Que diferença faz Deus na sua vida?


Numa grande igreja que visitei nos Estados Unidos reparei, nas paredes do salão de cultos, três grandes painéis de veludo com um desenho e uma frase em cada um. As frases são as seguintes: Deus conosco - Deus em nós - Deus por nós.

Deus conosco!


A vida é difícil, assustadora mesmo, em muitos casos. As pessoas enfrentam solidão, medo, aflições, dificuldades de toda espécie. Portanto, faz uma tremenda diferença saber que Deus, o Deus Pai, o Todo-poderoso, está conosco, não obstante sermos o que somos.

Jacó, neto de Abraão, provocou a ira de seu irmão, Esaú, e teve de fugir para Padã-Arã. No caminho, de noite, dormiu com a cabeça sobre uma pedra, e sonhou com uma escada que ligava a terra ao céu; e os anjos de Deus subiam e desciam por ela. Perto dele estava o Senhor, e lhe disse: Eu sou o Senhor, Deus de Abraão(…) Eis que eu estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores(…) Quando acordou, Jacó disse: Na verdade o Senhor está neste lugar, e eu não o sabia. E, temendo disse: Quão temível é este lugar! É a casa de Deus, a porta dos céus(…) E ao lugar, cidade que outrora se chamava Luz, deu o nome de Betel (Gn 28.10-19). Betel quer dizer casa de Deus.

É assim que acontece ainda hoje com muitas pessoas. Não reconhecem a presença de Deus, senão quando acontece um milagre… Então sentem medo. Contudo a presença de Deus é protetora e abençoadora. Jacó fizera coisas erradas, mas Deus lhe apareceu de uma forma muito linda, e lhe disse: Eu te guardarei(…) e te não desampararei! (v.15)

O Salmo 139 é o Salmo da presença inescapável de Deus: Senhor, tu me sondas e me conheces. Sabes quando me assento e quando me levanto(…) Tu me cercas por trás e por diante (…) Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face? (vs. 1-7)

Esta passagem chama nossa atenção para outro aspecto da presença de Deus. Se por um lado ela é protetora e abençoadora, por outro é também corretora. Por isso o salmista conclui este salmo dizendo: Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração(…) Vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno (vs. 23,24).

Deus esteve com Israel no deserto. Sua presença naquelas circunstâncias foi assinalada por uma coluna de nuvem, de dia, e por uma coluna de fogo, de noite. A coluna de nuvem protegia e guiava durante o dia; a coluna de fogo aquecia, iluminava e guiava durante a noite. No entanto houve ocasiões em que a presença de Deus significou disciplina e castigo para Israel.

Narrando o nascimento de Jesus, o evangelista Mateus citou esta profecia do Velho Testamento: Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel (…) O evangelista acrescentou um parêntesis explicativo: …(que quer dizer: Deus conosco) (Mt 1.23). Vale frisar que Jesus era Deus na Terra, e de uma forma muito real. Filipe uma vez pediu a Jesus: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta. Jesus lhe respondeu: Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem me vê a mim, vê o Pai (…) Não crês que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? (Jo 14.8-10)

Deus em nós.


Entretanto Jesus, quando se despediu dos seus discípulos lhes disse: Não se turbe o vosso coração (…) Na casa de meu Pai há muitas moradas (…) Vou preparar-vos lugar (…) E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco, o Espírito da verdade (…) Ele estará em vós. Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós outros (Jo 14.1,2,16-18).

Um pouco mais à frente, Jesus acrescentou: Se alguém me ama, guardará as minhas palavras; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada (…) Isto vos tenho dito estando ainda convosco; mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas (…) (Jo 14.23,25-27).

A presença de Deus é tanto exterior (para todos) como interior (para os que amam a Cristo e guardam suas palavras). A presença de Deus e de Cristo em nós, mediante o Espírito, faz uma tremenda diferença em nossa vida: O Espírito nos consola. Ele é o outro Consolador de que Jesus falou. Outro como o Deus Pai e o Deus Filho, Deus de toda consolação (II Co 1.3).

O Espírito nos ensina todas as coisas. Jesus disse: …o Espírito(…) vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito, e ele vos guiará a toda a verdade (…) (Jo 14.26; 16.13)

O Espírito nos santifica, produzindo em nós o chamado “fruto do Espírito”, ou seja: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio (Gl 5.22,23).

O Espírito nos capacita com os dons e a habilidade de que necessitamos para servir a Deus e a Cristo na Igreja e no mundo (I Co 12).

O Espírito nos dá poder para falarmos de Cristo. Jesus prometeu também: Recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas (…) (At 1.8)

Deus por nós


O apóstolo Paulo sofreu privações, foi perseguido, caluniado, injuriado, açoitado, algemado e posto em prisão, várias vezes. Tais sofrimentos não resultaram de pecado próprio, de ação demoníaca direta sobre ele; nem foram a chamada disciplina que vem do Senhor. Ele estava pregando o evangelho, abrindo novas igrejas, movido pelo amor a Cristo, aos judeus, seus compatriotas, e aos gentios. Sofreu em razão das dificuldades naturais do trabalho que fazia, por causa da rejeição e oposição dos judeus a Cristo, e devido a severidade e crueldade das autoridades religiosas e civis (II Co 11.23-28).

No entanto, a despeito das adversidades, da oposição e dos sofrimentos resultantes, o apóstolo se mantinha animado e feliz, totalmente dedicado à missão que lhe fora confiada. Por quê? Veja o que ele escreveu aos cristãos romanos: Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada (…) O Espírito intercede por nós (…) Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus (…) Se Deus é por nós, quem será contra nós?(…) Somos mais que vencedores! (Rm 8.18, 26,28,31)

É isso aí! Sabendo das coisas, isto é, que o sofrimento é passageiro e dará lugar à glória dos novos céus e nova terra, nos quais habita justiça (II Pe 3.13), que o Espírito intercede por nós, e que Deus é por nós, não há por que murmurar, desanimar, desistir, entregar-se. O grito não é de dor, mas de triunfo: Em todas estas coisas (…) somos mais que vencedores! (v.37)

Leitor amigo, se você crê em Deus e em Cristo como seu Salvador e Senhor, e consequentemente recebeu o Espírito. Não pense nunca que está só, abandonado. Deus está com você para lhe fazer companhia, abençoá-lo e, quando necessário, corrigi-lo também.

Não permita que a tristeza, o desânimo, a desorientação, o pecado e o sentimento de fraqueza se instalem em sua mente e no seu coração. Deus está em você para consolá-lo, ensinar-lhe, santificá-lo e capacitá-lo.

Não tenha medo. Deus é por você. Ele é um aliado (exceto no pecado). Ele trabalha as circunstâncias, as mais difíceis também, e faz com que redundem no seu bem; ele impõe limites aos que se opõem a você e intentam fazer-lhe mal.

Você e eu podemos dizer com absoluta confiança: “Se Deus é por nós, quem será contra nós”. E concluir: “Em todas essas coisas, somos mais que vencedores”.


Fonte:
Por Éber Lenz César em seu Blog eberlenzcesar.blog.br

Pr. Éber Lenz César (eberlenzcesar@gmail.com)
Esta mensagem está incluída no livro Passando pelo Vale Árido

Nenhum comentário:

Todos os comentários serão moderados. Comentários com conteúdo fora do assunto ou do contexto, não serão publicado, assim como comentários ofensivos ao autor.

Tecnologia do Blogger.