Header Ads

A igreja e seu pastor


Por Oswaldo Luiz Gomes Jacob em Instituto Jetro

Como deve ser a relação entre Igreja e pastor? Certamente um relacionamento de amor e respeito; de afeto e exortação; de sinceridade e confrontação, e profunda aceitação em Cristo Jesus. A igreja é maior que o seu pastor. Este é um servo de Jesus, chamado por Ele, para servir à Sua Igreja, trazendo a visão e pregando o genuíno evangelho.

A Igreja deve tratar o seu pastor com amor profundo, respeito, sinceridade, autenticidade, lisura e transparência no Espírito. O pastor, por sua vez, deve ver a Igreja como Corpo vivo de Cristo, coluna e firmeza da verdade, comunidade da fé, assembléia dos santos e comunidade dos servos. A Igreja é composta dos chamados de dentro para fora do mundo.

O pastor é um vocacionado por Deus, membro e líder da Igreja, para exercer o seu ministério quadridimensional: pregação, pastoreio, ensino e administração. A Igreja responde a estas demandas. Ela precisa ver no seu pastor a veracidade do chamado para o ministério e a sua prática eficaz. Igreja e pastor devem se alegrar, se contentar mutuamente em Cristo Jesus. Este é o referencial para ambos.

A Igreja deve obedecer ao seu pastor (Hb 13.17). Os dois precisam caminhar juntos na unidade da Trindade. Igreja e pastor são como agulha e linha, isto é, não podem trabalhar separadamente. Há uma completude. Eles se complementam no caráter das Escrituras, na sua verdade absoluta. O Espírito Santo conduz Igreja e pastor no caráter de Cristo, em toda a Sua personalidade. Não deve haver discórdia entre eles. As suas respectivas funções indicam convergência. Foram chamados para uma sintonia fina.

Como instrumentos usáveis, devem ser afinados no diapasão de Deus. Igreja e pastor se alimentam das Escrituras. Eles a compartilham na experiência comum. Fazem parte da Comunidade da aceitação, do perdão e da festa. São gerados e pastoreados pelo Pastor Supremo, o Senhor Jesus Cristo. Por esta razão, ambos são ovelhas de Jesus. Alegram-se profundamente por estarem NELE. O seu coração se rejubila na obra de Cristo na cruz e na ressurreição. Eles estão na co-morte com Cristo na cruz e ressuscitaram com Ele em novidade de vida e identificação plena (Cl 3.1-4).

A Igreja e seu pastor estão sob o guarda-chuva do Reino de Deus. Este Reino que é justiça, paz e alegria no Espírito Santo (Rm 14.17). Reino de amor e graça. Perdão e aceitação. Poder e unção. Vida e missão. A relação vocacional entre igreja e pastor é muito significativa. Sublime. Revela perseverança e confiança. Eles têm prazer em fazer Cristo conhecido na sua comunidade, nos lugares mais próximos e distantes. Estão comprometidos com a obra missionária, com o evangelismo e com a ação social. Têm prazer em servir ao Senhor com alegria e singeleza de coração a partir de uma só alma, uma só mente.

Que relação preciosa é a relação igreja-pastor! É uma relação de comprometimento com Aquele que os chamou por Sua graça. Há uma cumplicidade entre a Igreja, o pastor e Cristo Jesus. A Igreja deve se submeter à liderança do seu pastor e este deve se submeter a autoridade que a Igreja tem de Cristo Jesus, nosso Senhor. Igreja e pastor devem viver, acima de tudo, para a Glória de Deus!

Nenhum comentário:

Todos os comentários serão moderados. Me reservo o direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.


..

Tecnologia do Blogger.