deveriam depender dele e descansar nele. [CHAMPLIN, Russell Norman. O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo, vol. II. São Paulo: Milenium, 1983 pág.520]. É preciso confiar, porque os que confiam no Senhor são como o monte Sião, que não se abala, firme para sempre (Sl 125:1). Porém, confiar não é algo fácil! Antes de confiar, é preciso conhecer. Ninguém que seja sensato confiará em um estranho ou desconhecido. Só confiamos em quem conhecemos. Por isso, não é de admirar que João, capítulo 14, trate tanto sobre conhecer a Deus (Jo 14:7,9,17). Em outras palavras, Jesus está dizendo: “Vocês já me conhecem; então, confiem em mim porque eu cuidarei de vocês, confiem porque eu estou no controle de tudo”

2. Jesus encoraja conferindo segurança: O texto segue dizendo: Na casa do meu pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vos teria dito; pois vou preparar-vos lugar (Jo 14:2). O termo “moradas” (do grego: mone) é melhor traduzido por “cômodos”. A ideia desse texto é de uma casa grande e bonita em que cada membro da família possui o seu próprio aposento [RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2008 pág. 230]. Assim, os discípulos deveriam ficar tranqüilos porque havia um lugar garantido para todos eles na casa do Pai; e Jesus estava indo antes, a fim de preparar os quartos desta casa, isto é, dar os retoques finais, para recebê-los lá. Essa promessa nos enche de segurança. É bom saber que há lugar para mim e para você lá no céu! Além disso, Jesus promete que, pessoalmente, virá buscar os seus seguidores, dizendo: ...virei outra vez e vos levarei para mim, para que onde eu estiver, estejais vós também (Jo 14:3). O “amor de Cristo pelos seus é tão maravilhoso que ele não fica satisfeito com a simples idéia de meramente levá-los para os céus. Ele quer tomá-los em seus braços” [HENDRIKSEN, William. Comentário do Novo Testamento: O Evangelho de João. São Paulo: Editora Cristã, 2004 pág. 651]. Se estivermos com Jesus, estaremos seguros porque ele é o caminho para casa do Pai (Jo 14:6).

3. Jesus encoraja assegurando resposta: Continuando, Jesus faz outra grande promessa: ...tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho (Jo 14:13). Ele assegura aos discípulos que suas orações seriam ouvidas e respondidas. Ele falava sobre oração, porque, “é um dos melhores remédios para um coração perturbado” [WIERSBE, Warren W. Comentário Bíblico expositivo: NT, vl. I. Santo André, SP: Geográfica, 2006 pág. 452] No versículo 14, Jesus reafirma esta promessa: Se me pedirdes (...) eu o farei. Literalmente, ele quis dizer “eu agirei”. Entretanto, para que a oração seja respondida, há uma condição fundamental: deve ser feita “em nome de Jesus”. No contexto bíblico, “o nome” é intimamente ligado à identidade e ao caráter da pessoa mencionada [RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2008 pág. 231]. Desta forma, pedir alguma coisa ao Pai em nome de Jesus denota uma verdade profunda: é pedir o que Jesus pediria lhe agradaria e o glorificaria. Deus não está nos entregando um cheque em branco que podemos sacar para satisfazer nossos desejos egoístas (Tg 4:3); pelo o contrário, orar em nome de Jesus é orar em conformidade com sua vontade (1 Jo 5:14-15). E, em seu nome, a oração alcança o céu, sobe os degraus do trono da graça e chega até Deus, que nos abençoa.

4. Jesus encoraja garantindo companhia: Os discípulos estavam tristes por saber que Jesus voltaria ao Pai. Esse era o principal motivo da aflição dos discípulos, naquele momento. Ficavam pensando: “O que será de nós, daqui em diante, sem a presença do Mestre?”. Então, Jesus faz ainda outra promessa: ...eu pedirei ao Pai, e ele lhes dará outro Conselheiro para estar com vocês para sempre, o Espírito da verdade (...) ele vive com vocês e estará em vocês (Jo 14:16-17 – NVI). Jesus não abandona nem desampara os seus. Ele não os deixa sozinhos. Por isso, o Espírito Santo veio para habitar dentro de nós. Note que Jesus chama o Espírito Santo de “outro Conselheiro”. No original, “outro” (do grego: allos) significa “outro de mesmo tipo”, e o termo “conselheiro” (do grego: parakletos) significa “convocado para estar ao lado alguém e ajudá-lo” [BRUCE, F. F. João: introdução e comentário. São Paulo: Vida Nova e Mundo Cristão, 1987 pág. 1738]. Desse modo, ele é consolador, companheiro, advogado, defensor, protetor [CHAMPLIN, Russell Norman. O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo, vol. II. São Paulo: Milenium, 1983 pág. 529]. Os discípulos não estavam sós e nós, hoje, também não estamos. Jesus mesmo disse: Não vos deixarei órfãos (Jo 14:18), na Bíblia Viva, lemos assim: Não, Eu não abandonarei vocês nem os deixarei como órfãos. Logo, “nosso coração também não precisa se perturbar, pois o Espírito de Deus habita dentro de nós” [CHAMPLIN, Russell Norman. O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo, vol. II. São Paulo: Milenium, 1983 pág. Pág. 454]. Foi assim que Jesus encorajou seus discípulos naquela noite. Ele encheu de confiança aqueles corações aflitos, deu-lhes a segurança de que há lugar para eles, lá no céu, e que voltaria para buscá-los. Garantiu também que suas orações seriam respondidas e que nunca os deixaria sozinhos. Jesus conclui, dizendo: Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize (Jo 14:27).

II – OLHANDO PARA NÓS

1. Para desfrutar de encorajamento, você precisa confiar na direção de Jesus - Observe as palavras do Mestre: Não se turbe o vosso coração; crede em Deus, crede também em mim (Jo 14:1). A Bíblia Viva diz: não fiquem aflitos (...) confiem em mim. Em outras palavras, Jesus está dizendo “fiquem tranqüilos, podem descansar, porque eu estou na direção”. Diante de corações angustiados, por causa de uma situação atribulada, Jesus mostrou que tudo está sob o seu controle. Meu irmão, confie, o barco não está à deriva, mesmo que tempestade se levante, mesmo que os ventos sejam contrários. Pode descansar, pois, Jesus está não direção! Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais ele fará (Sl 37:5).

2. Para desfrutar de encorajamento, você precisa confiar no cuidado de Jesus - Há momentos em que, pelas muitas dificuldades, duvidamos do amor de Jesus por nós. Então, concluímos que ele nos abandonou ou que não se importa conosco. Esse é um sentimento extremamente desanimador! Por outro lado, somos encorajados por Deus, quando entendemos o amor e percebemos o cuidado de Jesus. Em João 14, ele é aquele que nos prepara um lugar lá no céu. É aquele que responde nossas orações e que nunca nos deixa só. Confie nisso, meu irmão, e desfrute da paz de Cristo, lance sobre ele toda a sua ansiedade, ele tem cuidado de você (I Pe 5:7 – NVI).

3. Para desfrutar de encorajamento, você precisa confiar no retorno de Jesus - Foi Jesus quem garantiu: Na casa de meu Pai há muitos aposentos (Jo 14:2 – NVI). Por que o Senhor fez questão de referir-se ao tamanho da casa? Porque ele quer que você saiba que há um lugar para você, lá na casa do Pai, e que voltará para o buscar! [LUCADO, Max. Deus chegou mais perto. São Paulo: Vida Cristã, 1998 pág. 25]. Confie, meu irmão, pois foi Jesus quem prometeu, e ele é fiel! Mas de que forma essa promessa o faz desfrutar de encorajamento? A certeza do retorno de Jesus nos permite suportar com coragem e alegria os empecilhos e as aflições desta vida. Foi por isso que Paulo disse: Eu penso que o que sofremos durante a nossa vida não pode ser comparado, de modo nenhum, com a glória que nos será revelada no futuro. (Rm 8:18 – NTLH).

CONCLUSÃO

Em João 14, Jesus estava prestes a deixar este mundo e voltar para casa do Pai. Mas “o que deixaria aos seus discípulos, aqueles que haviam abandonado tudo por ele? Prata e ouro, ele não possuía, mas deixou-lhes algo infinitamente melhor: sua paz” [STOTT, John. A Bíblia Toda, O Ano Todo: Meditações Diárias de Gênesis a Apocalipse. Viçosa: Editora Ultimato, 2007 pág. 234]. Corações aflitos e desanimados ficaram cheios de coragem e inundados pela paz de Cristo! Jesus: aquele que encoraja pode fazer o mesmo com você. Se você deseja este encorajamento, então, confie em Jesus! Creia que ele está na direção de sua vida, descanse nos cuidados dele por você e acredite: Cristo está voltando para lhe buscar!
***


DEC – PC@maral

Nenhum comentário:

Todos os comentários serão moderados. Me reservo o direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.


..

Tecnologia do Blogger.