Header Ads

Estou desesperado, encontro-me em um poço de destruição afogado pela lama!



Por Fabio Campos

Este é o sentimento de todo homem convencido pelo Espírito Santo acerca da sua situação. Querer fazer o bem, mas estar aprisionado pelo mau, tendo a lei de Deus no interior, nos traz angústia e desespero. Muitas das vezes nos encontramos neste estado: “dentro de um fosso atolado pela lama”. A paternidade divina que nos faz clamar pelo “Aba” dá lugar ao juízo que diz, “horrenda coisa é cair nas mãos do Deus Vivo”.

Davi, homem segundo o coração de Deus, principal dentre todos os reis de Israel, estava neste estado mental de condenação. No salmo 40 sua confissão trata justamente da culpa em decorrência dos seus pecados. O mal que estava o rodeando atribuiu ele ao juízo de Deus, e devido seus pecados serem mais numerosos do que os cabelos de sua própria cabeça, seu coração desfaleceu. Davi não tinha confiança para se achegar ao trono da graça a fim de receber graça e misericórdia: “... as minhas iniquidades me prenderam de modo que não posso olhar para cima” (Sl 40.12).

Em tempos de fraquezas e quedas - momentos em que damos mais vazão à carne por “resistir o Espírito” – nosso sentimento é de vergonha ao ajoelhar-se diante de Deus. Davi neste estado clamou ao Senhor dizendo: “não me negues a tua misericórdia” (Sl 40.11). Parece que não há mais saída. O que olhamos ao redor é diversos homens aparentemente piedosos com pedras nas mãos em “nome da lei”. Por estes somos levados Àquele que é Santo e que não pode contemplar o mal. Mas quando o coração está quebrantado e contrito, a misericórdia triunfa sobre o juízo, pois Ele conhece os que lhe pertence, e mais do que “não pecar” [pois se dizemos que não pecamos, fazemos dEle mentiroso], é ter prazer na vontade de Deus. Ainda que nos membros haja outra lei que milita contra a lei do Espírito e da vida - ainda sim, os nascidos de Deus têm prazer na lei do seu Senhor, pois ela [lei] está no seu coração (Sl 40.8).

Como é bom saber que tudo o que Deus “tinha” a fazer para nos perdoar assim Ele fez não pela nossa fidelidade, mas pela fidelidade do Filho Jesus. Muitas das vezes não conseguimos ser fiel a Deus; contudo, Ele permanece fiel, pois não pode negar a si mesmo. Diante da Aliança feita no sangue de Jesus, tudo o que foi demandado pela justiça da lei, foi suprida pela justiça de Cristo. Agora a vida que vivo na carne, vivo-a pela fé no Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. Aleluia! Diante disso, então, oremos sem medo, o que Davi orou: “Agrada-te, Senhor, em libertar-me; Apressa-te, Senhor, a ajudar-me”. (Sl 40.13).

Portanto, regozijem-se todos os que buscam ao Senhor – todos aqueles que amam sua salvação, pois grande é o Senhor. Como é feliz o homem que nestes tempos põe sua confiança no Senhor ao invés de apoiar-se no seu desempenho. Ele é bem-aventurado por não ter sua iniquidade atribuída pelo Senhor (Sl 32.2). As maravilhas do Senhor são tantas, e o que Ele tem operado para com conosco é tão magnificente que, ao começar a falar dEle, faltam as palavras, e todas elas jamais poderão explica-Lo.

Então, podemos sim, achegar-se por um novo e vivo caminho confiadamente no trono da graça. Ainda que nossos pecados sejam mais do que os fios de cabelo de nossa cabeça, ainda sim, o trono em Cristo, não será de juízo, mas de graça e misericórdia. Isto [graça e misericórdia] nós teremos no tempo oportuno. Ele conhece nossa estrutura e sabe que somos pó! Por isso entoemos...

“Mas eu sou pobre e necessitado; contudo o Senhor cuida de mim”. (Salmos 40.17 AFC)

Soli Deo Gloria!

Fabio Campos
fabio.solafide@gmail.com

Nenhum comentário:

Todos os comentários serão moderados. Comentários com conteúdo fora do assunto ou do contexto, não serão publicado, assim como comentários ofensivos ao autor.

Tecnologia do Blogger.