Header Ads

O Evangelho Eterno de Jesus Cristo

Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema. (Gálatas 1:9)

Por PC@maral

Eternidade é um atributo de Deus. Só Ele é eterno! Deus não tem princípio nem fim nem sucessão de momentos no seu próprio ser, e percebe todo o tempo com igual realismo; ele, porém, percebe os acontecimentos no tempo e age no tempo. Para Ele não existe passado, presente ou futuro, coisas que nós, seres humanos limitados, experimentamos. [Wayne Grudem, Edições Teologia Sistemática Vida Nova. Parte 2 - A Doutrina de Deus – p. 98 – 359]. Para o Senhor, o tempo é sempre presente. Isto quer dizer que, o que aconteceu ontem comigo é passado, não tenho mais como voltar atrás, foge totalmente ao meu controle. Mas, para Deus será, e é sempre presente. O que fiz, no dia de ontem está diante de Deus em todos os seus mínimos detalhes. Nada escapa a Sua percepção. Por isso o salmista Davi declara que todos os dias de sua vida Ele [Deus] já conhece “Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda”. (Salmos 139:16). Davi declara que nem havia nascido, mas toda a sua vida estava diante da face de Deus, assim como a minha vida e a sua vida está, neste momento, diante de Deus.

Somando-se a Eternidade de Deus, outro atributo incomunicável é a Sua Onipresença, que faz com que esteja em todos os lugares ao mesmo tempo e em todo o tempo, já que é Eterno. Sendo assim, Deus está presente, literalmente, na vida de todas as pessoas do mundo inteiro; no passado, no presente e no futuro.
Entendendo este atributo, de que Deus é Eterno e também, Onipresente, é mais do que certo declarar que concebeu o evangelho na Eternidade, pois, se o Cordeiro morreu antes da fundação do mundo, o evangelho, a palavra que fala sobre o Cordeiro, estava escrito antes da fundação do mundo, daí se dizer: “E vi outro anjo voar pelo meio do céu, e tinha o evangelho eterno, para o proclamar aos que habitam sobre a terra, e a toda a nação, e tribo, e língua, e povo”. (Apocalipse 14:6)

Ao conceber o Evangelho, Deus que é Eterno, já conhecia todos os fatos desde a criação até a Sua volta para buscar Seus eleitos. Sendo assim, a Palavra de Deus, será e é sempre eficaz. Na eternidade foi concebido o evangelho. É perfeito para o que foi criado, pois assim diz o Senhor: “assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei”(Isaías 55:11), quer para salvação, quer para condenação, pois quem nos julga é sempre a Palavra de Deus, todos os dias, Jesus disse: “Se alguém ouvir as minhas palavras e não as guardar, eu não o julgo; porque eu não vim para julgar o mundo, e sim para salvá-lo. Quem me rejeita e não recebe as minhas palavras tem quem o julgue; a própria palavra que tenho proferido, essa o julgará no último dia.” (João 12:47-48).

Deus coloca a nossa disposição esta dádiva perfeita, criada por Ele e que é, “o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê” (Romanos 1:16), então por que preciso inventar outro evangelho? Por que não sou humilde o suficiente para usar o que Deus coloca a minha disposição? Por que tenho de inventar todos os dias “coisas novas” para atrair pessoas para minha igreja? Por que não prego simplesmente a Palavra do Senhor como Jesus ensinou e ordenou que fizéssemos? Será que com esses artifícios terei mais poder do que a Palavra de Deus? Serei mais eficiente? As pessoas se converterão quando me ouvirem falar? A resposta é um claro e sonoro não! Pois quem convence o homem do pecado do juízo e da justiça é o Espírito Santo, não tenho eu poder ou controle algum sobre esse fato! Como diz o apóstolo Paulo: “Eu plantei, Apolo regou; mas o crescimento veio de Deus. De modo que nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento”. (1 Corintios 3:6-7).

Quando vamos crer realmente em Deus e confiar plenamente Nele? Quando vamos praticar seus ensinamentos da forma como nos ensinou? Quando vamos realmente tomar a posição de servos, que obedece a seu senhor?

Lembro-me da seguinte pergunta: “Aceita o Senhor Jesus Cristo como seu único, fiel e suficiente salvador?” Eu disse sim! E a partir deste dia coloquei a mão no arado e segui em frente, deixei para trás a minha antiga vida e me dediquei a aprender a vontade de Deus. Não para adaptar a vontade de Deus a minha vontade, mas em procurar saber o que Deus quer que eu faça e usar as ferramentas que Ele criou antes da fundação do mundo.

Uma vida cristã que reflete o caráter de Jesus faz com que as pessoas afirmem: “você é diferente”. Isto só acontece quando os valores básicos doados por Jesus, para direcionar nossa vida, são aplicados no nosso dia-a-dia. É o testemunho de vida. É o evangelho eterno na prática. O meu comportamento na família, na sociedade, no trabalho fala mais alto do que todas as palavras do mundo. Deus me ensinou isto!
***

PC@maral

Um comentário:

  1. Paulo excelente texto!
    Gostei, viu!

    Agora tem texto novo no meu hein, visitem lá!

    www.diegoiap.blogspot.com

    Paz!

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão moderados. Comentários com conteúdo fora do assunto ou do contexto, não serão publicado, assim como comentários ofensivos ao autor.

Tecnologia do Blogger.